segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Um casamento perfeito


Nossa vizinha Constança Teixeira de Freitas funde com rara sensibilidade uma poesia antológica com o reino  verde da Península


CLIQUE NA IMAGEM E VEJA A OBRA PRIMA DE CONSTANÇA TEIXEIRA DE FREITAS



Constança: suave sensibilidade poética
Uma poesia antológica num cenário de raro esplendor. Fundir a chama viva de um poético grito do exílio, a sabedoria de cada verso, sua  profundidade cortante   com o espesso verde que reina em meio a dezenas de esculturas é mais do que uma obra de arte, é uma exposição viva de toda uma sensibilidade privilegiada.

Foi o desafio a que se impôs nossa vizinha Constança Teixeira de Freitas num vídeo em que fez pousar em nossa Península, com a suavidade de uma peça áurea -  a poética lírica que fez história - Os Estatutos do Homem (Ato Institucional Permanente) de Thiago de Mello – tornada  ainda mais bela com o fundo musical de Edward Elgar.

Poucas vezes em minha longa vida de jornalista, escritor e teatrólogo deparei-me com um casamento tão perfeito – as palavras do poeta e as imagens do nosso universo pungente que fala pelas cores e pelas formas de sua paisagem exuberante.

Não podia imaginar que Constança conseguisse obter tanta beleza dessa fusão divina: a poesia de um tempo em que, como dizia Thiago de Mello, “faz escuro mas eu canto”, com o domínio dos parques sobre as construções, numa hierarquia quase impossível numa cidade que cresceu de costas para a vida do amanhã.

Convido a você a fruir dessa obra de arte. E sublinho o meu desejo que Constança Teixeira de Freitas não pare por ai.  Sua alma e sua potencialidade criativa são como dádivas para todos os seus vizinhos, para a cidade e para a humanidade.

12 comentários:

  1. Obrigada Pedro Porfírio!!
    Foi uma homenagem a essa querida comunidade em que vivemos chamada Península.
    Uma inspiração via Thiago de Mello a todos nós ao bem viver..

    ResponderExcluir
  2. Vi o vídeo e fiquei deslumbrada. É como se a poesia do Thiago de Mello tivesse sido destinada a esse cenário fotografado pela nossa vizinha Constança.

    ResponderExcluir
  3. Constança,graças aos deuses,um jornalista sensível,Pedro Porfírio,viu e reconheceu o teu imenso valor humano e artístico,parabéns querida,profissionalize-se,mostre a todos a sua sensibilidade e beleza.

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics