sábado, 16 de fevereiro de 2013

Assaltos estão de volta também à tarde


Morando de frente para a rua, vizinho faz um alerta: cuidado ao chegar à noite de carro na Península.
(Mas teve assalto também na tarde de um sábado)

Ruas preferidas dos assaltantes

Clique na foto e veja o vídeo das áreas críticas que fizemos. 
Sexta-feira, dia 15, fiz outro percurso à tarde, hora em que dificilmente acontece assalto, e me deparei na ida e na volta com uma viatura da PM em trânsito. Parada, como logo após a morte da nossa vizinha, nem pensar. Também não cruzei com o carro da nossa segurança, embora tenha ficado parado algum tempo no cruzamento do  nosso primeiro sinal, já na entrada para a Península.

Postado numa comunidade fechada do “Faceboock”:

“Uma vizinha do Saint Martin acabou de postar em nossa comunidade que no dia 06/02  a portaria 1 daqui da Peninsula, um vizinho morador do LIFE foi assaltado e levaram todos seus pertences e seu CARRO !!! E ai ??? Segurança foi apenas por uma semana mesmo !!! E agora com mais 300 mil no caixa da segurança aprovado em AGE vai mudar alguma coisa ??? Alô Assape Península !!!!!

Um morador do Fit repassou o seguinte e-mail para sua lista:
“Pessoal,


Cuidado ao chegar à noite de carro na Península, soube que já houve 2 roubos de carro próximo a portaria 1 da Península.

Um dos motivos principais foi a implantação, a pedido da ASSAPE,  do ponto final de ônibus perto da 1a. entrada do Condominio!!!”

Outro morador escreveu-me, descrevendo o próprio assalto de que foi vítima num retorno em frente ao Barra Shopping:

Prezado Pedro Porfírio,
  Como sei do seu trabalho de divulgação dos fatos relacionados com a Península, gostaria de contar o que aconteceu comigo na última quinta-feira dia 07/02. Por volta das 21 horas, fui rendido por bandidos armados no retorno que fica atrás do posto Ipiranga da Av Luís Carlos Prestes ( atrás do Barra Shopping ).
Ao entrar no retorno havia um carro na minha frente e dele 2 bandidos armados saíram em minha direção e com arma em punho me obrigaram a sair do carro, levando o mesmo em seguida. Graças a Deus nada sofri, além do constrangimento e sensação de impotência na porta da minha casa, mas a insegurança agora é grande!
  De nada adianta a ASSAPE querer aumentar a segurança interna, se do lado de fora do nosso condomínio virou terra de ninguém!
  A área que vai do fórum ao Via Parque está um perigo, precisamos fazer algo, senão tragédias irão continuar acontecendo, será que teremos que mudar de nossas casas e procurar segurança em outro local?”.

E-mail recebido já depois da primeira matéria postada
"Caro Porfírio. Nosso vizinho R. também foi assaltado no período do carnaval, entre o Barra Shoping e a maternidade e ficou sem o seu carro. Estão virando rotina os assaltos ao redor da Peninsula" (Este e-mail foi enviado depois da primeira postagem, que foi atualizada às 02h52m do dia 18.2.  Apuramos detalhes com uma colega de faculdade do jovem R., que, como ele, também mora no  Sainth Barth). 
Nesse caso, o assalto   aconteceu às cinco horas da tarde de um sábado. O rapaz ia em direção às Américas e parou no mesmo sinal duas vezes, devido ao engarrafamento.  De posse do seu carro, em lance rápido, os bandidos fizeram um retorno no próprio sinal e sumiram com a cobertura do veículo de onde saíram.


Decorridos 34 dias da tragédia que vitimou nossa vizinha, a insegurança persiste

Apenas uma mostra do que está acontecendo

Essas são apenas algumas das informações que nos chegam. Provavelmente o número de assaltos nessa região que é um filé mignon para os bandidos seja maior. Tanto que na noite de quinta-feira, dia 14, a PM realizou uma blitz “emergencial”  na João Cabral de Melo Neto, conforme informação de outra vizinha. Provavelmente, a administração da Assape é informada, mas prefere silenciar para “evitar um clima de pânico”, como já escreveu em um comunicado.

Pessoalmente, tenho percorrido essas áreas críticas para ver sinal de policiamento. Numa única vez, às cinco das tarde do domingo de carnaval, vi um celta da empresa de segurança passando em frente à Portaria 2, na direção do Via Parque. Lembra que a  diretoria da Assape anunciou um carro da segurança 24 horas nessa área?

PM não tem efetivo para a Barra da Tijuca

O 31° BPM não tem efetivo, como relatou seu comandante, tenente-coronel Amaral, na mais concorrida reunião promovida pela Assape. Não tem e fica por isso mesmo. Pouco mais de 400 homens para uma área de 350 mil habitantes, com crescimento vertiginoso, é uma afronta.

Como escrevi na matéria do dia 17 de fevereiro, após o encontro, o governo do Estado está mais preocupado é com a implantação de unidades de policiais "pacificadoras" nas favelas e áreas sob domínio do tráfico, com o que dissemina uma ideia de novidade e uma sensação de que os bandidos estão sendo acuados em seus redutos, embora o que acontece de fato é o fim da venda ostensiva de drogas, com um baixo índice de prisões. 

Naquele mesmo dia fui assistir à implantação de uma UPP nas favelas do Jacarezinho, Manguinhos e no Conjunto Nelson Mandela. Para aquelas comunidades, que somam menos de 80 mil habitantes, foram destacados 1.131 policiais militares, praticamente o triplo do atual efetivo de 31º BPM - observei.

Mas a rede de 29 UPPs dá mídia, por ser uma novidade inteiramente experimental, e oferece uma estranha sensação de segurança: a doutrina do secretário José Mariano Beltrame é que ocupando as favelas, os bandidos ficam sem refúgio. Só que os índices de assaltos aumentaram e os de prisões nas áreas ocupadas não são muito diferentes de antes, até porque cada ocupação ocorre mediante aviso prévio oficial.

E nós, vamos também empurrar o lixo para baixo do tapete?

O que fazer aqui? Todos são interessados, inclusive os incorporadores, que têm muitas unidades à venda. Interessado é também o conjunto de shoppings do entorno.  No entanto, o Barra Shopping, por exemplo, que fatura uma fortuna com estacionamento,  não é capaz de colocar seguranças nos cruzamentos feitos para atender a seu movimento, que são causas de assaltos, pois obrigam os motoristas a pararem no monte de sinais instalados em seus acessos.

Esse risco aumentou mais ainda com a implantação de um sinal no desvio para o novo shopping Village Mall, do mesmo grupo. Isso me foi dito por um sargento PM, com quem conversei  em janeiro numa viatura em frente a Maternidade Leila Diniz. Ali, próximo onde nosso vizinho perdeu o carro, criaram-se todas as condições para a ação dos bandidos, sobretudo a partir das 9 da noite, quando a facilidade de fuga rápida é maior.

O que fez a cúpula da Assape, além de aprovar em uma assembléia extraordinária a utilização do fundo de reserva para cobrir a inadimplência do Office e, por tabela, oferecer numerário para a implantação de um plano de segurança, ainda por ser concluído?

Nem mesmo uma reunião com os síndicos dos 25 condomínios fez. Nem tratou de estabelecer conexão direta entre a segurança das portarias da Península e as dos prédios.

Aliás, para ser justo, o controle das portarias melhorou e os funcionários se desdobram para evitar atritos. O visitante se identifica, tem a placa do carro anotada e diz para onde vai. Antes, nem isso.

Mas bandido que quiser roubar carro dentro da Península só se tiver segundo grau completo na escola do crime. Porque a própria condição geográfica afunila o acesso. Nesse caso, seria aconselhável que fosse feito algum controle na saída.  Hoje, o próprio visitante abre a cancela, apertando um botão. Se o carro for roubado do lado de dentro e o bandido quiser fugir só ou levando a vítima, como já aconteceu em outros condomínios, ninguém terá como impedir.
Fica reaberto o debate. Como um uma comunidade de 4 mil famílias e 12 mil moradores de classe média pode resgatar a segurança, que foi uma das razões da escolha da Península  como moradia? Bem que eu disse na postagem do dia 23 de janeiro: 7 dias depois, o perigo da acomodação.

Se a administração da Assape acha que um único voluntário pode ter a chave do problema com coordenador de segurança e não precisa ouvir ninguém, o CORREIO DA PENÍNSULA, que já se transformou no espaço livre de todos os moradores,  está pensando em promover um fórum aberto sobre nossa segurança, trazendo inclusive especialistas. O que você acha?

20 comentários:

  1. SOMOS UM POVO DESAMPARADO PELA LEI. ELA SO VALE PARA A CLASSE DOMINANTE. O CIDADÃO NÃO TEM O MINIMO DIREITO. PAGA IMPOSTO, VOTA, ETC. E NÃO TEM NENHUM RETORNO. REGATTIERI

    ResponderExcluir
  2. Se a força do estado não consegue dar conta da Barra como um todo, será que já não está na hora de contratar uma policia particular em conjuto com BarraShopping, CasaShopping, Tok&Stok, Via Parque, ASSAPE, Maternidade e etc?

    abs!

    ResponderExcluir
  3. Sr. Pedro, Realmente é REVOLTANTE a Omissão da Assape.
    Eu apoio a contratação de uma segurança armada nas cancelas da Península se for necessário. Eu estou muito decepcionado com a ASSAPE. Esperava muito mais deles. O maximo de comunicação que temos da ASSAPE são as mensagens de BOM DIA no Facebook. Francamente, não pagamos para ganharmos BOM DIA.

    Ricardo - Way.

    ResponderExcluir
  4. Ao voltar do carnval ontem, na portaria 2 de taxi , solicitaram que o motorista apagasse os faróis para fotografarem a placa. Gostei da implementação do novo sistema de segurança, porém, por mim a segurança interna já era boa e o que tem que ser feito é nos arredores. TUDO acontece entre peninsula e barra shopping. Será que não está tão claro assim para todos ? Basta colocar uma guarita nos sinais atras do bara shopping com vigilancia 24x7 que iria melhorar bastante e nos dar uma segurança infinitamente maior que qualquer blitz temporária (que sabemos que serão temporárias, pois nao adianta acreditar em nada que se mova) . Tem que ser alguma obra fixa, nada movel. Senão vai passar e se apagar.

    Voto pela guarita mesmo que a assape pague ao governo que nao sei se fará isso (já que nao fazem nada por ninguem).

    15 mil moradores pagando nao acho que o custo seria grande, alguem poderia fazer os calculos e ver o csto disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se jogaram nosso dinheiro no lixo construindo ponto de ônibus em via pública (345), não vejo problema em colaborar financeiramente para melhorias na área de segurança (guaritas...). Chameno BarraShopping, Fórum, Village Mall, Prédios comerciais ao lado do Bshopping, casashopping, leroy, via parque, etc, e vamos arrumar o nosso quintal!

      Excluir
  5. Essa area do entorno da peninsula poderia ser patrulhada com PM montada a cavalo. A regiao é propicia para isso.
    Faz-se uma infra na regiao entre O2 e Tokstok para um estábulo...

    Outra alternativa é o uso de cameras no policiamento.

    Bruno - Atmosfera

    ResponderExcluir
  6. Preazdos
    Quem disse que a segurança na entrada e saída melhorou?
    Cancelas inoperantes, saídas livres etc.
    Ontem por volta da meia noite entrei pela portaria 2 e ela estava totalmente as escuras.
    Até os seguranças da entrada corriam perigo naquela escuridão
    Boa parte das luzes das ruas internas, tanto as que iluminam a rua quanto as que iluminam as calçadas, estavam apagadas.
    Isso é melhorar a segurança?

    Carlos

    ResponderExcluir
  7. Bem, senhores,

    Há algum tempo dei-me ao trabalho, como advogado e morador da Península, de elaborar um exaustivo parecer jurídico abordando questões internas e externas à Penínusula, especialmente em relação à livre entrada de veículos na Península, com utilização segura e gratuita das instalações pelas quais pagamos para manter. Não recebi qualquewr manifestação da direção da ASSAPE. Com frequência informo irregularidades à Assape, formalmente, e não tenho retorno. Hoje, interpelei um cidadão que estava fazeno "xixi" em plena Rua dos Jacarandás às 08:00h da manhã. O interessante é que os "seguranças", que ficam gastando combustível rodando nas motos para lá e para cá, nada vêem. Incrivel. Tirei uma foto da rua dos Jacarandás no entorno das 08:00h da manhã de um dia da semana e outra hoje. O que se vê é a quantidade de veículos durante a semana e o vasio no domingo, revelador de que os veículos são externos. E o que dizer, então de veículos abandonados há meses (roubados?) e denunciados À ASSAPE, sem qualquer resposta? As ruas cada dia mais esburacadas e sujas. Penso que a ASSAPE somente será proativa quando for dirigida por moradores conscientes de seus div=reitos e deveres, não só para consigo próprio mas também para com a comunidade. Essas evasivas da ASSAPE em dizer que nada pode fazer não deve ser aceita. AO que parece, existem interesses não revelados em nada fazer. É lamentável, pois esta questão da segurança era (falo no passado) o diferencial. Hoje quando amigos me perguntam sobre o que acho da Península para morar, penso muito antes de responder pois já não tenho a mesma certeza de quando decidi morar aqui.

    Valdir A Santos

    ResponderExcluir
  8. Prezados Vizinhos,

    O grande apelo que a Península sempre teve desde o seu lançamento como carro chefe foi a segurança, concordam? Desta forma a grande maioria comprou para morar ou como investimento unidades aqui na Península, porém a questão do problema na segurança não é novidade e sim de longo tempo. Amigos falo sobre esse tema pois em 2007 quando morava no Cond. Green Garden (ao lado do Fit - que na época estava em obras) tive o vidro do meu carro quebrado e o meu radio roubado dentro da garagem do prédio (eu não fui a única vitima e sim apenas um de 6 carros que tiveram o seus radios roubados dentro do prédio). Após analisarmos os videos das câmeras de segurança, chamar a policia e registrar BO na delegacia chegamos a conclusão de que o ladrão entrou em nosso prédio pela trilha nos fundos da Península (entre o nosso prédio e o Fit) onde atualmente encontra-se o nosso píer.

    Temos primeiramente que organizar regras rígidas de acesso seja por carros ou pedestres (mesmo que gerem desgastes), depois verificar quais equipamentos e tecnologias podem ser utilizados para ajudar na segurança, mas também não podemos deixar de falar que uma das ações mais importantes é a colaboração e compreensão de todos para regras de segurança mais rígidas.

    Vou pontuar que as guaritas não são integradas (sistemas de controle e comunicação independentes), a comunicação dos vigilantes se faz por radio NEXTEL não sendo uma rede fechada onde todos possam se comunicar facilmente, os vigilantes não são armados, os pedrestres tem livre acesso pels portarias, o campo de futebol e utilizado por uma grande quantidade de pessoas de fora da Península entre outros pontos.

    Gostaria também de mencionar que a empresa que faz a segurança da Península tem uma atuação fraca não sendo adequada ao que necessitamos (nao podemos ver somente custos). O nosso shopping ainda nem inaugurou imaginem quando ele estiver funcionando?

    Precisamos nos organizar rapidamente e dar respostas estruturadas e não paliativas, precisamos urgente buscar parcerias com os Shoppings da região e lojas que estão no nosso entorno como mencionado por um vizinho, alem de algum advogado verificar como podemos oficializar o fechamento da Peninsula, a possibilidade de instalar 2 cabines de policia (1 no cruzamento dos fundos do Barrashopping e outra no cruzamento de acesso a Península no sinal). O nosso Condõmino não pode depender apenas de ações externas do Governo ou outras entidades pois estas são demoradas e apenas ocorrem em episódios fatídicos.

    Gostaria que fosse feita uma nova assembleia para que se apresente um plano de segurança estruturado com ações a curto e médio prazo; e lembrar que a ASSAPE não esta conseguindo resolver o problema sozinho então deve dividir com os moradores essas questões.

    Fica um abraço e espero que tenhamos uma solução URGENTE!!

    Abs

    Antônio - Way

    ResponderExcluir
  9. Caro Vizinho, excelente a sua proposta, temos que nos mobilizar com URGÊNCIA! Infelizmente, só quando ocorrem as tragédias é que às autoridades Públicas, começam a pensar em providências. Mas, em relação à segurança no Condomínio Península, mesmo havendo assalto seguido de morte, estamos totalmente esquecidos pela Segurança Pública da Cidade do Rio de Janeiro. Pois, a Polícia fez plantão por apenas uma semana, após a tragédia com a nossa vizinha, e logo desapareceu. Neste final de semana, como nos anteriores, só temos a ronda de prevenção, assim mesmo de modo precário, da vigilância patrimonial do condomínio. Nada mais absurdo!!!! Pelo valor que pagamos de impostos para o Estado, Município e União!!!!Mas, temos que exigir também o direito de proteção por parte do Estado, sim! Povo passivo, corrupção Ativa! Portanto, o que ficou decidido na última reunião com a ASSAPE e o representante da Polícia Militar (Batalhão da Barra da Tijuca) sobre a questão? Vamos Cobrar as providências consignadas em Ata. É, o mínimo!!! Márcia - Aquarela

    ResponderExcluir
  10. Prezados

    É muito triste ver o que está acontecendo com a nossa Península. Quando vim morar aqui com minha família, todos se apaixonaram pela tranquilidade, segurança e infraestrutura do local. Hoje constatamos que muita coisa mudou radicalmente para pior. Temos diversos Delegados, juizes, militares e outras autoridades na nossa vizinhança. Deveríamos juntar a força deles e mais o empenho dos demais moradores para influenciar na construção de uma solução que não seja paliativa para os problemas relatados, não vamos deixar que o velho ditado: " Casa de ferreiro, espeto de pau" se confirme, vamos cada um dentro do seu círculo de influência, fazer pressão para as coisas aconteçam. Mas isso tudo não pode ficar para amanhã, depois de amanhã... é pra já!Antes que novas desgraças aconteçam sob nossas barbas, que por sinal já estão de molho!

    Boa sorte a todos nós!

    João

    Bernine

    ResponderExcluir
  11. vizinhos postei no meu blog informaçoes das lojas que teremos em nosso shopping !!
    http://wwww.peninsulabyale.blogspot.com.br


    ResponderExcluir

  12. Triste noticia. Mas concordo que os casos devam ser divulgados e não escondidos. Porem tenho um critica ao artigo: não faz sentido criticar as UPPs ou o número de policiais la utilizados. Soa a reclamacao de gente magoada ao inves de uma seria solicitacao de que recursos apropriados sejam utilizados para proteger a area do peninsula.
    Andrea

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

  15. Lucia Regina6 de março de 2013 17:00
    Sr.Pedro, Parabéns mais uma vez por sua dedicação.
    Gostaria de publicar aqui o texto que enviei hoje para a Assape, narrando o que ocorreu comigo.Que fique mais um alerta para aqueles que vão sozinhos para o Barrashopping via balsa.
    Pedi tanto pelas nossas calçadas, para dar mais movimento nas ruas, para aqui deixar de ser tão isolado.Bandido adora local deserto, com pessoas de certo poder aquisitivo.
    Segue o texto:
    " Hoje, 06/03, resolvi pedalar até a praia pois, a distancia é mínima e de carro está cada vez pior.Por sinal, isto foi até uma recomendação médica e, afinal, sou uma recem aposentada querendo curtir um pouquinho a vida.Bom, peguei a balsa e, quando cheguei naquele pedacinho de trilha com aqueles carros que passam voando, senti medo, isto mesmo MEDO.Fiquei completamente só, com uma bicicleta novinha, parada esperando o sinal fechar.Pareceu uma eternidade.Quando cheguei na calçada do Barrashoppinh foi uma alegria.Dali até a ciclovia uma tranqüilidade.
    Fui a praia, Shopping Citta, tudo ia bem até chegar novamente naquele sinal. Do nada um furgão branco parou e os olhares para bike me deixaram em alerta.Atravessei rapidamente, até mesmo cometendo um certa imprudência, e, quando ia para balsa quem apareceu?
    Exato!!!!O furgão branco com os 2 esquisitos.Como não podia atravessar, fui pedalando rapidamente no sentido contrario dos carros, me arriscando e não dando chance de qualquer abordagem, já que eles não poderiam ir de ré.
    Quando eles sumiram, entrei rápido na trilha rezando para que o segurança estivesse lá.Cheguei com o braço sangrando já que na fuga me embaralhei em plantas com espinho.O segurança sabe do ocorrido.
    Agora, entendo que ciclovia, calçada, nem pensar não é mesmo? É caro.É obrigação do Estado.Vidas neste país não tem valor.
    Mas, porque vocês não colocam um segurança também nesta travessia do shopping até o inicio da trilha.
    Soube que já teve varios assaltos ali.
    Entendo que a Assape é responsável por tudo que ocorrer ali, já que é a associação que possibilita esta travessia.Se não for possível dá uma segurança verdadeira, melhor e mais seguro é não ter nada.
    Somente agora, conversando é que fiquei sabendo da periculosidade da região.Acabou meu sonho dourado.Investi na bike a toa.
    Fui a todas as reuniões, falei, pedi calçada para ter mais movimento em volta da Peninsula, para as pessoas saírem a pé.
    Assim que puder vou voltar de onde vim.Não tem trilha, não tem fauna, flora, mas posso andar a pé, de bike, ir ver o mar sem estes riscos.
    Obrigada Assape.
    Lucia Regina Nogueira
    Atmosfera


    ResponderExcluir

    Lucia Regina6 de março de 2013 17:31
    Detalhe: comprei uma bicicleta elétrica, era meu sonho de consumo.Será que não tenho este direito, na minha idade, depois de tantos anos dedicados a outras pessoas?Será que isto é ostentar? ou é querer "curtir" um pouquinho a vida?

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics