quarta-feira, 23 de maio de 2012

Estacionamentos na cidade pelos olhos da cara

                         Um dos problemas que mais afetam os nossos moradores  é o  deslocamento para outros bairros onde trabalham ou estudam. 

O governo federal está sempre dando uma mãozinha para facilitar a venda de automóveis, mas nada se faz para garantir um trânsito inteligente e para abrir espaços de estacionamentos a preços razoáveis nos bairros do Centro, Zona Sul e Tijuca.

Traumatizada pela experiência do Rio2, onde a conta dos ônibus é paga até por quem não os usa, e a rubrica de transporte acaba sendo a maior no seu orçamento, a administração da ASSAPE não quer nem ouvir falar em estender para mais longe os percursos dos nossos ônibus – o que vai mais longe volta do quebra-mar, na Barra.

Por outro lado,  quem tem de ir de carro está exposto a cobranças extorsivas, não apenas do chamados flanelinhas. No Terminal Menezes Cortes e nos dois estacionamentos subterrâneos do Centro não se gasta menos de R$ 30,00 por dia.  Há também espaços particulares improvisados, onde temos de deixar a chave.

Na Marechal Floriano, paralela a Presidente Vargas, há estacionamentos onde a primeira hora custa R$ 18,00.

Além disso, somos a única cidade do Brasil em que se paga pedágio urbano. Ida e volta pela Linha Amarela saí por quase R$ 10,00.

Queremos discutir com você alternativas para nossos deslocamentos.  Não há nada mais impactante do que sair do nosso ambiente  bucólico, onde o verde nos faz tanto bem, indo ao encontro do estresse da nossa cidade.  E isso temos que fazer diariamente.

O que você acha?

4 comentários:

  1. É um absurdo a cobrança de estacionamento nos shoppings. Burlaram o espírito da lei e não fazem nada. Antes pagava-se 6,00 por 5 horas, agora é 6 reais por meia hora, burlando a lei que definia que deveria se cobrar a fração sobre o preço originalmente cobrado, esse era o esírito da lei e não fazem nada, nenhum embargo, nem multa aos shoppings.
    A bem da verdade deveria é interditar os shoppings com cobrança abusiva, pois só estão funcionando graças à licença da prefeitura que aprovou um projeto que previa estacionamento para seus consumidores e não uma extorsão.
    Pelo menos a população poderia então se movimentar para mudar esse quadro. Deveríamos deixar de ir em conjunto por quinze dias a cada shopping da cidade que habitualmente vamos em datas combinadas para os administradores sentirem o impacto da força popular.
    Podemos começar peo Barra Shopping: boicotaremos do dia 01 ao dia 15 de junho, garanto que vão mudar de opinião sobre o preço do estacionamento por pressão dos próprios lojistas.

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics