sábado, 27 de outubro de 2012

O ataque ao blog e a resistência contra os ônibus diretos

 
Como você já deve saber, nosso blog foi atacado por alguém que visou especificamente as enquetes, detonadas sumariamente.  Desde que iniciamos o CORREIO DA PENÍNSULA em  18 de abril de 2012, nunca havíamos experimentado tal truculência, que partiu de quem ainda não entendeu que estamos vivendo num regime de plena liberdade.


Estamos convencidos que foi a pesquisa sobre a proposta de moradores para a contratação de ônibus pela ASSAPE que desencadeou essa fúria intolerante. Isso porque quem atacou é meio tacanho: só haviam sido registrados 80 votos e, embora com 80% favoráveis aos ônibus para o Centro e Zonal Sul, ainda teríamos 26 dias de consultas.

Se de fato esse é um movimento de minoria, o resultado final não alcançaria um número esmagador. 

Mas quem não consegue conviver com a liberdade age por impulsos, destilando suas amarguras e seu autoritarismo incorrigível.

As pessoas que se opõem ao movimento falam que ele não representa o sentimento dos moradores da Península. E alegam que a passeata pelos ônibus não tinha nem 100 pessoas.

Lembrei-me da última assembléia da ASSAPE, no mesmo 18 de abril em que começamos nosso blog: convocada, entre outras tarefas, para escolher seu presidente, vice e Conselho Fiscal,  tina cerca de 30 pessoas - não mais.

 
Assembléia da ASSAPE que elegeu diretoria tinha cerca de 30 moradores
 
É, portanto, complicado falar em quem representa o sentimento dos moradores, até porque, diga-se de passagem, a nossa associação ainda funciona como no tempo das construções, tal como foi concebida pela Carvalho Hosken, com um estatuto atípico, que põe no mesmo ato decisório numa Assembléia Geral um  morador com um voto e outro que pode ter todos os votos restantes do seu condomínio, desde que seja membro do Conselho de Representantes.

Na assembléia citada, o meu condomínio tinha como "representante" o síndico contratado por um empresa. Ele, que não era morador ou proprietário,  tinha 229 votos e eu, 1.

Esse episódio da decisão sobre os ônibus deve servir também para nos levar a uma reflexão sobre o estatuto da associação.  Ao contrário do estatuto-padrão, o da ASSAPE ganhou condimentos próprios, como artigo 49,  que já limita o serviço de ônibus a trajetos próximos, fazendo com que a discussão a respeito fique virtualmente  bloqueada.

Nosso blog não tem a menor pretensão de contestar a ASSAPE, negando sua titularidade representativa, antes pelo contrário,  mas acha que seu formato legal é mais de um "condomínio dos condomínios", com a exigência contratual constante de todas as escrituras que obriga todo morador a ser filiado e a contribuir numa cobrança feita através do boleto do seu condomínio, exigência típica de um condomínio e não de uma associação de moradores e amigos. Tal é necessário, reconheça-se, porque ASSAPE presta inúmeros serviços a todos e o que pagamos é a extensão do nosso condomínio.

Essa filiação compulsória tem que ser compensada, porém,  pela possibilidade de cada um exercer o direito inerente, facultando-se a ele a possibilidade de pleitear o que considera necessário para melhorar suas condições de moradia, em função de fatos novos. Ao contrário do que acontecia quando o estatuto foi proposto, hoje a participação das incorporadoras é minoritária e uma variedade de novas demandas se apresenta.

Quando no seu nascedouro engessa a decisão sobre a contratação dos ônibus, que existem com sucesso em muitos condomínios da Barra, o estatuto cria um impasse e inibe qualquer decisão a respeito.

Essa limitação é um constrangimento anacrônico e  antidemocrático.

Não há relação objetiva entre o ataque ao blog, um ato de intolerância, e a blindagem estatutária à contratação dos ônibus para o Centro e Zona Sul. Em hipótese alguma  faríamos tal ilação, por demais despropositada. Como também NÃO HÁ NENHUMA  RELAÇÃO COM OPINIÕES EXPRESSAS NA MATÉRIA ANTERIOR.   O que me leva a acrescentar, para evitar qualquer leitura confusa: UMA COISA É UMA COISA e OUTRA COISA É OUTRA COISA.

Mas comentar as duas situações num mesmo artigo não faz mal nenhum.

Veja a nossa opinião em vídeo, clicando na foto.



 

16 comentários:

  1. Viviane Mega de Andrade Zalfa30 de outubro de 2012 12:02

    Se até hoje a ASSAPE não conseguiu reunir um bom numero de interessados em transporte para o Centro é porque a oferta é extremamente restrita: 1 horario de ida, 1 horario de volta, não pode comprar no dia, etc, etc, etc. São tantas restrições que obviamente vai limitar os interessados. Eu mesma estou nesse caso: interessada em ônibus para o centro, mas atualmente as opções mínimas que existem não me atendem!

    Para aqueles que são contra pagar 30 reais a mais por mês porque não vão utilizar (à principio) o transporte, poderiam pelo menos perceber que a oferta regular de transporte para zona sul/centro valoriza sobremaneira nossos imóveis!
    Viviane Mega de Andrade Zalfa
    (Enviado através do e-mail peninsula@pedroporfirio.com)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não só valoriza como evita a desvalorização. Afinal, se propagamos aos quatro ventos que o condomínio é seguro e que pagamos para NÓS usufruirmos dele, embora saibamos que não podemos impedir o acesso de outros cidadãos, não há sentido algum em permitir que linhas comuns cheguem até nós, quase convidando que qualquer um venha USUFRUIR dos espaços que pagamos para preservar.

      Sabemos onde isso vai parar: ruas imundas, praças e trilhas destruídas (pela quantidade de pessoas que frequentarão), pessoas que usufruirão de entorpecentes nas trilhas, nosso shopping LOTADO, daqui a pouco teremos ambulantes por aqui.

      É demais !

      Excluir
  2. Agora, é que não estou entendendo: a pesquisa voltou a aparecer com os resultados de 8 dias atrás.

    ResponderExcluir
  3. Eu já tinha votado e hoje pude votar novamente sem ALTERAR o voto, tanto na do transporte, qto na da cobra. Houve alguma coisa sim.

    ResponderExcluir
  4. É isso mesmo... Quem autorizou a construção de uma rodoviária na porta da Peninsula e sendo paga com o "nosso" dinheiro ?? Quantas pessoas que nem sabem da existencia da Peninsula passarão a conhece-la quando estiverem utilizando as 3 linhas de onibus municipais que passarão na nossa porta ?? As pessoas que são contra o ônibus porque acham que a Peninsula se desvaloriza por ter um onibus fretado para o centro tambem não acha que vai desvalorizar quando vierem familias de longe para no fim de semana fazer um piquenique e jogar bola em nossos campos ????

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics