terça-feira, 19 de março de 2013

O mirante dos 70 no meio do caminho


Mais do que projetos por transportes mais úteis, vizinhos nos brindam com seriedade e criatividade


Dia 21 de fevereiro, na maior reunião já realizada na Assape, foi aberto o caminho para o encaminhamento de um dos nossos maiores desafios: otimizar o sistema de transportes para assegurar linhas até o Centro, como acontece na maioria dos condomínios da Barra. Um mês depois, já começamos a colher os frutos dessa decisão, com a apresentação de projetos inteligentes ao grupo designado pelo Conselho para viabilizar uma alternativa capaz de preencher uma lacuna no nosso modo de vida.

Tabela extraída de um dos estudos elaborados poer vizinhos
CLIQUE nela para vê-la maior
Como estou cansado de dizer – e de cansá-los com essa ladainha reprisada – tenho hoje exatos 70 anos de idade. Para um quarentão ainda cheio de amor pra dar, isso não quer dizer muito. Para um rapazola envolto nos sonhos de uma juventude audaz isto não quer dizer absolutamente nada.

Mas chegar aos 70 não é só ter direito de furar fila no banco ou fruir algumas dádivas recentes que minimizam algumas limitações da idade e principiam o resgate de um respeito diluído na modernidade escrava de um pragmatismo míope e bitolado.

Quem chega aos 70 tem obrigação de entender melhor o mundo e as pessoas. E quem chega aos 70 com uma bagagem de conhecimento acumulado tende a construir um mirante de maior visibilidade, capaz de ver à frente milhares de milhas além do caminho percorrido.

Desde que o branco prateado dos meus cabelos passou a emoldurar minha fronte excitada um processador de alto poder crítico instalou-se no meu cérebro nervoso. Cada ano vivido incorpora uma carga de compreensão e sabedoria de múltiplos efeitos – para o bem e para o mal.

Eu nem sabia que ia chegar a tanto. Meu pai morreu aos 67 anos, quando eu tinha 7 e minha mãe se foi com 51 quando eu tinha 18. Sou do segundo casamento e nasci de 7 meses, às vésperas do dia de São José, quando uma chuva torrencial caiu sobre a Fortaleza cearense de Nossa Senhora Assunção e obrigou minha mãe a correr para a maternidade. Sou o único dos seus 6 filhos que não veio à luz pelas mãos de uma parteira em casa. E por pouco não sucumbi na fragilidade dos meus dois quilinhos.

Tabela extraída de um dos estudos elaborados poer vizinhos
CLIQUE nela para vê-la maior
Toda essa lembrança existencial me vem à cabeça sempre que me proponho a falar de alguma coisa, sempre que trato de assuntos de interesse comum, que envolvem outros corações e mentes, sempre que me deslumbra o brilho d’outros diante dos meus olhos.
Não posso  dar razão ao grande escritor Gabriel Garcia Marques, para quem “a sabedoria só nos chega quando já não serve para nada”. Ele está redondamente equivocado e não era para dizer tamanha atrocidade, logo ele o autor de “Cem anos de Solidão”.

Cada um de nós tem sua própria natureza, é verdade. Personalidades e caráteres têm variáveis ilimitados. Cada um tem seus atrativos, móveis de paixões e elementos de comportamento individualizados. Não posso querer nem que meus próprios filhos sejam à minha imagem e semelhança. Aliás, tenho inveja de outros pais: sou Bangu de ir a jogo em Moça Bonita e a família inteira não puxou a mim - são todos flamenguistas de sete costados.

Mas acho que será muito bom para a humanidade se todos nós e cada um entendêssemos a vida para além do nosso pequeno mundo. Acho até e - aí pesa toda uma convicção filosófica - que vive mais ricamente quem ultrapassa os mesquinhos grilhões de seu individualismo, de seu egocentrismo e suas ambições pessoais insaciáveis.

Não será demais dizer, em contrapartida, que cada um de nós tem seu próprio destino, faz seu próprio percurso,  sente seus próprios gostos e entende a roda viva do seu cotidiano com sua própria sensibilidade.
Estamos, pois, diante de um desafio existencial fulgurante:   processar a síntese entre o que somos, o nosso DNA, e o mundo mal resolvido em que vivemos.

Mal resolvido principalmente entre as pessoas que alimentam paranóias imperceptíveis por elas mesmas, padecem da trágica predisposição ao conflito interpessoal, à inveja, à competição insana: paranóias tão agudas que afetam até as relações mais íntimas, no âmbito dos casais, dos irmãos, de pais e filhos, como se possuídas de vírus inoculados por séculos de desgaste da espécie humana, de conflitos estéreis, de relações desiguais com os poderes, com quem tem poder, quem não sabe ganhar, com quem não sabe perder, com quem não consegue viver sem se comparar com rivais produzidos mais em suas traumáticas inseguranças incontroláveis.  

Fiz todo esse preâmbulo para voltar a tocar num assunto que tem revelado grandes vocações, talentos e qualidades humanas. Porque chega a ser comovente para mim, que andei de um lado para outro, que fiz parte do poder público, que fui legislador,  chega a ser emocionante deparar-me com a inocência generosa de quem voluntariamente, sem qualquer interesse menor, sem olho em vantagens eventuais,  sem os ímpetos da fogueira  das vaidades ardentes dedica muito do seu tempo já escasso para elaborar projetos do interesse de todos, de todos nós, rigorosamente.
Não poderia deixar de exprimir toda a emoção que me causou a leitura de dois projetos para a reformulação do sistema de transporte neste espaço onírico que escolhemos para viver com nossos filhos e entes queridos.

São peças lapidadas com os condimentos das mais generosas intenções, com propostas e respostas que saneiam qualquer dúvida. A mais dos números justapostos, esses trabalhos falam do enorme potencial que temos aqui nesta península que não pode perder de vista a grandeza de sua concepção ousada.

Segundo esses estudos, temos tudo para não perder a mais desafiadora de nossas  batalhas – o deslocamento para o trabalho e para a escola com o mínimo desse estresse perverso que faz do trânsito um inimigo declarado de nossa saúde.

Ainda estamos um pouco além do meio caminho andado de que falei após a reunião do dia 21 de fevereiro. Mas sabemos que os conselheiros escolhidos para formatar a melhor alternativa adotaram uma metodologia de trabalho racional e produtiva, abrindo-se a toda e qualquer ponderação, e despojando-se de suas próprias opiniões pessoais para trabalharem com a liberdade e o senso de imparcialidade indispensáveis ao brotar de uma solução salomônica inteligente, abrangente, equânime, exemplar.

Gráfico extraído de um dos estudos elaborados poer vizinhos
CLIQUE nele para vê-lo maior.
Um produto que há de espelhar o conceito de vida num condomínio de bem com a natureza, que ofereça sua própria contribuição pelo entendimento do transporte razoável, sob nossa hegemonia, consultando a todos e a cada um dos moradores, que só terão a ganhar quando puderem trocar 46 carros por um ônibus seguro e confortável. 

Voltarei a falar dessa questão dos transportes logo, logo. Mas antes gostaria que você  passasse a vista nos dois projetos elaborados por vizinhos talentosos e responsáveis, os quais, ao ver deste aposentado que sai de casa cada vez menos, oferecem subsídios preciosos ao entendimento da questão por todos os moradores e aos conselheiros encarregados do documento final.

Favorável ou não à mudança tão necessária -  necessária no mínimo para que se dê um destino mais racional aos R$ 200 mil gastos com ônibus de luxo para trajetos de charretes, você certamente verá que as pessoas envolvidas há mais de três anos nessa causa queimaram a mufa e estão embasadas sob todos os aspectos. São sérias e muito mais competentes do que o monte de políticos muito bem remunerados com quem convivi por tantos anos.

Tanto que nos oferecem as alternativas do transporte condizente sem grandes acréscimos de custos.

Os dois projetos, que se complementam e se encaixam como luvas, estão em PDF na internet nos endereços abaixo.  Basta clicar neles, fazer anotações, se quiser, e mandar seus comentários.

Estudo de viabilidade para a transformação do sistema de transportes da Península
Vivian, Rodrigo e Luiz Anésio

https://docs.google.com/file/d/0B4rRtI0zYBGUU3F5cXMwQmdiYmc/edit

Projeto de Reestruturação do sistema de transporte da Península
Grupo de Transportes, com revisão final de Saulo Loureiro e Cláudia Martins.




90 comentários:

  1. Prezado Pedro,

    Nos conhecemos há muitos anos, jogando aquelas peladas do sitio de Jacarepaguá. Desde aqueles tempos tenho admiração pela pessoa e político honesto que você demonstrou ao longo de tantos anos. Mas mesmo em se tratando de pessoas de quem eu gosto, aí incluo minha mulher e quatro filhos, quando não concordo com seus pontos de vista faço questão de demonstrar essa não concordância.

    Por isso, não fique triste comigo, mas preciso apresentar, pelo seu próprio canal de comunicação com os demais moradores da Península, meu principal ponto de vista que norteia esta questão do transporte coletivo dos moradores da Península,
    que passo a expor:

    Com todo o respeito aos moradores dos outros condomínios da Barra que estão sendo pesquisados, comparar a Península a estes condomínios é demonstrar total desconhecimento das diferenças - e não são poucas - existentes entre eles. O próprio mercado imobiliário reconheceu a principal delas, quando concedeu exclusivamente à Península o prêmio de melhor empreendimento do gênero na cidade, que jamais concedeu aos outros condomínios aos quais estamos sendo "comparados". Nem mesmo o Golden Green, o Riserva Uno e o Residence de Mônaco - considerados condomínios requintados e diferenciados - foram igualmente premiados pela Ademi

    Só para mencionar uma das comparações mais equivocadas, a ABM nem sequer tem características de condomínio, pois trata-se de um conjunto de prédios situados em ruas completamente "abertas", sem a exuberância das nossas estruturas de lazer e paisagismo, sem a nossa tranquilidade e segurança, o que fica comprovado pela diferença de preços dos imóveis situados lá e aqui na Península.

    Quanto ao Rio 2, Pedra de Itaúna etc. quem já teve a oportunidade de conhecê-los pode perceber a diferença de realidades entre seus moradores e principalmente dos próprios imóveis.

    É hipocrisia não aceitar estas diferenças, e querer colocar a capacidade econômica das famílias que moram na Península no mesmo patamar dos demais condomínios comparados. Se nosso condomínio não fosse um lugar bem melhor para se viver porquê então escolhemos morar justamente aqui?

    Concordo que podemos, devemos e estamos fazendo alguns ajustes no nosso sistema de transportes, visando otimizar sua utilização, sem no entanto deixar de pensar que não poderemos "popularizar" este serviço, pois se em nossos condomínios as decisões são tomadas pela maioria, como previsto na legislação específica, não acredito que 7.000 ou mais moradores (a população atual da Península é de mais de 14.000 moradores) deseje uma transformação tão radical do nosso sistema de transportes quanto deseja uma determinada parte, que embora significativa, mas que ainda assim representam juridicamente a minoria dos associados da ASSAPE.

    Como ferrenho defensor da DEMOCRACIA, ex combatente ativo da ditadura, que por isso foi cassado politicamente e é atualmente um anistiado, você deve continuar a defender o direito da maioria, para fazer juz a sua história de 70 anos de vida pessoal e política.

    Aproveito para lhe enviar um abraço e desejar muita saúde e vida longa neste momento em que comemora seu aniversário.

    Silvio Izoton
    Síndico e Conselheiro Comunitário
    Residencial Bernini

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Silvio
      Você tem todo o espaço para escrever sua opinião. Como postou o mesmo texto duas vezes, vou suprimir o segundo.
      No entanto, gostaria de fazer uma observação: lutei muito e paguei com o cárcere, a tortura, a perseguição que me afastou das redações por um largo período para que TODOS TIVESSEM LIBERDADE de pensar, e não para irem a reboque de supostas "maiorias".
      No caso em tela, as referências são de que a maioria é a favor de mudar esse sistema de transporte inócuo e inútil, que é usado na proporção de 1 morador para cada 9 funcionários, por algo que realmente atenda a ambos, moradores e funcionários.
      Você acha que a MAIORIA está satisfeita com esse gasto de R$ 200 mil mensais com ônibus de luxo para micro-trajetos que nunca foram submetidos a um julgamento democrático dos moradores, que só é limitada para alimentar um FAZ DE CONTA que temos ônibus? Você tem notícia de alguma consulta sobre as barcas, implantadas há pouco mais de 4 anos?
      No ano passado, fiz uma enquete no meu blog. E aqui, como você sabe, a liberdade de manifestação É TOTAL E ABSOLUTA. Nada menos de 84% se manifestaram a favor da mudança. Você dirá que o número de votantes é ínfimo, mas ninguém poderá alegar que foi impedido de dar sua opinião.
      Permita-me igualmente, com todo carinho, discordar de sua interpretação sobre uma diferença "social" entre moradores da Península e de outros condomínios.
      Aliás, conhecendo-o como conheci na nossa vizinhança da Freguesia, sabendo que você é um cara vitorioso no seu ramo, fiquei perplexo com sua afirmação seguinte:
      "É HIPOCRISIA NÃO ACEITAR ESTAS DIFERENÇAS, E QUERER COLOCAR A CAPACIDADE ECONÔMICA DAS FAMÍLIAS QUE MORAM NA PENÍNSULA NO MESMO PATAMAR DOS DEMAIS CONDOMÍNIOS COMPARADOS".
      Não sei de onde você tirou essa conclusão que nos põe num patamar superior a todos os demais condomínios da Barra da Tijuca. A Península, amigo, não é feita só daqueles moradores que, como você citou numa reunião, têm até aparato de segurança pessoal. No Bernini tem muita gente a favor da mudança proposta. Alguns dos seus vizinhos, inclusive, já postaram comentários com tal posicionamento aqui mesmo, no nosso CORREIO DA PENÍNSULA.
      Eu moro no Sainth Barth e posso lhe dizer que a idéia dos moradores em sua maioria é bem diferente do que você imagina. Tanto que foi muito expressivo o número de assinaturas no abaixo-assinado colocado sem muita divulgação nas portarias.
      Enfim, grande Silvio, repito o convite para que você venha participar das peladas da Península: será um bom termômetro sobre o que pensa a MAIORIA a respeito de alguns assuntos em nossa comunidade (permita usar essa palavra). Mas não é por isso que defendo uma conquista que se enquadra no melhor conceito de vida condominial na Barra da Tijuca. Se fosse o único a acreditar numa certa idéia, eu curtiria minha solidão com a tranquilidade de que meu SACRIFÍCIO juvenil, em consequência do qual meus filhos mais velhos, hoje muito bem de vida, quase passaram fome, foi exatamente para que houvesse espaço para todos, maiorias ou minorias.

      Excluir
    2. Aproveitando a contra argumentação, pergunto ao Sr Silvio se há transporte mais popular que o nosso atual, considerando que mais de 90% dos usuários são os empregados?
      E só para complementar o seu conhecimento, em TODOS os condomínios onde o abaixo assinado teve livre circulação e ampla divulgação, foram colhidas as assinaturas da MAIORIA das unidades totais.
      Provavelmente o Sr. não deve ter ido à reunião ABERTA da Assape sobre o transporte, pois 99,9% dos presentes levantaram as mãos em favor da reformulação das linhas, incluindo os novos intinerários para Barra da Tijuca, Zona Norte, Zona Sul e Centro da Cidade.
      Portanto, Sr Silvio, creio que o Sr está muito mal informado sobre sua vizinhança...

      Excluir
    3. Sr Silvio,

      Muito interessante seu comentário. Mas, infelizmente, creio que sua ideia da Península está equivocada. Não conheço a ADEMI mas esse "prêmio" não representa que somos melhores, diferenciados... Ou melhor, sabe o que significa na prática para nós moradores? Nada, sinceramente. Nossa curva de valorização do metro quadrado não é a maior da Barra.
      Em relação aos condominios citados, destaco dois que conheço: Pedra de Itaúna e Golden Green. Diversos moradores desses comprariam apartamentos na Península com o pé nas costas (exceção Fontvielle, Mondrian).
      Com todo respeito mas o senhor deveria conhecer melhor a realidade dos moradores da Península. Se existesse um indice de renda per capita, ficariamos atrás de vários condomínios da Barra. Essa visão de uma Península de Milionários, Bilionários é equivocada. Pode ter um ou outro mas não chega a 15% dos moradores.
      Aliás, a Península é um conjunto de condomínios, não é um condomínio. Como exemplo, o sr Claudio, conselheiro, na última revista disse bem claro que somos um bairro. E acredito que cada vez mais nos aproximamos disso, um sub bairro da Barra. Condomínio, com a associação ineficiente, fraca e ditatorial, está muito difícil...

      []s

      Excluir
    4. Bom dia Silvio.
      Sinceramente, acho que moramos em condomínios diferentes. Moro em um condomínio interessante, acessível à classe média alta e classe alta, localizado na Zona Oeste, Barra da Tijuca na fronteira com Curicica. Se pudesse, certamente estaria na orla do Leblon. Ou em Paris! Não posso, vim para a Barra da Tijuca...

      Prêmio da ADEMI é como crítica de cinema. Só serve ao crítico, mais ninguém. Passado o boom de especulação, ao comprar um imóvel, pouco importa quantos prêmios ele já ganhou. Importa se irá atender as expectativas. O Fontvieille, por exemplo, abocanhou diversos prêmios e está lá, mais encalhado do que Ades de maçã.

      Este "conceito" de condomínio é uma armaldilha. Para manter o "conceito", priva-se os moradores de determinados confortos. Os moradores servem ao condomínio e o condomínio não serve aos moradores. O rabo abana o cachorro e vida que segue.

      Tudo para manter o "conceito"que não vende, já que para dar liquidez nos imóveis os corretores anunciam sem o menor pudor que a Península está implantando um sistema de transporte! "Conceito" sem pé nem cabeça, pois vai em detrimento do conforto dos moradores, da segurança do condomínio e da política ambiental!

      Acho que os dois lados distorcem os fatos. Não acho que sejamos uma absoluta maioria no condomínio, da mesma forma que entendo que os que não querem o transporte não são maioria também. Acho sim que existe uma imensa maioria que é indiferente ao tema, assim como existe uma imensa maioria indiferente ao tema de limpeza, manutenção etc. Dos interessados no tema - agora sim - a maioria está interessada em um sistema racional de transporte, que no frigir dos ovos irá beneficiar a todos nós.

      A grande diferença é que existe mais transparência e honestidade do lado dos que desejam o transporte. E aqui não faço nenhuma crítica a você, que me pareceu coerente dentro da sua opinião e transparente ao dar o nome. Me refiro sim aos argumentos absurdos explanados no Blog do conselheiro do Península Way. Me refiro às mentiras e falta de conduta transparente apregoadas pela Conselheira Marília.

      Por fim, sou avesso a todo tipo de autoritarismo. E certas condutas, como das pessoas acima, são atos de autoritarismo, abstraídos de qualquer razão. Mesmo que os interessados não sejam maioria, são uma minoria que paga suas cotas e que apresentam interesses legítimos. A pior conduta é fugir do diálogo e a pior solução é sacrificar a expectativa de uma "minoria", pelo simples fato dela ser uma minoria. Tenho convicção (ou esperança) em um caminho do meio, que certamente vai atender os dois lados.

      Abraços


      Excluir
    5. Visite www.facebook.com/OrdemdosTaxistasdoBrasil

      Excluir
  2. Sempre recebo reclamação das minhas funcionarias quanto ao transporte da península, moro aqui há 4 anos e nunca usei o ônibus. Quem usa são minhas funcionarias. Vejo filas enormes em frente ao atmosfera nos horários de pico. As babas com as quais converso nos parques da península sempre reclamam dos ônibus tb. E fato que esses ônibus atendem bem mais aos funcionários.

    ResponderExcluir
  3. Porfirio, adorei seu texto ! Parabéns !
    Silvio, andar de ônibus nada tem a ver com sua condição financeira, e sim, com sua cultura e preservação do meio ambiente. Eu, como todas as pessoas que conheci na luta pelo transporte, tenho carro e vaga no centro. Mas prefiro ir dentro de um ônibus com 45 pessoas, ocupando menos lugar nas avenidas já tão congestionadas do Rio, usando meu tablet, dormindo, lendo um livro ou "batendo um papo animado" com algum vizinho(a).
    Ontem mesmo conheci um morador da Pedra de Itauna (que, por falar em condição financeira) mora em uma das mansões desse condominio. Ele me disse que sempre foi rigorosamente contra a implantação dos ônibus. Mesmo após implantados nunca se deu ao trabalho de tirar uma carteirinha em seu nome. Até que, pego de surpresa por um problema particular, precisou usar o ônibus para vir ao centro. E, foi a ultima vez que usou o carro para vir ao centro (exatamente há 4 anos atras). Agora, ele lê os emails, os jornais, um livro ou dorme enquanto vem e vai, e nunca mais pensou em vir de carro para o centro. Assim é a vida. Tenho certeza que um dia você poderá mudar sua opinião também !
    Abraços
    Andrea

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Pedro e vizinhos do Peninsula!

    É com muita felicidade que leio o correio do Peninsula hoje. Com certeza a implementacao de linha de onibus para Zona Sul e Centro vai aumentar o nivel de serviço do nosso condominio. Nao consigo entender como existem pessoas contrárias a ideia, ser contra a pagar 50 reais por mes para ter o servico de transporte por achar que "populariza" o condominio?? A ideia é viver isolado numa redoma, numa bolha?? Desculpem o meu desabafo.

    Voltando as propostas colocadas pelos colegas aqui, achei mais interessante o estudo de viabilidade dos colegas Vivian, Rodrigo e Luiz. Atenderia a maioria com certeza! Apenas complementaria com a ideia dos diferentes tipos de carteirinha, para um maior controle (proposta feita pela segundo grupo de colegas).

    Coloco aqui a minha opinião e fico a disposição para ajudar na aprovação do projeto.

    Obrigada!

    Viviane
    Peninsula Smart

    ResponderExcluir
  5. Em primeiro lugar quero cumprimentar você, Pedro, por sua lucidez e texto magnificamente escrito; é sempre um prazer ler o que você escreve. Em seguida, parabenizar os grupos que estão estudando o tema "transporte na Península", pela dedicação e pela seriedade com que estão analisando o assunto e propondo alternativas. E, por último colocar minha posição sobre o que está sendo proposto. Transporte coletivo é uma necessidade nos dias atuais; pelo bem do ambiente, pela tranquilidade e segurança que nos proporciona, pela redução do trânsito caótico de nossas cidades. Nada a ver com condição financeira, status social ou conta bancária. Podemos sim - e devemos - reformular nosso sistema de transporte, a um custo razoável (importante que se pense nisso também) pois apesar de residirmos em um condomínio diferenciado, a classe média já paga impostos demais, tem custos exorbitantes por saúde, educação e outros serviços que deveriam ser gratuitos e de melhor qualidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Comentário de muito bom senso! Compartilho de sua opinião!

      Excluir
  6. Me questiono se o Sr. Silvio Izoton abriu e leu os documentos anexados no final desse post. Depois de ler as 50 páginas do primeiro documento e 13 páginas do segundo, não entendo como alguém pode ser contra a implementação desse serviço que só traz benefícios a todos. Estamos falando de VÁRIOS benefícios: 1) Financeiro (valorização do imóvel e menos gastos com carro próprio); 2) Ecológico (menos carros poluindo na rua); 3) Psicológico (menos estresse no trânsito - possibilidade de ir dormindo na viagem). 4) Segurança (principalmente para as mulheres que dirigem carros importados por aqui que estão sendo alvos dos bandidos). 5) Menos trânsito na cidade. (1 ônibus = 40 carros). Como alguém pode ser contra isso? E como que isso não pode ser comparável com os outros condomínio que já possuem isso implementado? Aqui não somos melhores que ninguém e dependemos igualmente de um transporte que faça sentido.

    Moro na Península a um ano e me sinto ilhado aqui pois tudo é longe e preciso do carro para fazer tudo. Pra piorar a minha mulher não dirige e depende de mim para transportá-la. Quando não estou disponível, ela tem que gastar rios de dinheiro em taxis absurdamente caros e que nem sempre estão disponíveis. (Já tentou chamar um taxi em dia de chuva no horário de rush? Pois é...) Ter esse ônibus para a Zona Sul é essencial para a qualidade de vida de todos aqui. Moradores e funcionários.

    O estudo vai até além e quer implementar um sistema inteligente de visualização dos ônibus pela internet / celular que é uma coisa que eu sempre achei que deveria ter, pois eu vejo os ônibus atuais saindo da Península cheios e voltando com quase ninguém. Afinal, na volta quem vai ficar num ponto esperando por um ônibus que vc não sabe se ta vindo ou se já passou? O trânsito é totalmente imprevisível. Com esse "gap" de 1 hora entre os ônibus, não podemos simplesmente "esperar o próximo".

    Vou até além da reformulação de ônibus, porque acho que esse trajeto da balsa também precisa ser revisto. Pra começar acho que precisamos de um novo deck no shopping Village Mall para já transportar os moradores e funcionários diretamente para a Av. das Américas. Atualmente temos que saltar no Barra Shopping e ir andando em em percurso horrível, sem calçada e perigoso. Eu acredito que esse novo trajeto de balsa para o Village Mall teria um custo adicional para todos os moradores na casa dos centavos ou no máximo o preço de um cafézinho.

    Quando tivermos o metrô em funcionamento na Barra, também acho que temos que ter um transporte por balsa até lá. É uma proposta mais complicada, mas não impossível. Já imaginou não pegar trânsito NENHUM e ainda de cara ganhar uma viagem de balsa super agradável? Um sonho…

    João M.
    Via Bella

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João.

      Sobre a balsa, o diretor geral da Assape, Joélcio, disse na reunião dos transportes que o próprio Village Mall manifestou interesse em associar-se a uma iniciativa, que incluiria até balsas com ar refrigerado. O que poderíamos estudar também é um sistema de balsa para o Jardim Oceânico. Vou comentar a respeito oportunamente.

      Excluir
    2. Caro João, vc poderia passar o seu e-mail para o Porfírio, a fim de que ele nos repasse e possamos entrar em contato com você?
      Atenciosamente,

      Excluir
    3. Pedro, também escutei falar num projeto de balsa até o Jardim Oceânico (Metrô). Será que existe alguma matéria consistente? Procede? De balsa exclusiva ao Metrô e do Metrô à cidade.... Parece interessante, apesar de meio utópico, no meio desta lagoa assoreada e assolada de poluição...

      Excluir
  7. PORFÍRIO,

    PARABÉNS PELO EXCELENTE TRABALHO DE DIVULGAÇÃO!
    DEVO,TAMBÉM, PARABENIZAR OS NOSSOS VIZINHOS PELO ESTUDO DE VIABILIDADE/ PROJETO DE REESTRUTURAÇÃO DO SISTEMA DE TRANSPORTE NA PENÍNSULA.TODAS ESSAS INICIATIVAS DEMONSTRAM A IMPORTÂNCIA DE TERMOS EM NOSSA COMUNIDADE PESSOAS QUE LUTEM PELO BEM DE TODOS, POIS, CREIO QUE A OTIMIZAÇÃO DO TRANSPORTE BENEFICIARÁ A TODOS, E NÃO APENAS AQUELES QUE FARÃO USO DESSE TRANSPORTE, COMO JÁ MENCIONADO NOS PROJETOS CITADOS.
    INDEPENDENTEMENTE DO PERFIL DO CONDOMÍNIO, ACREDITO QUE SEJA MUITO POSITIVA A INICIATIVA. AFINAL, O QUE NOS DIFERENCIA DO INDIVÍDUO QUE RESIDE NO PEDRA DE ITAÚNA, OU NO PARQUE DAS ROSAS, OU, MESMO, ABM?
    CABE, AINDA, INFORMAR, QUE NO MEU CONDOMÍNIO,SAINT BARTH, COMO O PORFÍRIO BEM COLOCOU, MUITOS MORADORES SÃO A FAVOR DO SISTEMA DE TRANSPORTE PARA OUTROS PONTOS DA CIDADE.

    ResponderExcluir
  8. Porfírio,

    Primeiramente, gostaria de parabenizá-lo pelo excelente trabalho em abrir (e manter) um canal de divulgação de informações da nossa Peninsula.

    Realmente não consigo entender a posição de alguns (felizmente poucos) moradores que, deculpem minha franqueza, chegam a se colocar de forma arrogante, se auto-entitulando "diferenciados" dos outros condomínios...

    Tem uma questão que não fecha: Por quê justamente essas pessoas "financeiramente superiores" se recusam a pagar "qq coisa a mais" por uma melhoria do transporte ? É pelo "custo a mais" ou porque acham que os "demais" não merecem essa atenção ?

    Ou ainda: Será que alguém em sã consciência realmente acredita que entupir a cidade de carros é melhor que usar transporte coletivo ?

    Desculpem o desabafo, mas entendo mais facilmente argumentos matemáticos.... Entendo que proprietários de unidades não vendidas não sejam favoráves à reestruturação. Isso faz sentido e há que se respeitar.

    Mas os argumentos que tenho visto nas reuiões não parecem lógicos.

    Recentemente me deparei com uma carta aberta que menciona números incoerentes até um pouco alarmistas.

    Entendo e respeito a opnião de todos, só acho que precisamos buscar um pouco mais de racionalidade.


    ResponderExcluir
  9. Pedro, parabéns pelo trabalho, ainda vou ter o prazer de conhecê-lo pessoalmente.

    Agora é engraçado: tem dinheiro? Se acha diferenciado?

    Vai morar no Jardim Pernambuco.

    ResponderExcluir
  10. Não sou contra a reformulação mas acho que os 2 trabalhos apresentados não refletem a realidade. Vcs acho que a oferta de 132 assentos(3 viagens)para as pessoas que necessitam chegar a Centro às 8 horas da manhã são suficientes? Baseado em que foi feito esse dimensionamento?Falta embasamento técnico.
    Outra coisa é tratar empregados como seres inferiores,pois esses serão os últimos a embarcarem nos ônibus e só entrarão se tiver lugares disponíveis.
    Já tentei pegar o ônibus Para o Via Parque por volta da 16 hs, com o ponto cheio,desisti pois em momento algum passou pela minha cabeça passar na frente daquelas muitas pessoas que depois de um dia de trabalho queriam chegar em casa para um merecido descanso.
    Enfim, os trabalhos são interessantes mas tecnicamente bem fracos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só para esclarecer: a lei natural do deslocamento faria com que empregados e moradores usassem os ônibus em situações opostas: quando os empregados estão chegando, os moradores estão indo ao trabalho e vice versa. Aliás, como citou o João,do Via Bella, é comum deparar-se com ônibus cheios, indo, e vazios, voltando.

      Excluir
    2. Prezado vizinho anonimo,

      Aguardamos sinceramente e ansiosamente o seu trabalho.

      Uma humilde sugestão: pesquise, ao menos, como funcionam outros condomínios que possuem esse serviço.

      "Para que se pense que são sábios, eles criticam até o céu." (Fedro)


      um abraço

      Excluir
    3. Prezada vizinha,
      Entendemos a sua preocupação com o dimensionamento da demanda, contudo, é necessário que seja feito um breve esclarecimento.

      Os projetos apresentados, como se pode verificar através de leitura das considerações inicias do segudo, tem um principio norteador que é : disponibilizar o transporte para o Centro, SEM QUE SEJA AUMENTADA A TAXA DA ASSAPE, ou que se houver aumento, que seja mínimo.

      Visam melhorar o tranporte que nós temos hoje, usando o mesmo orçamento. Buscam OTIMIZAR, reorganizar, melhorar a nossa realidade...

      Hoje nosso transporte disponibiliza ZERO assentos para o Centro/Zona Norte/Zona Sul. Com o mesmo orçamento pretendemos disponibilizar o máximo de assentos possível!!!! (Disponibilizar 132 assentos já seria uma melhora significativa.....)

      Por essa razão, nos dois projetos, há a preocupação de que exista um número limite de carteras por unidade residencial. E é atraves desse limite e do controle rígido da emissão das carteiras, que poderá ser feita essa reestruturação, SEM CUSTO EXTRA para os associados.

      Uma reestruturação que pretende melhorar , inclusive o transporte dentro da Barra da Tijuca.

      De qualquer forma, críticas e sugestões são sempre muito bem vindas, pois é através da critica, construtiva e inteligente, que novas e criativas soluções são obtidas.

      Atenciosamente,
      Claudia

      Excluir
  11. ... Se os trabalhos são fracos, acredito que as pessoas que, como todos nós, têm familias, tempo escasso, etc adorariam a colaboração dos demais moradores para ajudar no detalhamento técnico. Até porque, pelo menos até há bem pouco tempo atrás, nenhum deles teve apoio formal da ASSAPE.

    Não quero polemizar, mas acho que as críticas poderiam ser "repensadas" como apoio, sugestões ....

    Com apoio, as propostas teriam o necessario embasamento técnico, com certeza.

    Sugiro, também, que se questione aqui o "embasamento" que foi utilizado na recente carta aberta, que alega que teremos mais de 20 ônibus na peninsula, ou ainda o que fundamentou que o custo será astronômico.

    Estranho que só se questione embasamento técnico para o projeto de mudança....

    .. Talvez porque do jeito que está já sejá ótimo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado anônimo
      Não é uma crítica , apenas uma observação.
      Atualmente está péssimo e como proposto vai continuar péssimo.
      Se implantarem o que está proposto vc vai var que tenho razão. A ASSAPE só quer dar a resposta prometida.Não importa se vai ficar bom ou ruim.
      Na teoria vamos ter transporte para o Centro mas se vamos conseguir utilizar, não sabemos.

      Excluir
    2. Após ler as duas propostas, gostaria de parabenizar os autores. Claro que tem pontos a ser melhorados mas ficaram muito bons, muito melhor do que o sistema atual Com alguns ajustes, poderiam ser implementados, são viáveis. Que o grupo de conselheiros consiga chegar numa proposta final melhor ainda.

      Infelizmente, as pessoas preferem criticar do que propor soluções, colocar a mão na massa. É mais fácil, não é? Quem não concorda com as soluções propostas poderia apresentar o seu projeto.

      Excluir
  12. Davi Miranda (Mandarim)20 de março de 2013 15:05

    Pedro,
    Muito boa a iniciativa de disponibilizar esses documentos aqui. Eu mesmo elaborei uma sugestão (muito mais modesta e simples que as apresentadas!), mas simplesmente não consegui deixá-la na sede da ASSAPE, por conta da minha rotina de horários! Está à disposição dos interessados.
    Aproveito, então, para comentar construtivamente as propostas, de forma que os próprios autores avaliem. Já adianto que, em minha opinião, propostas muito bem elaboradas e estudadas, complementares em muitos pontos, que certamente contribuirão para o trabalho do grupo responsável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PROJETO DE REESTRUTURAÇÃO (Saulo e Claudia)
      - Creio que o tempo de volta do ônibus circular interno está superestimado. Os 15min propostos são quase o tempo gasto por um praticante de corrida (eu mesmo faço em 17 ou 18min e sou ultrapassado tranquilamente pelos ônibus atuais). Acho que 10min seria mais próximo do real e poderia-se utilizar apenas 1 veículo. Mas será uma boa solução essa baldeação para o transporte exterior? Eu particularmente não vejo problemas, mas é preciso avaliar.
      - Muito boa a ideia de ampliar a linha Via Parque até o Barra Shopping. Mas neste caso creio que o tempo de volta foi subestimado. Mesmo considerando que essa linha não dará a volta interna na Península (pelo que entendi esse será o papel da linha circular interna), acho que 15min seria mais realista, principalmente considerando algum trânsito em frente ao Via Parque e em frente ao Barra Shopping, além do tempo de embarque e desembarque. Mas o dimensionamento de 2 veículos é correto, assim como a diminuição em fins de semana.
      - A linha Barra Circular tem uma boa ideia de unificar as linhas existentes hoje e de inverter seu sentido no fim do dia (mas creio que deveria ser entre 16hs e 20hs, pois o ônibus que sai às 17hs da Península, como proposto, só chegará à Av. das Américas voltando depois de pelo menos 30 ou 40min, ocasionando grande espera de quem sai às 17hs do trabalho). Percebi que a linha não contempla a Av. Ayrton Senna, o que é uma falha grave, já que há diversos pontos de interesse ali (escolas e academias, por exemplo). Tempo de volta e dimensionamento adequados.
      - Creio que o melhor dimensionamento para a linha Centro seria de 5, e não 4 veículos.
      - Muito interessante a preocupação com a redução dos ônibus nos fins de semana e horários de pouco movimento. É sempre necessário uma gestão e controle constante para verificar aumento e diminuição de demandas por motivos diversos e não controláveis, ajustando a oferta de veículos. É importante incluir o estudo de diminuição de frota em períodos de férias e feriados prolongados, quando muitos não trabalham. As economias acumuladas nessas datas isoladas podem representar bastante ao longo de um ano de contrato.
      - Não sei se a oferta de ônibus 24hs é necessária e interessante. A avaliar.
      - Creio que a prioridade de proprietários no uso dos ônibus é uma questão polêmica, ou até mesmo proibida, por questões de expor pessoas a constrangimento ou mesmo ser considerada prática discriminatória. A avaliar.
      - Achei a política de carteiras bastante confusa, com muitas regras e detalhes. Sou a favor de uma solução mais simples e de entendimento fácil por todos. É preciso lembrar que os motoristas e fiscais terão de lidar com isso todo o tempo, e essas variações de tipos de carteiras e horários permitidos possivelmente causarão confusão. Minha proposta (que, lembro, não apresentei, mas está à disposição), por acaso tem um viés forte nessa questão de carteiras e considero que apresenta uma solução viável até mesmo para aqueles que não se interessam ou são contra o transporte de longa distância na Península. Em resumo, cada unidade teria direito a 2 carteirinhas. E em caso de interesse por mais carteirinhas, pagaria um valor mensal viável (em torno de R$100,00 cada, lembrando que o gasto em um ônibus comum fica em R$121,00 mensais). É bastante similar à outra proposta postada aqui no blog.
      - O quadro de horários/itinerários precisa ser revisto, pois encontrei alguns erros e também considerei alguns tempos de viagem muito subestimados, o que causaria atraso em cascata nos horários seguintes do mesmo veículo (exemplo: Ônibus C saindo às 6:45, passando pelo Fundão e chegando ao Centro às 7:45 não é real. Ou o tempo de volta do Centro via Zona Sul em apenas 1 hora). Mais uma vez, buscando simplicidade, seria interessante que as saídas fossem regulares (meia em meia hora, por exemplo), facilitando a compreensão pelos usuários e o controle pelos fiscais.

      Excluir
    2. ESTUDO DE VIABILIDADE (Vivian, Rodrigo e Luiz Anésio)
      - A proposta apresenta muitos argumentos de convencimento, um estudo comparativo com os sistemas de outros condomínios e uma proposta financeira bastante viável, inclusive com a política de carteirinhas. A proposta é muito similar à que elaborei, inclusive.
      - A grade de horários precisa muito ser revista, pois ignora a opção da Linha Amarela (que é muito mais rápida para quem se destina ao Centro) e tem horários e intervalos irregulares, o que atrapalha o entendimento geral. Por outro lado, as previsões de duração das viagens está bastante realista.

      Excluir
    3. Pedro, agradeço se puder levar minhas sugestões aos autores das propostas, sempre com o intuito de melhorar o trabalho e me colocando à disposição para conversas sobre o assunto.
      Obrigado!

      Excluir
    4. David
      Muito bom, como sempre, seu comentário, analisando ponto por ponto. Lembro que você foi a primeira pessoa a me sugerir tratar do assunto dos transportes.
      Gostaria de conhecer o seu estudo. Mande para o meu e-mail em cópia, pode ser Word ou PDF, que disponibilizarei na internet.
      Embora tenha passado do prazo (15 de março) creio que os conselheiros encarregados gostarão também de receber seu documento.
      Cordialmente
      Pedro Porfírio

      Excluir
  13. Caro Porfírio,
    Gostaria de parabenizar você pelo belíssimo texto e agradecer a você pelas suas tão gentis palavras.

    Aproveito o espaço para divulgar o e-mail do grupo, a fim de que os que desejarem participar mais ativamente de nosso movimento possam entrar em contato: onibuspeninsulacentro@gmail.com.

    Por fim, agradeço, em nome de grupo, as palavras de incentivo, bem como as criticas e reitero o que disse acima: criticas e sugestões são sempre muito bem vindas, pois é através da critica, construtiva e inteligente, que novas e criativas soluções são obtidas.

    Cordialmente,
    Claudia Martins(onibuspeninsula.atmosfera@gmail.com)

    ResponderExcluir
  14. Prezados Vivian/Rodrigo/Luis Anésio,

    Para entender a proposta de vocês, qto ao custo, gostaria que me esclarecessem os conceitos de:
    Unidades entregues: 3741
    Associados Pagantes: 6243
    (Custo por) Associado Assape: 39,24 (em um dos quadros)

    O conceito de Unidades entregues creio referir-se a Apartamentos entregues.
    Mas o que são esses Associados Pagantes e Associados Assape?

    Esse valor de R$ 39,24 seria o valor mensal?
    E mais, esse valor seria por Apto ou seria multiplicado pelo nº de moradores do Apto que estão inscritos (associados?) na Assape? Nesse caso o custo pode multiplicar-se várias vezes.

    Isso para mim não está claro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Indo direto ao ponto:

      1. Associados pagantes:  além da contribuicao dos proprietarios dos aptos entregues, a ASSAPE recebe contribuicao dos incorporadores pelos imoveis ainda em construção a titulo de custeio das despesas que estas construcoes impoem à Peninsula. O estatuto estabelece um criterio para estabelecer uma quantidade equivalente de aptos por terreno em obra. Assim, a qtde de associados pagantes é o resultado desta qtde mais o total de aptos já entregues.2. O valor de R$ 39,24 é por associado pagante da ASSAPE (ou apto), independente do numero de moradores por apartamento.

      Grato pela atenção e compreensão das dificuldades que encontramos para realizar o trabalho com o sacrificio pessoal e voluntário de cada um da equipe com destaque para a Vivian e Rodrigo.
      A maior contribuicao do projeto foi mostrar aos moradores que, com seriedade, pode-se fazer um bom trabalho, mesmo sem contar com a consultoria da COPPE.
      O resultado final pode e deve ser melhorado se juntado aos demais projetos entregues e outras contribuições, dadas aqui mesmo. Mas, para isto, é necessária uma equipe séria dedicada ao assunto.

      Luiz Anesio - Style

      Excluir
  15. o Sr Silvio é imortal acha que ter dinheiro é tudo, e diferenciado, respira coco do mangue e se acha o maximo, ridiculo

    ResponderExcluir
  16. ridiculo a administração do life, onde a administradora destrata claramente os moradores, quem tem dinheiro ela "puxa o saco" quem não tem tanto, como o Sr Silvio, ela sequer da atenção, protege funcionarios, o vestiario ocorre de tudo, porque tambem não se preocupam com isto, porque o sindico de la não ve isto, ate roubo a aptos no setimo andar ocorreu, ou seja, a segurança e dignidade e educação não esta no dinheiro e sim no carater, se comparam a condominios onde duvido que teria dinheiro sequer para comprar algo, é muito ridiculo, eu já denunciei varias vezes o life e simplesmente sem resposta e assim vai, é a porta de entrada

    ResponderExcluir
  17. Meu Deus... passei os últimos 10 minutos lendo esses comentários que falam em transporte. Neste ínterim passaram 3 ônibus fazendo um barulho ensurdecedor, além de um helicóptero. Isso aqui vai mesmo virar uma rodoviária... Por mim não teria ônibus nenhum, só lá fora. Sei que é inviável, mas seria o Éden. Pobres crianças que não poderão mais andar de bicicleta sem medo, pobres idosos que cochilavam na varanda, fora os doentes. Com esse barulho de rodoviária adeus silêncio. Faltou falar nos pilotos de fórmula 1 do condomínio, que não tem apreço ou respeito pelos demais que estão do lado de fora de seus barulhentos carrões. Isa - Aquarela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Isa,

      Vc tem razão qto às suas considerações mas temos uma realidade para ser vivida e pessoas mais iluminadas já disseram q o mistério da vida está em encontrarmos um ponto de equilíbrio entre os extremos deixando aos nossos herdeiros um mundo onde possam viver com um minimo de qualidade de vida na hora que partirmos para o Éden.
      Deus a abençoe e tenha um bom final de semana com sua família.

      Luiz Anesio - Style

      Excluir
  18. Porfírio, seu blog é um espaço super democrático, mas as pessoas deviam saber que chamar os outros de ridículos por exporem suas ideias é de fato ridículo...
    Sr. Silvio, eu o parabenizo por ser fiel aos seus pensamentos. Errados ou certos, são seus. Em momento nenhum vc ofendeu pessoas.
    Isa-Aquarela

    ResponderExcluir
  19. Parabéns pela matéria e grato pelo carinho. É um privilégio termos vc por aqui, brindando-nos com sua generosidade e bom senso. Deus o abençoe!

    Luiz Anesio - Style

    ResponderExcluir
  20. Silvio e Isa, tenho pena de vcs dois, sem ofensas, desejo que Deus os ilumine...

    ResponderExcluir
  21. Prezado Pedro!
    Apesar do respeito que tenho por sua idade, muito me decepcionou a sua conduta no sentido de se declarar um democrata e, se negar a colocar em sua blog, dito democrata, a nossa carta aberta as moradores da Península, você nos disse que colocaria e, subvertendo a sua promessa e conveniências, não colocou até o presente momento!
    Não chamaria esta sua atitude de DEMOCRÁTICA...como jornalista nunca esperei que voce fosse capaz de uma atitude restritiva destas.....respeitamos o posicionamento dos moradores que gostariam de implantar na Península, o tipo de transporte existente em outros condomínios que realmente não se comparam a Península!
    Solidariamente ao posicionamento do sr. Silvio, lamentamos que pessoas que conseguiram, só Deus sabe como, adquirir um imóvel aqui, e que, estejam tao empenhados em implementar esta aberração aqui, não tenham se dirigido aos condomínios que já possuíam em sua concepção, ônibus para o Centro ou para quaisquer outro lugar, que não o concebido no estatuto da Península e, ao qual, todos QUEIRAM OU NÃO, ESTÃO ADSTRITOS!
    Nós os moradores que não querem a existência desta aberração aqui, estamos mobilizados e faremos frente a toda e qualquer iniciativa desta minoria que, deseja impor a maioria absoluta, uma despesa injusta e contrária aos seus interesses!
    Em breve demonstraremos em números que, a maioria repudia esta proposta e que as mentiras perpetradas por estas pessoas que inclusive se escondem em cartas e comunicados " apócrifos", aos moradores, sem a coragem moral de assumir a autoria das mentiras que estão vendendo aos moradores, são apenas, falácias desprovidas de qualquer verdade ou fundamento fático, diferentemente das que foram apresentadas em Carta Aberta aos Moradores.
    No final, a verdade e a democracia prevalecerão sobre as mentiras dos oportunistas!
    Gilson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria que o sr Gilson anexasse o comentário acima em sua carta aos moradores. Ajudaria as pessoas a conhecerem a conduta lamentável do autor da carta, além de espalhar inverdades não gosta de seus vizinhos => " lamentamos que pessoas que conseguiram, só Deus sabe como, adquirir um imóvel aqui,"

      Excluir
    2. Só para esclarecer:
      Não vai ser você, Gilson, que vai me ensinar a ser democrata.
      Assim como recebi sua carta e pus na internet, recebi também uma resposta à mesma, acusando-o de fazer terrorismo com números incorretos.
      Achei mais sadio não publicar nenhuma das duas. Pois seria incoerência publicar uma e não publicar a outra. E isso não vai ajudar a elucidar nada. Só acirrar os ânimos.
      Sobre comentários, há anônimos de ambos os lados. Excluí dois que estavam muito grosseiros em relação ao pessoal da Assape. E excluirei todos os que cometerem excessos, mas não vou obrigar ninguém a se expor.
      Sem mais
      Pedro Porfírio

      Excluir
    3. Sr. Porfírio,

      excelente seu posicionamento! Parabéns!!!!!

      Excluir
    4. Porfírio, sua conduta é irrepreensível! Apoiado!

      Excluir
    5. É, sr Gilson...

      Causa-me profundo estranhamento não ver sequer 1 só comentário em sua defesa, da tal "maioria" da qual o sr acha que faz parte. Acho que, diante de tantos comentários contra sua atitude preconceituosa e agressiva, ficou bem claro quem é maioria e quem é minoria, né?
      Portanto, na boa, enfia sua violinha no saco e aguarde os próximos capítulos...

      Excluir
    6. GRUPO DE REFORMULAÇÃO DO TRANSPORTE DA PENÍNSULA26 de março de 2013 23:05


      RESPOSTA AO COMENTÁRIO ACIMA - PARTE 1

      "Ao Senhor Gilson, comandante da Marinha (aposentado) e Ao Senhor Gilson Advogado Especialista em Direito Empresarial, morador do Condomínio Aquarela.
      Dirigimo-nos desta forma, pois o senhor assim anunciou-se para todos os presentes quando da sua presença, recebida de forma democrática e respeitosa, em nossa reunião dia 02 de fevereiro de 2013 , no Condomínio Quintas da Península, do Grupo de Reformulação do Transporte da Península.

      Primeiramente, eu quero confirmar junto a V.Exa. a autenticidade da carta abaixo, publicada em veículo de comunicação e assinada apenas com o nome de " Gilson", se é da sua autoria e consequentemente da sua única e total responsabilidade ?

      A CARTA :
      "Prezado Pedro!
      Apesar do respeito que tenho por sua idade, muito me decepcionou a sua conduta no sentido de se declarar um democrata e, se negar a colocar em sua blog, dito democrata, a nossa carta aberta as moradores da Península, você nos disse que colocaria e, subvertendo a sua promessa e conveniências, não colocou até o presente momento!
      Não chamaria esta sua atitude de DEMOCRÁTICA...como jornalista nunca esperei que voce fosse capaz de uma atitude restritiva destas.....respeitamos o posicionamento dos moradores que gostariam de implantar na Península, o tipo de transporte existente em outros condomínios que realmente não se comparam a Península!
      Solidariamente ao posicionamento do sr. Silvio, lamentamos que pessoas que conseguiram, só Deus sabe como, adquirir um imóvel aqui, e que, estejam tao empenhados em implementar esta aberração aqui, não tenham se dirigido aos condomínios que já possuíam em sua concepção, ônibus para o Centro ou para quaisquer outro lugar, que não o concebido no estatuto da Península e, ao qual, todos QUEIRAM OU NÃO, ESTÃO ADSTRITOS!
      Nós os moradores que não querem a existência desta aberração aqui, estamos mobilizados e faremos frente a toda e qualquer iniciativa desta minoria que, deseja impor a maioria absoluta, uma despesa injusta e contrária aos seus interesses!
      Em breve demonstraremos em números que, a maioria repudia esta proposta e que as mentiras perpetradas por estas pessoas que inclusive se escondem em cartas e comunicados " apócrifos", aos moradores, sem a coragem moral de assumir a autoria das mentiras que estão vendendo aos moradores, são apenas, falácias desprovidas de qualquer verdade ou fundamento fático, diferentemente das que foram apresentadas em Carta Aberta aos Moradores.
      No final, a verdade e a democracia prevalecerão sobre as mentiras dos oportunistas!
      Gilson"

      No caso da sua resposta afirmativa , ou seja , caso realmente a V.Exa. seja o único autor e responsável desta carta, permita-nos lhe esclarecer e comentar , sobre alguns pontos.

      Primeiramente, para seu conhecimento, permita-nos apresentar um pequeno "Glossário". As palavras não estão em ordem alfabética.

      Glossário:

      - Aberrar
      v.i.. e v.pr. Afastar-se. Desviar-se da norma, da verdade; errar.

      - Aberração
      s.f. Ação ou efeito de aberrar. Deslocação/deslocamento aparente da imagem de uma estrela num telescópio. Conjunto de defeitos dos sistemas ópticos que não dão imagens nítidas:

      - Adstrito
      adj (lat adstrictu) Dependente, estreitado, ligado, preso, submetido.

      - Apócrifo
      adj. Não autêntico, que não é do autor a que se atribui. Duvidoso, suspeito: documentos apócrifos.

      - Arvorar
      V.pr. Assumir por vontade própria qualquer título ou missão: arvorar-se em defensor dos fracos.

      - Benesse
      s.m e s.f. Emolumento paroquial - gratificação recebida pelos eclesiásticos, pé-de-altar. Benefício, ganho, vantagem recebida sem trabalho ou empenho.

      - Bisonho
      adj. Pouco experiente em alguma coisa; novato, principiante; inábil.

      - Semelhante ( no caso onde a V.Exa aplica o termo trata-se de um adjetivo )
      adj. Que tem semelhança com outrem ou outra coisa; parecido, próximo, similar, quase igual: produtos semelhantes.

      CONTINUA

      Excluir
    7. GRUPO DE REFORMULAÇÃO DO TRANSPORTE DA PENÍNSULA26 de março de 2013 23:09

      .. RESPOSTA AO COMENTÁRIO ACIMA - PARTE 2:

      - Igual ( sendo aplicado também como um adjetivo )
      adj. Mesma natureza, quantidade, qualidade: duas quantidades iguais a uma terceira são iguais entre si. Idêntico. Que não varia: temperatura igual.

      - Idêntico ( sendo aplicado também como um adjetivo )
      adj. Que se apresenta perfeitamente igual a outro ou outros: seres idênticos. Que está compreendido sob a mesma ideia: proposições idênticas.

      - Paradoxo
      s.m. Contradição, pelo menos aparente: falo melhor quando emudeço. Ausência de nexo ou lógica. Opinião contrária à opinião comum. Ideia fundamentada ou apresentada de forma coerente, mas que possui subentendidos contraditórios à sua própria estrutura.

      - Pueril
      adj.m e adj.f. Que se refere à infância; infantil: ato pueril. Conotativo . Quem tem comportamentos ou pensamentos infantis, sem valor: argumento pueril. (Etm. do latim: puerilis.e)

      - Sinédoque
      s.f. Retórica Tropo fundado na relação de contiguidade e que consiste em tomar a parte, pelo todo .

      - Retórica ( sem a interpretação pejorativa, dada a palavra em algumas frases e/ou circunstâncias, ou seja, a sua pura definição )
      s.f. Filosofia. Arte de bem falar, de valer-se da eloquência ou da argumentação clara para se comunicar. Retórica. Reunião de regras relativas à eloquência: a retórica era valorizada ao extremo entre os antigos. Livro ou acordo que contém essas regras. Retórica. Na Idade Média referia-se a uma das três matérias, lecionadas em universidades, que caracterizava o trivium. Classe em que se ensinava essa matéria.

      - Tropo
      s.m. Retórica Qualquer figura em que se empregam palavras com um sentido diferente do habitual: a metonímia e a metáfora são tropos.


      Isto posto, repito, admitindo que a suposta carta acima citada é da sua autoria, permita-me fazer alguns comentários ;


      1º) A V. Exa. afirma no texto, de sua suposta autoria ;
      " Não chamaria esta sua atitude de DEMOCRÁTICA...como jornalista nunca esperei que voce fosse capaz de uma atitude restritiva destas... "

      Comentário : A V.Exa, manifestadamente exibe uma veia democrática, e a clama por tratamento democrático.

      Gostaríamos de saber se quando da veiculação da sua carta ( a que foi colocada em alguns escaninhos, em alguns Condomínios da Península) em um determinado Condomínio da Península, onde a Síndica não permitiu igual tratamento ao Grupo de Transporte, a V.Exa teve a preocupação e disse a mesma que ela deveria também permitir o mesmo tratamento ao Grupo de Transporte, caso este respondesse a vossa carta, com o objetivo de corrigir a sua carta repleta e imprecisões técnicas graves ?

      A sua veia democrática manifestou-se de forma tão efusiva, fervorosa e clamante ?


      2º) A V. Exa. afirma no texto, de sua suposta autoria ;
      " ... respeitamos o posicionamento dos moradores que gostariam de implantar na Península, o tipo de transporte ... "

      Comentário: A pessoa que respeita , não respeita apenas uma parte, e sim o todo. A vida em sociedade não é uma sinédoque. As frases que se seguem ( no texto acima ) , supostamente seu, demonstram claramente a ausência de respeito para com estes " ... moradores que gostariam de implantar na Península ... " .

      Excluir
    8. GRUPO DE REFORMULAÇÃO DO TRANSPORTE DA PENÍNSULA26 de março de 2013 23:12

      RESPOSTA AO COMENTÁRIO ACIMA - PARTE 3:

      3º) A V. Exa. afirma no texto, de sua suposta autoria ;
      " ...o posicionamento dos moradores que gostariam de implantar na Península, o tipo de transporte existente em outros condomínios que realmente não se comparam a Península ! "

      Comentário : Como pode a V.Exa fazer tal afirmação, e depois veicular através de carta de sua autoria, colocada em alguns escaninhos de alguns Condomínios que pertencem a Península, afirmando que o que acontece nos outros Condomínios, acontecerá aqui na Península !

      Todos os Condomínios e a Península tem o mesmo perfil de usuário, pois todos são iguais ! Afinal a Península é ou não é igual, aos outros Condomínios ?

      O idioma pátrio diz que "coisas que não se comparam é porque não são iguais " , ou serão iguais para V.Exa para sua única e exclusiva conveniência de argumentação, e que não tem qualquer comprovação técnica, pois a V.Exa , e nem ninguém, atualmente, conhece o número real de possíveis moradores que irão para o Centro da Cidade ?


      4º) A V. Exa. afirma no texto, de sua suposta autoria ;
      " ... lamentamos que pessoas que conseguiram, só Deus sabe como, adquirir um imóvel aqui ..."

      Comentário : queremos ingenuamente crer que a V.Exa valoriza as pessoas que aqui adquiriram, aqui, um imóvel, pois o dinheiro destas é fruto de seus trabalhos e não de benesses de qualquer ordem, municipal, estadual ou federal, ou dinheiro de origem duvidosa, pois com toda certeza não estariam engajadas em criar uma estrutura adequada e séria de "ônibus para o centro".

      Circulariam em seus carros particulares, com motoristas e/ou em carros patrocinados pelo governo municipal, estadual ou federal, e demais benesses do gênero.


      5º) A V. Exa. afirma no texto, de sua suposta autoria ;
      " ...adquirir um imóvel aqui, e que, estejam tao empenhados em implementar esta aberração aqui ... "

      Comentário: O termo "aberração" , não se aplica no seu texto ! Aplicar o termo aberração, implica que : o que é certo e correto é conhecido, e não é o caso ! Qual é o certo ? Qual é o correto ? Qual é a verdade ?

      Absolutamente ninguém, e nem a V.Exa conhece. Nada, atualmente, foi definido como modelo exemplar de Transporte para o Centro em qualquer Condomínio da Barra da Tijuca, o que não significa dizer que este modelo não exista ! Este modelo é apenas desconhecido por nós !


      6º) A V. Exa. afirma no texto, de sua suposta autoria ;
      " ... aberração aqui, não tenham se dirigido aos condomínios que já possuíam em sua concepção, ônibus para o Centro ou para quaisquer outro lugar, que não o concebido no estatuto da Península e, ao qual, todos QUEIRAM OU NÃO, ESTÃO ADSTRITOS! "

      Comentário: Mais uma vez o seu paradoxo ! Afinal a Península é ou não é igual, aos outros Condomínios ? A Península só é igual aos outros Condomínios, em função da sua conveniência, da sua vontade, para dar veracidade aos seus argumentos ? O fato de "estar adstrito", ou trocando em português ao alcance dos leigos, "estar submetido" ao estatuto, não significa dizer que ele é imutável ! Sim, podemos mudar o estatuto , caso seja necessário !

      A propósito, caso a V.Exa possa relê-lo irá verificar que não existe qualquer contrariedade quanto ao Transporte para o Centro, e sim não existem definições técnicas sobre algumas colocações.

      Pergunta : A palavra bisonho (que é uma palavra muito usada no exército), caberia a sua aplicação no caso do estatuto ? É apenas uma pergunta, jamais faríamos tal afirmação. Ou a redação foi feita desta forma , intencionalmente ?


      CONTINUA...

      Excluir
    9. GRUPO DE REFORMULAÇÃO DO TRANSPORTE DA PENÍNSULA26 de março de 2013 23:13

      .. RESPOSTA AO COMENTÁRIO ACIMA - PARTE 4:

      7º) A V. Exa. afirma no texto, de sua suposta autoria ;
      " Nós os moradores que não querem a existência desta aberração aqui, estamos mobilizados e faremos frente a toda e qualquer iniciativa desta minoria que, deseja impor a maioria absoluta, uma despesa injusta e contrária aos seus interesses! "

      Comentário : Quanto à " aberração ", já lhe informamos ! A V.Exa se arvora o "dono da suprema verdade sobre o transporte para o centro", sem qualquer , absolutamente qualquer embasamento técnico e perfil do usuário da Península. Mais uma vez ; Afinal a Península é ou não é igual, aos outros Condomínios ?

      A V.Exa se arvora o "dono da suprema verdade ", quanto ao real número de desejosos do transporte para o centro, não necessariamente eles serão usuários !

      A V.Exa se arvora o "dono da suprema verdade ", quanto a certeza de que a V.Exa faz parte da maioria absoluta que não quer a implantação de ônibus para o centro.

      Perdoe, mas isto é uma visão, somente sua, e não um número baseado em fatos e pesquisa !

      A V.Exa deixa clara e de forma pueril, que quer influenciar os potenciais leitores " na marra ", com " a sua já citada carta distribuída em alguns Condomínios" , repleta de comparações com a Península, que na sua própria opinião, e citado no texto acima, "não se compara".

      A V.Exa se arvora o "dono da suprema verdade ", do possível custo/despesa que será feita, sem apresentar qualquer número que corresponda a Península, baseado em estudo sério, e com comprovação através de fatos, ou seja, apenas devaneios e especulações.


      8º) A V. Exa. afirma no texto, de sua suposta autoria ;
      " Em breve demonstraremos em números que, a maioria repudia esta proposta e que as mentiras perpetradas por estas pessoas que inclusive se escondem em cartas e comunicados "apócrifos", aos moradores, sem a coragem moral de assumir a autoria das mentiras que estão vendendo aos moradores, são apenas, falácias desprovidas de qualquer verdade ou fundamento fático, diferentemente das que foram apresentadas em Carta Aberta aos Moradores.
      No final, a verdade e a democracia prevalecerão sobre as mentiras dos oportunistas! "

      Comentário: O termo "apócrifo(s)" , não se aplica no seu texto ! O motivo é simples: tem pelo menos 2 estudos, repetindo, 2 estudos feitos por moradores que participam do "Grupo em Favor da Reformulação do Transporte da Península" com nome(s) e data de protocolo na ASSAPE, portanto são autênticos e tem autor(es), pelo que se sabe V.Exa não protocolou qualquer estudo em contrário, apenas uma pseudo estatística de outros Condomínios.

      A V.Exa faz uma série de acusações do tipo " mentiras perpetradas", " se escondem", " sem a coragem moral", mais uma vez "autoria das mentiras " , " mentiras dos oportunistas", uma suma, uma coleção de acusações graves e pueris, com a nítida vontade de manipular a opinião dos potenciais leitores com "bravatas de efeito" .

      Quando acusamos alguém temos que provar, e V.Exa nada provou e nem poderia, pois estas provas não existem e jamais existirão !

      Coragem vai muito além de chefiar ou comandar um grupo de pessoas em território nacional ou estrangeiro. A coragem é uma qualidade que tem origem no equilíbrio emocional , a pessoa sabe o que está fazendo e conhece as consequências. O louco não é corajoso , é um inconsequente! As bravatas por sua vez ... .



      CONTINUA...

      Excluir
    10. GRUPO DE REFORMULAÇÃO DO TRANSPORTE DA PENÍNSULA26 de março de 2013 23:15

      ... RESPOSTA AO COMENTÁRIO ACIMA - PARTE 5 (FINAL):

      Enviamo-lhe esta mensagem para sua reflexão, e principalmente em um ato de respeito a V.Exa, portanto ,por favor, tenha respeito pelas pessoas e não as julgue, sumariamente, sem conhecê-las uma a uma, é um simples ato de bom senso e lógica.

      Permita que a ASSAPE, na pessoa dos quatro Conselheiros Comunitários, nomeados na reunião aberta sobre transporte realizada em 21/02/2013 no auditório do barra experience, da qual V.Exa. se fez presente, termine o estudo sério e necessário, para que todos nós possamos tirar nossas próprias conclusões, democraticamente, após a conclusão deste estudo !


      Respeitosamente,

      O GRUPO A FAVOR DA REFORMULAÇÃO DO TRANSPORTE DA PENÍNSULA "

      Excluir
    11. EXCELENTE TEXTO!!!!!
      Inteligente e consistente!

      Excluir
    12. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir

    13. Senhores membros do Grupo a favor da Reformulação do Transporte da Península!

      Inicialmente, gostaria de informar-lhes que relutei muito em responder a Vossa postagem, mais, apenas por amor ao exercício da Democracia e para acrescentar alguns esclarecimentos necessários, eu resolvi fazê-lo!
      Vamos por pontos!

      Inicialmente, gostaria de lembrar-lhes que a minha acolhida na Vossa reunião de fevereiro no Quintas, não se deu da maneira educada como foi descrito! Educação e tolerância não foram a tônica no ambiente para ouvir meus argumentos que, ate aquele momento, não eram a favor ou contra nada!
      Eu só pretendia demonstrar pontos a serem levados em consideração, até mesmo pelas pessoas que queriam os ônibus para o centro!
      Achei bastante interessante a forma didática como V. Senhorias se empenharam em colocar os fatos, para alguém que passou longos anos exercendo o Magistério Naval, aprecio a boa redação e principalmente a linguagem culta e educada!
      Afora, o exagero do tratamento de Excelência, puramente desnecessário e inapropriado para o contexto e a pessoa.
      Gostaria de dizer-lhes que, nunca fui contra a reformulação do sistema de transportes da Península, acredito mesmo, como a maioria dos moradores que, a forma como funciona hoje, não atende a ninguém.
      Principalmente aos nossos colaboradores!
      As Cartas Abertas, não foram "colocadas em alguns escaninhos" e sim, entregues nos condomínios da Península, nas Portarias ou administrações, para serem distribuídas aos moradores, após aquiescência de seus síndicos ou conselhos!
      Diferentemente do que disseram V. Senhorias, não existem " imprecisões técnicas graves" na Carta enviada aos moradores e sim, projeções matemáticas e estatísticas precisas, dentro do universo amostral delimitado no estudo, de quem possui formação e experiencia no assunto que, certamente, não é de Vosso conhecimento ou não há interesse em conhecer.
      A minha colocação de que a Península não se compara a outros condomínios, não teve a conotação pejorativa que Vossas Senhorias fizeram questão de, confesso, habilmente atribuir e sim, ao fato de que, como é do conhecimento de todos nós, possuir como nenhum outro da região, uma pujança de espaços livres e de verde, disponíveis para o desfrute de seus moradores.
      Eu não me considero dono de verdade alguma, apenas, humildemente, me coloquei, fruto da intolerância que pude observar na pele, por vezes, que se ninguém, fizesse nada, para que todos os moradores tivessem acesso as informações sobre o assunto, estariam todos, se curvando por omissão, ao interesse da vontade alheia e a interesses dos mais diversos.
      Respeito os trabalhos apresentados pelos moradores que se propuseram com eu, a destinar parte considerável do seu tempo e até mesmo de recursos financeiros, para por puro altruísmo, tentar melhorar uma coisa que afeta a todos e, da qual, eu me ofereci para ajudar e, não fui aceito, pela intransigência da ASSAPE. Por qual motivos?
      Me permitam dizer que Vossas Senhorias foram infelizes na sua citação sobre coragem, não tentem discorrer sobre assunto do qual só conhecem o conceito dos dicionários, sem jamais, ter vivido o que passei, voluntariamente e representando a Nação Brasileira na ONU, diuturnamente, por quase dois anos, com risco da perda de minha própria vida e de meus comandados, em uma plenitude de situações adversas que fogem a Vossa compreensão.
      Na minha vida e carreira cultuei em meu ambiente de trabalho valores, hoje desprezados por uma considerável parcela da população, tais como, integridade, altruísmo, lealdade, caráter e outros mais...
      É claro que concordo que o trabalho dos Conselheiros será algo que represente o melhor para a Península, principalmente porque tenho a consciência de que será levado, democraticamente, como o estatuto prevê, à apreciação de todos, para que os moradores, os verdadeiros senhores da razão, decidam o que deve ser feito!
      Sem mais para o momento!

      PS; Esta publicação é de minha exclusiva responsabilidade, não representa o Movimento “Península Bairro Ecológico” .

      Respeitosamente!

      Gilson

      Excluir
    14. Sr Gilson, diante de suas colocações e considerando que o Sr pretende o melhor para o Península, como o Sr. diz, gostaria que o Sr. nos dissesse como pode ser contra um projeto de Reestruturação que só trará benefícios a todos?

      Sugiro (e o faço de forma educada), que o Sr. apresente suas idéias/sugestões/criticas sobre como melhorar o transporte que nós temos hoje.

      Hoje o nosso orçamento com o transportte no Península é de aproximadamente R$200.000,00. Eu lhe proponho um desafio: com base em sua experiência de vida , proponha suluções, ajude o grupo, abaixe as armas. Acho que todos terão muito a ganhar com eesa nova postura!

      Excluir
  22. Só posso lamentar por um comentário desse.
    " lamentamos que pessoas que conseguiram, só Deus sabe como, adquirir um imóvel aqui,"?????

    Lamentável. Além de espalhar folhetos com inverdades com a finalidade de instaurar o medo na península é preconceituoso com a história de cada um que, através de muito trabalho e suor, conseguiu adquirir um imóvel aqui. Lamento ter pessoas com sua postura como vizinho.

    ResponderExcluir
  23. Sr Gilson,

    Não sei como o senhor conseguiu comprar um imóvel aqui na Peninsula. Eu consegui com muito trabalho e muito suor.
    Alias, meu 4 quartos está quitado e muito bem decorado.
    Apesar disso, continuo querendo um ônibus que leve a mim e minha familia ao centro e zona sul.
    Jà o senhor, precisa andar de metrô todos os dias para economizar e pagar a prestação da casa propria, não é mesmo ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkkk!!!!! Muito bom!

      Excluir
    2. Pois é... o Sr. Gilsno diz que os moradores do Península são diferenciados dos demais para andar de ônibus executivo, mas ele mesmo anda de metrô linha 2... Já o vi na estação de Del Castilhos!
      O mais incrível, é que ele sendo um "advogado especialista em contratos" (como falou na reunião da Assape), deveria entender algo de matemática... É só fazer as contas: ida e volta ao centro da cidade com o integração metrô sai R$8,70 por dia. Em 5 dias na semana R$ 43,50 e em um mês (4 semanas)R$174,00!!!!!
      A proposto a do grupo de Reorganização dos Transportes é de que não haja aumento na cota, ou caso haja, que seja mínimo!!!! É só fazer as contas pra saber que qualquer outro meio de tranporte sai mais caro!!!!

      Excluir
  24. Sr Gilson,

    O senhor deveria pensar um pouco mais antes espalhar uma série de mentiras e de sair acusando os seus vizinhos, isso não é uma conduta ética, esperada de um ser humano que tenha um mínimo de escrúpulos.
    O senhor pode utilizar esse tipo de argumento, ou melhor, como o senhor mesmo disse, como são mentiras e não argumentos sólidos, esse tipo de falácia, nas pequenas causas que o senhor defende, porém aqui na península isso não vai dar certo.
    Aprenda a defender o seu ponto de vista, com educação e com argumentos verdadeiros e mais uma coisa, não ataque as pessoas que estão defendendo um ponto de vista, se quiser, de forma ética, ataque os fatos! (não venha utilizar argumentos ad omni")
    Ah e respondendo a sua pergunta, como eu consegui comprar um apartamento aqui na península??? Com o meu dinheiro, à vista, e para o seu governo, ainda possuo outros imóveis na zona sul do Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  25. Prezados Vizinhos

    Aos que se sentiram injuriados e ofendidos com as palavras mais uma vez equivocadas do Sr Gilson, informo que já está sendo organizada uma ação conjunta por injúria, calúnia, difamação e agora constrangimento e discriminação, fora danos morais e materiais, contra este senhor. Ele terá que provar os meios os quais chama de "só Deus sabe como" nós moradores conseguimos comprar nossos imóveis, além de ter que provar tudo que escreveu em sua carta distribuída aos condomínios.

    ResponderExcluir
  26. Fui prostituta e com muito orgulho consegui comprar um apartamento, por sinal aqui na península, com muito suor, literalmente. E não tenho vergonha nenhuma de dizer isso porque nunca roubei ninguém, nunca tirei dinheiro da saúde e da educação do povo e ainda assim consegui formar dois filhos, um deles advogado, por sinal um advogado que não espalha mentiras e não defende mentirosos ou picaretas, mas apenas causas verdadeiras e advoga gratuitamente para comunidades no projeto ação global. Vim da extrema pobreza mesmo (acho que a maioria aqui não sabe o que é isso), nunca tive pai nem mãe, mas consegui ser uma mãe de verdade para meus filhos. Hoje não exerço mais a profissão pois estou casada, aliás meu marido me conheceu trabalhando e não tem vergonha nenhuma de mim, muito pelo contrário. Sabe a luta que eu tive que encarar. Graças a Deus tive a sorte de nascer com uma beleza que consigo guardar até hoje apesar de meus quase 40 anos (ninguém diz). Fato é que mesmo sendo puta, tenho mais dignidade que este senhor, pois não sou mentirosa.

    Não vou assinar por motivos óbvios, por viver numa sociedade hipócrita e preconceituosa, não por mim, mas pelos meus filhos e meu marido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Digno, emocionante, contundente e... sem sair do salto! PARABÉNS!!!

      Excluir
  27. "lamentamos que pessoas que conseguiram, só Deus sabe como, adquirir um imóvel aqui, e que, estejam tao empenhados em implementar esta aberração aqui, não tenham se dirigido aos condomínios que já possuíam em sua concepção, ônibus para o Centro ou para quaisquer outro lugar, que não o concebido no estatuto da Península"

    Face ao exposto, vamos trabalhar nas entrelinhas:

    1° “lamentamos que pessoas que conseguiram, só Deus sabe como, adquirir um imóvel aqui”
    Quer dizer, TODOS aqueles que querem a reorganização dos nossos ônibus vão passar a usar o crachá do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), porque eu me senti assim: uma pobre coitada que nem tem dinheiro para andar de carro, pagar gasolina e estacionamento e teve a audácia de INVADIR essa terra de latifundiários podres de rico (mais podres que ricos).
    É o cúmulo da discriminação você falar que uma pessoa que anda de ônibus não pode morar aqui ou ali, pois o local é feito para quem tem carro, dinheiro e não anda de ônibus. Acho que há clareza solar quanto a este entendimento diante do comentário feito pelo morador.

    2° “empenhados em implementar esta aberração aqui”.
    Eu entendo aberração como algo ANORMAL e INCOERENTE. Não vislumbro um ou outro no fato de pessoas utilizarem ônibus para os mais diversos fins, até porque isso é CONSCIÊNCIA AMBIENTAL, justamente o que os prospectos do nosso condomínio prezam. Além disso, todos os condomínios da Barra possuem um transporte que atenda além da Barra, o que faz parecer mais natural ainda. Agora, realmente, se considerarmos que o restante da Barra não passa de mendigos e os moradores do Península são VIP (Vamos Implementar Planadores), realmente há uma situação de alto equívoco e negligência ao pensarmos na reorganização de meros ônibus.

    3° “não tenham se dirigido aos condomínios que já possuíam em sua concepção, ônibus para o Centro”.
    Desculpe. Quando eu vim morar aqui, o corretor disse que isso estava sendo implementado. Além disso, acho que a propaganda do condomínio deveria se expressar melhor e trazer em letras garrafais algo como “VENHA MORAR NO PENÍNSULA, ONDE ATÉ AS CAPIVARAS TÊM CARRO”. A pessoa quando viesse procurar um apartamento aqui deveria preencher uma ficha que seria assim:
    1.QUANTAS PESSOAS RESIDIRÃO NO APARTAMENTO?
    2.QUANTOS CARROS POR PESSOA?
    Se a segunda resposta for maior ou igual à primeira, então a compra é aprovada. Seria mais honesto.

    4° “estatuto da península e, ao qual, todos QUEIRAM OU NÃO, ESTÃO ADSTRITOS!”.
    Eu estou adstrita MESMO SE EU NÃO QUISER. Só que não. Se não me falha a memória, o estatuto pertence à Assape, que por sua vez é uma associação, que por sua vez está disciplinada na Constituição de 1988 e um dos incisos que trata do assunto, diz que: “ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a permanecer associado”.
    Interpreto daí que eu estou adstrita SE QUISER. Quem compõe a associação são os ASSOCIADOS e aquela deve ser moldada a estes.

    Por fim, fica uma pergunta para fins de reflexão: por que se preocupam tanto com a MINORIA ?
    Muitos afirmam que somos minoria. Minorias incomodam tanto assim ?


    Agora, além de nos ocuparmos com a reorganização do transporte, devemos também nos organizar para lutar pela reforma agrária. Pobres de nós.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brunna,

      Seu texto, além de inteligente e elucidativo, é divertidíssimo! Um ótimo exemplo de como defender seu ponto de vista sem ter que apelar para as baixarias das quais tanto gosta o sr Gilson. Aliás, essa é uma atitude típica de quem não tem argumentos...

      Sr Gilson, ainda está em tempo de fazer um cursinho de etiqueta, para saber como lidar melhor com os outros condôminos, sem usar de artimanhas, xingamentos e manipulação. Essa deveria ser condição sine qua non para residir no Península. Afinal é um acinte para nós saber que entre os moradores daqui existe alguém tão POBRE... de espírito!

      Excluir
  28. Caro sr Gilson,

    O sr é um pândego!!! Digo isso pois acho inconcebível que um verdadeiro compêndio de inverdades e preconceitos possam partir de alguém que, "só Deus sabe como", conseguiu adquirir um imóvel aqui. Mas depois, analisando atentamente o festival de barbaridades que o sr publicou, cheguei à triste conclusão de que educação, elegância, humildade e cidadania são opcionais de fábrica, não inclusos no pacote "nouveau riche" que o sr parece ter adquirido. Essa prepotência rançosa com a qual o sr trata de assuntos que se referem a qualquer benefício para a coletividade - chamando de "aberração" qualquer iniciativa nesse sentido - são bem característicos de pessoas que não tiveram berço. Tamanha empáfia geralmente é indício de pessoas de baixa auto estima e, às vezes, desprovidas de boa índole também (como revela claramente o teor manipulativo da sua "Carta Aberta" - de mentes fechadas).
    Certas citações suas beiram o ridículo, tamanha incoerência nelas contidas! Dizer que a atitude do amigo Porfírio foi "restritiva" , soa sarcástico vindo de uma pessoa que tenta, a todo custo, RESTRINGIR o direito democrático de outros moradores tentarem reestruturar algo em benefício de todos - e sem onerar no condomínio, ao contrário do que afirma a tal "Carta Aberta"... - fazendo todo o tipo de ataque e xingamentos, ao contrário da outra carta, elucidativa e objetiva. Aliás chamar de "apócrifa" a resposta dada à Carta Aberta, foi a melhor de todas!!!! Kkkkkk!!!! O sr e seu comparsa por acaso assinaram a carta que, sem o menor embasamento "fático" ou autorização, saíram enfiando nos escaninhos? Aproveitando o ensejo, gostaria imensamente que o sr esclarecesse à quais mentiras o sr se refere, porque, até então, as únicas que vi divulgadas são as suas, as do seu cúmplice , e as da Assape.
    Enfim, diante de tamanha baixaria, egoísmo, ostentação e falta de bom senso, prefiro me ater ao que já escrevi até aqui, pois causa-me náuseas ter qualquer tipo de contato com gente da sua laia! E, como meu avô sempre dizia, "não adianta perder tempo tentando ensinar matemática pra cachorro". Portanto, passar bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FANTÁSTICO!!! Rindo horrores, assino embaixo!

      Excluir
  29. Prezados

    Pergunto: cadê a Assape??? Por que a Assape não se pronunciou ainda tendo em vista que a tal carta do Gilson e Antonio Carlos fazem alusão às mentiras e aberrações da qual a Assape agora faz parte tendo declarado seu apoio à mudança do sistema de transporte e inclusive criando o tal grupo de conselheiros para trabalhar no tema e apresentar o novo sistema? A carta do Gilson e Antonio Carlos diz que tudo que está sendo feito pela Assape é baseado em mentiras e falácias. Pois então por que a Assape não publica uma resposta aberta em sua revista mensal, da mesma forma que em novembro de 2012 publicou em várias folhas a matéria FATOS & BOATOS. Creio que é o momento oportuno para que publiquem a matéria novamente, com o título, "FATOS & BOATOS Parte 2", listando todas as afirmações da carta do Gilson e Antonio Carlos e ao lado suas respectivas respostas, de modo esclarecer de uma vez por todas aos moradores o que é verdade e o que é mentira. Inclusive aproveitaria o ensejo para corrigir os próprios boatos que foram colocados na matéria de novembro passado, onde chama os proponentes das mudanças de boateiros. Seria uma excelente oportunidade para retratação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente porque a ASSAPE está apoiando o Sr Gilson .... lamentável...

      Excluir
    2. Exatamente isso!!! Aliás é um apoio de mão dupla...

      Excluir
  30. Curioso o comentário do Sr. Gilson...
    Aqui no meu condomínio conheço pessoas que moravam em outros condomínios da Barra que tinham transporte para o centro/zs... Todos pessoas dignas, trabalhadoras e que não sentem vergonha nenhuma em dizer que moravam em condomínios como: ABM, BarraBali, Rio2, BarraMares, etc, e que utilizavam (e pagavam) com muita satisfação os ônibus!!!!!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que nosso amigo aí de cima não entendeu direito o comentário do sr Gilson. Ele não tem nada contra a Assape! Aliás, muito pelo contrário, ele e a Assape estão do mesmo lado: da Carvalho Hosken! E quando ele se refere às "aberrações", está se ferindo aos ônibus que trnsportariam os moradores para o Centro e Zona Sul. Na verdade, sr Gilson defende seus próprios interesses, de forma bastante preconceituosa e mira na maioria dos condôminos que aprova a reestruturação do sistema de transporte no Península. Portanto não espere qualquer matéria na revista do Península se justificando de pretensos ataques do sr Gilson, pois ambos - Assape e ele - estão coniventes nessa celeuma.

      Excluir
  31. O Grupo a Favor da Reestruturação do Sistema de Transporte publicou uma carta resposta ao comentário do Gilson. Vide acima!

    E que resposta!!!

    ResponderExcluir
  32. Parabéns a todos que, inteligentemente, contestaram a montanha de inverdades e exacerbações de uma minoria que tem medo de mudanças, ou sabe-se lá do que !?
    O que está verdadeiramente em jogo aqui, para mim, não chega nem a ser a mudança do transporte, mas a mudança para melhor nas nossas relações. Na construção e execução de propostas que tragam maior retorno ao que pagamos, não como mais um imposto que se esvai pelo ralo da má gestão ou na satisfação de uns poucos, que parecem espernear para não perder seus regalos, conforme manifestam-se alguns imbecis de plantão que fazem comentários ridículos e esdrúxulos com uma frequencia doentia. Ora despertam riso, ora despertam pena estes anônimos do contra. Em geral quem não tem grana é que tende a falar em grana. Não ter grana não é problema, desde que a pessoa viva dentro de suas próprias condições. O que não podemos aceitar é ver o nosso dinheiro sendo mal administrado. Já bastam os nossos impostos que se vão pelo ralo da corrupção deste triste país. Então que o que pagamos pela ASSAPE que seja bem empregado. Seja em ônibus, balsas ou helicópteros ! Mas bem empregado.

    ResponderExcluir
  33. Visite www.facebook.com/OrdemdosTaxistasdoBrasil

    ResponderExcluir
  34. Caro Porfírio,
    O artigo abaixo fala sobre as inúmeras vantagens dos ônibus fretados, conforme se constata em um dos trechos do artigo, que ora transcrevo:

    "Um caderno técnico desenvolvido pela Fresp – Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo – e pela ANTP – Associação Nacional dos Transportes Público – mostra estas vantagens e exemplos nacionais e internacionais de como o fretamento pode ajudar, às vezes com retorno mais rápido, na diminuição da frota de veículos particulares nas ruas, cujo excesso causa os problemas gerados pelo trânsito e poluição."

    Gostaria de sugerir, tendo em vista a sua experiência política, que seja analisada a idéia de se propor à Prefeitura um projeto de lei visando dar algum incentivo fiscal (ex: desconto no IPTU, ou algo parecido) aos condomínios que adorem o sistema de fretamento, uma vez que tal sistema contribui para a SEGURANÇA, a diminuição dos ENGARRAFAMENTOS e da POLUIÇÂO em nossa cidade!

    http://onibusbrasil.com/blog/2013/02/02/transporte-fretado-tambem-deve-ser-encarado-como-solucao-para-mobilidade-urbana/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A CARTA ABERTA AOS MORADORES ( da autoria dos Srs Gilson e Antônio) alega que a proposta de Reestruturação do Transporte traria prejuízos ao meio ambiente.

      Os artigos abaixo informam que ocorre, exatamente, o OPOSTO!!!! Tais artigos trazem informações sobre o assunto (fretamento de ônibus) que foram obtidas através de pesquisas consistentes, realizadas em várias cidades do mundo.

      Há cidades em que o fretamento é muito incentivado pelos governos e há, inclusive, faixa exclusiva para ônibus fretados:

      Artigos sobre o tema para a reflexão/pesquisa de TODOS:

      http://blogpontodeonibus.wordpress.com/2013/01/31/transportes-faixa-exclusiva-para-onibus-fretado-e-exemplo-mundial/

      http://onibusbrasil.com/blog/2013/02/02/transporte-fretado-tambem-deve-ser-encarado-como-solucao-para-mobilidade-urbana/

      http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1008786&tit=nibus-fretados-sao-alivio-para-o-transito






      Excluir
    2. Muito boa á sua sugestão. Como ainda existem alguns vereadores sérios, oportunamente vou procurá-los. Creio que nesse caso haverá como somar um bom apoiamento.

      Excluir
  35. Esse Gilson só pode ser louco.

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics