domingo, 14 de abril de 2013

Da síndrome do tomate ninguém escapa

Aumentos em condomínios e na Assape põem a inflação no chinelo e nos obrigam a refazer as contas

CLIQUE NA IMAGEM PARA VÊ-LA MAIOR
Por Deus, mas esse tomate mau caráter, que virou produto de luxo e que pode reescrever a parábola do fruto proibido da Bíblia sagrada, está espalhando filhotes como se do seu caule brotasse uma nova síndrome. 

Pelo rufar de alguns tambores, outros tomatistas (ou tomateiros) já estão aprontando aumentos abusivos aqui na vastidão deste verde exuberante com a certeza de que a manipulação dos números será suficiente para imobilizar os pobre-descendentes que erraram no endereço na hora de escolher uma moradia sossegada.

Pois não é? Enquanto governo e a mídia divergem sobre os índices inflacionários, que, em nenhum caso supera 7% em 12 meses, as contas neste cantinho onde os pássaros gorjeiam serelepes parecem viajar no tomateiro encharcado.

Você já imaginou um aumento superior a 50% na cota condominial? Não é exagero, não. Alegando que a cota não sobe desde 2011, a empresa-síndica do meu condomínio já deu a entender informalmente que suas contas vão por aí.

E deve estar cheia de algarismos para apoiar uma proposta inédita a ser mostrada no telão de uma noite cansativa, embora venha protelando a Assembléia Geral, que, pelo artigo 27 de sua convenção, deveria ter sido realizada até o último dia de março. Mas como veio a seguir o emblemático 1º de abril, necas de pitibiriba da esperada assembléia.

Os números não mentem, mas engodam

Números, aliás, são inocentes úteis de fácil manipulação. São como armas de fogo. Dependem de quem os utiliza. Por isso sempre digo: os senhores dos números são os verdadeiros donos do mundo.  E tudo podem.  Num lugar em que um cara come um frango e outro fica no "ora veja", cada um come em média meio frango. E não há como refutar essa elementar operação aritmética.

Como estamos entre aqueles "pobre-descendentes" que insistem em morar onde não podem, conforme comentário raivoso postado na nossa última matéria, acreditamos que satisfaríamos esse infausto sonho de consumo com o uso da planilha Excel.

O que ganhamos honestamente, embora tivéssemos convivido com a fina flor da gatunagem nas varandas do poder, daria para ser vizinhos desses colonos milionários, da estirpe do Eike, que se consideram paradigmas da Península. Basta contabilizar nossas receitas correntes e não permitir que, por descuido, estouremos as despesas correntes, a não ser em casos excepcionais, que nosso discreto fundo de reserva pode cobrir.

Já imaginou o orgulho da minha família lá no Ceará,  de onde parti aos 16 anos em busca do imponderável, sabendo que este  retirante é vizinho de porta da gente fina deste pedaço de exclusivos, numa cidade de contrastes berrantes, onde 25% dos moradores subiram o morro por falta de grana para pagar aluguel?  Vizinho de craques como o Renato Abreu, do ex-goleiro do Vasco, do técnico do São Paulo,  do Tuta, parceiro nas peladas, da minha querida Patrícia Amorim e de outros famosos que são referências da nobreza hodierna?  

Pois, então. A "síndrome do tomate" é algo tão fora de propósito que se irradia como uma praga de gafanhotos, e cada um de nós que se vire ante a intrepidez de sua insaciável disseminação.

Alguns condomínios e a Assape no mesmo mote

Pode ser que você seja um felizardo e more em algum condomínio que não tenha exagerado nas despesas ou não tenha precisado recorrer a reajustes compensatórios. Mas não estará livre do aumento da própria Assape, essa associação atípica, tipo prestadora de serviços, a que somos vinculados obrigatoriamente desde a promessa de compra do nosso apartamento e a que são vinculados também por osmose os inquilinos que não assinaram nada, mas pegam as sobras desse  casamento contributivo. 

CLIQUE NA IMAGEM PARA VÊ-LA MAIOR
Com sua estrutura peculiar, com votantes atacadistas e varejistas, fazendo  serviços pelos quais já teríamos contribuído em nossos impostos municipais, ela é imprevisível, prenhe de dengos e de manhas, capaz de levar o mais tranquilo dos seus "associados" ao divã do psicanalista e de ressuscitar Shakespeare para reescrever o dilema do "ser ou não ser" da tragédia de Hamlet, o príncipe da Dinamarca.

Nessa imprevisibilidade atroz, na noite desta quinta-feira, dia 14, o Conselho tomou conhecimento de uma proposta de reajuste com ingredientes inusitados, como se fosse uma declaração dramática de arrependimento por ter mantido em 2012 os valores e os custos de 2011.

Numa matemática algébrica, chegou a uma proposta que pode parecer oferta das Casas Bahia, mas é como pretende sinalizar o rigor dos seus cálculos: se o Conselho Fiscal aprovar, o que não será difícil, nossa contribuição "associativa" mensal compulsória saltará de R$ 177,06 para R$ 209,99, um aumento de 18,59% nada módico, nada cordial.  Isto por que os votos dos atacadistas - os membros do Conselho que somam número de moradores do seu condomínio ausentes na AGO - são os que decidem, por mais numerosa que seja a presença dos varejistas, aqueles que só votam por sua unidade.

Para chegar a esses R$ 209,99, que serão levados à Assembléia Geral do dia 25 de abril, no que parece ter convencido a totalidade dos conselheiros, votantes atacadistas, além de alegar congelamentos pretéritos, propõe uma majoração de 9,9% no principal, somando mais 5% do Fundo de Reserva, que também estava congelado por sobra de caixa, embora ainda disponha de cerca de R$ 900.000,00 guardados em banco, e mais 2,77% para cobrir o a desfiliação consumada dos proprietários do Península Office.

Contas são contas, números são números e, segundo conselheiros confiáveis, foram apresentados com a maior transparência e a mais sólida consistência.

Mas é bom que fique claro que essa variação não tem nada a ver com o projeto de reformulação do sistema de transportes, que sequer foi consolidado como proposta no âmbito do Conselho. Portanto, que as más línguas não tentem aproveitar a deixa.

Aqui em nosso lar doce lar peninsular já estávamos queimando a mufa por conta dessa diversionista "lei áurea" das domésticas, com a qual os políticos fingem que estão cuidando com todo carinho da periferia social, enquanto a classe média teimosa, que vai morar onde não pode, tem de se virar nos 30, (os 30 dias do mês) para não aderir à dívida sistêmica de que não escapou nem o super-Eike.  Como diria o velho Doca, quem deve fortuna não deve nada e quem não tem com que pagar já pagou. Quem deve pouco, mas deve e algum patrimônio tem,  é quem se ferra sempre, indo direto para o cadastro dos inadimplentes, ainda correndo o risco de um leilão dos seus bens.

Seria uma doideira dizer que a previsão da minha própria planilha vai ter que ser refeita por conta da contaminação da Síndrome do Tomate.  Este, nós já havíamos reduzido o consumo por que podemos até substituí-lo. Mas da conta do condomínio e da contribuição associativa, irmãs siamesas de proveta,  não tem escapatória.

É pagar ou ir pro pau, sem dó, nem piedade.

Cada um que faça suas contas.  Que eu saiba, ninguém que vive de salário ou de aposentadoria teve aumento superior a 7%. Isso quer dizer: vamos ter que mudar alguma coisa em nossas despesas.

38 comentários:

  1. E ainda querem botar 100 reais na quota de condomínio pra ter transporte pro centro, inflando mais ainda a quota condominial!

    Brincadeira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    2. corrigindo, poderiam apagar o comentário anterior, obrigado:

      Vizinho, quem te falou isso?
      Não é verdade, pode perguntar na assape e ao conselho comunitário, pode ficar tranquilo.

      Excluir
    3. 100 reais??? mais de R$200,00 vizinho!!! Só que os interessados direto no transporte para o centro negam qualquer aumento porque sabem que se falam a verdade ninguém a não ser essa meia dúzia de ferrados e espertinhos iriam assinar aquele abaixo assinado que anda circulando por ai.rs

      Excluir
    4. Com mais 200 reais dava para colocar helicóptero para o Centro...

      Sem maldade, o que vocês ganham defendendo o interesse dos incorporadores (CH e Cyrella) ao invés dos moradores?

      Excluir
    5. Qualquer estudo de transporte para o centro já viu que não sai por menos de R$ 100 ou R$ 200. A única maldade é querer insinuar o contrário.

      Excluir
    6. É hilário assistir os comentários rançosos e inapropriados dos meus vizinhos.

      "Bolsa transporte"? "Meia dúzia de ferrados e espertinhos"? Nem nos meus momentos mais ardilosos, chafurdado de péssima educação e ódio, eu teria coragem de me manifestar desta forma a um vizinho.

      Sinceramente, ao me mudar para o Península jamais esperava encontrar tanta falta de cordialidade entre pessoas que, por mais que não saibam, tem (ou deveriam ter) um interesse em comum, embora com pontos de vista e opiniões diferentes.

      Infelizmente, o pedestal tem seu preço. O preço é o ridículo. Todos que moram aqui tem condição de estar aqui. E curiosamente, não morar aqui (ou não poder) também não é demérito nenhum. Pessoas sobem e descem de suas classes sociais todo dia, empresários e investidores bem sucedidos se afundam todos os dias. É da vida.

      Contudo, educação, bom senso e elegância (ou até senso sobre o que é ou não ridículo) são coisas que felizmente não são adquiridas com dinheiro. E aos adultos que não têm, é necessário querer ter.

      Como um dos espertinhos, posso afirmar, ainda que não seja necessário, que eu posso morar aqui. Não tenho a certeza sobre os custos (haverá sobrecusto, não haverá?).

      Por outro lado, tenho a certeza sobre o contrasenso que é vociferar por aqui que pessoas sem condição vieram acabar neste cantinho do rio e ao mesmo tempo se indignar com o aumento de cota condominial em R$ 10, R$ 20 ou R$ 100,00: afinal, os fatos só servem como argumentos ao propósito que nos interessam ou servem para de fato debatermos de forma séria sobre transporte?

      Tenho também a certeza de que, mesmo sendo potencial usuário do transporte para o centro, votarei negativamente se o resultado do grupo de trabalho evidenciar uma quantidade muito grande de ônibus ou um sobrecusto incompatível com o desejável e justo para o serviço.

      Por fim, dentre tantas certezas, fico com a dúvida sobre a necessidade de atropelar completamente todas as regras de etiqueta com os próprios vizinhos para defender um ponto de vista.

      Me resta, infelizmente, a dúvida se meu lugar é por aqui mesmo. E infelizmente, não por questões econômicas.

      Abraços.

      Excluir
    7. Então pelo que entendi o grande problema é o eventual custo extra do Transporte para o Centro...

      Agora, se o projeto de Reestruturação do Transporte na Península a ser proposto pelo grupo de 4 Conselheiros da ASSAPE tiver um custo mensal extra BEM inferior a esse valor de R$100,00 a R$200,00, na cota Associativa vocês seriam favoráveis?

      Porque os projetos que foram levados aos 4 Conselheiros para estudo tinham essa idéia... de otimizar o transporte com custo mínimo!Usando a verba destinada aos transportes de fotma inteligente e benéfica a todos!

      Excluir
    8. Resposta ao vizinho número um (o educado, descendente da Casa dos Habsburg) e ao vizinho número dois (mais povão, talvez de esquerda e que não se importe com o termo "bolsa transporte"):

      Vou mandar minha conta corrente para que vocês façam depósitos mensais, que irão variar entre 50 e 100 reais, já que vocês consideram isso como "normal".

      Quero recordar ao senhor educado que o alvoroço todo de fazer passeatas dentro do Condomínio e agredir moradores contra o projeto de transporte para o centro tem partido do grupo que defende o suposto novo transporte coletivo.

      Estes, que vivem levantando "hipóteses" e se assemelham mais a Sócrates com suas inúmeras possibilidades de transporte pro centro se tornarem realidade, não se conformam com a legalidade da coisa.

      Estamos aqui tratando do bem comum, e não podemos usar o dinheiro dos outros, seja qual for o valor, para outros fins que não sejam autorizados pelos mesmos.

      Não se trata de cordialidade. Aliás, a maioria dos indivíduos cordiais (muitos deles síndicos) são os que mais tem se "apropriado" de recursos dos edifícios.

      Cordialidade não acompanha transparência, nem isonomia dentro do Condomínio. Se eu pagar o custo do transporte para algum morador, seja quem for, penso inclusive de ir para a justiça a fim de reaver meu dinheiro dada a ilegalidade da coisa.

      Ivan Guedes

      Excluir
    9. Mas justamente por tratar do bem comum que devemos ter, por exemplo:
      - opções de lazer para todas as idades => Casais de idosos que ainda não tem netos "pagam" o parquinho, Casais jovens "pagam" a quadra de bocha, jogadores de futebol "pagam" as quadras de tênis e por aí vai...

      Se transporte comunitário fosse ilegal não estaria em todos os empreendimentos da barra, alguns com mais de 20 anos (ex: barramares), sendo eles com imóveis maiores ou menores, + caros ou + baratos.

      Excluir
    10. Agredir? Quem foi agredido, Ivan Guedes?

      Excluir
  2. SOU CONTRA O BOLSA TRANSPORTE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb! Sou a favor do transporte comunitário eficiente!

      Excluir
  3. Ivan, concordo plenamente com vc!!! eu e mais um grupo grande de moradores já estamos nos mobilizando caso seja aprovado qualquer transporte para o centro ou zona sul, independente se haja ou não aumento de cota associativa. A questão é, se não houver mudança no estatuto conforme manda, tudo que for aprovado será ilegal e passível de ser anulado em seguida. Daí a ASSAPE que conduza o pleito rigorosamente dentro da lei, caso contrário sofrerá uma ação conjunta de moradores. Já entendi faz tempo que ao pessoal que reivindica o transporte lhes interessa aprovar um projeto inicial incipiente, para que não haja aumento nos custos e assim ficar mais fácil ser aprovado. Depois, obviamente, a exemplo do Rio2, para atendermos a demanda teremos que ampliar e muito a frota, inclusive diversificando as rotas. Talvez por isso o anônimo os chamou de "espertinhos". Isso é jogar sujo com os vizinhos, é enganar, é ludibriar e não é nada honesto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lamentável até aonde vai a falta de bom senso das pessoas, egoísmo puro.
      Movimento parecido aconteceu na ABM e não deu em nada, perderam na justiça e alguns que eram contra usam o transporte hj em dia.

      Excluir
    2. Mas já que o transporte foi o assunto da maioria dos comentários aqui: MESMO QUE EU NÃO PRECISE DE ÔNIBUS PARA O CENTRO ACHO O GRUPO A FAVOR DESTE TRANSPORTE (Inteligente) MUITO MAIS INTELIGENTE E HONESTO QUE O GRUPO DOS CONTRA, QUE JUNTANDO NÃO LOTARIA NEM UMA KOMBI VÉIA COM MEIA-DÚZIA DE ANONIMOS -"RIGOROSAMENTE CONDUZIDA PELA ASSAPE NO RIGOR DA LEI". Quanta velhacaria? !

      Excluir
    3. Grupo grandão, são amigos do CH, são grandes mesmo!

      Gostaria que organizassem um reunião pública para debatermos abertamente e não escondidos em anônimos, espalhando boatos via carta aberta distribuída com invasão de condomínios.

      Excluir
  4. Lamentável é a postura desse grupo que insiste em resolver o problema deles com o bolso alheio! Querem transporte para o centro? utilizem seus projetos, contratem os ônibus e sejam ecológicos, simples assim!rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! O que vcs ganham postando comentários a favor da CH? Vocês são moradores da Península ou parentes dele?

      Excluir
  5. a favor da CH, não, a favor do meu bolso...dá pra entender uma única coisa: vcs podem colocar ônibus até pra lua, ônibus espacial, trem bala e etc desde que não seja com o meu dinheiro, caramba!!! quer dizer que o cara compra um ap. aqui, trabalha no centro e ai vê a burrada que fez e quer transferir o ônus e o problema que é dele?! seria o cúmulo! como muito bem dizem os americanos...that's your trouble!!!! Não tá dando pra segurar o rojão, mudem-se!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lamentável o comentário, vizinho.
      Sugiro pedir devolução dos seus impostos aos Governos Municipal, Estadual e Federal. Pedir a devolução do seu condomínio, do seu plano de saúde, do seguro do carro, FGTS...

      Ou, pode morar como um eremita no alto da montanha.

      Egoísmo, falta de senso comunitário... Não tem argumentos sólidos e ficam nessa samba de uma nota só, bla-bla de cota, ecologia = tudo cortina de fumaça.

      Excluir
  6. Não são tão anônimos assim, pois pelo teor de outras mensagens ou cartas são facilmente identificáveis, e além do mais são sempre os mesmos, arredios e apegados às velhas idéias. Mas o pior de tudo é que enquanto nos apegarmos a uma só questão central, o transporte, acabaremos permitindo que outras decisões sejam tomadas sem a devida discussão, baseadas na canetada, no estatuto e na FALSA sensação de representação dos condomínios, quando o conselheiro da ASSAPE carrega os votos dos ausentes. Então vemos propostas de aumento de 18% na mensalidade, rombo no fundo de reserva, a Contrutora Mãe com poder de veto até enquanto não construir seu último puxadinho, e o que mais ainda por vir?. O transporte é apenas UMA de nossas preocupações. Se a coisa seguir frouxa, em alguns anos, independente do modelo de transporte, a conta da ASSAPE poderá representar uma boa fatia da sua taxa condominial, independente do modelo de transporte. Por exemplo, um mensalão aqui poderia encontrar um terreno muito fértil. Pô, o cara com o poder de tantos votos ? Já pensou se funcionasse assim também na AGO do seu condomínio? Notem, não estou insinuando a quem quer que seja de ser desonesto, o que critico veementemente é este modelo de representação altamente inconsistente e de risco para todos nós que BANCAMOS tudo à nossa volta.
    Ainda bem que estamos na Península, onde só vivem pessoas do bem, esclarecidas, honestas e incorruptíveis, bem sucedidas e filantrópicas. Caso contrário já estaríamos roubados. Rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sabe que esta estória de "mensalão" eu não havia pensado?

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Josely de Oliveira Lima16 de abril de 2013 23:48

    Meu caro Pedro Porfírio.

    Você tem toda razão, da forma como estão indo as coisas, ou pagamos a contribuição da ASSAPE, ou pagamos o Colégio de nossos filhos e os nossos planos de saúde, que também praticam aumentos abusivos.
    Eu solicitei à representante do meu Condomínio, junto ao Conselho da ASSAPE, que solicitasse constar na ata da AGO, que vai aprovar (com os votos majoritários dos incorporadores, aprova-se tudo na ASSAPE) esse aumento, o absurdo do índice a ser praticado (+ de 18%).
    Eles alegam que o valor da contribuição está estático, desde 2011, mas este fato não justifica esse aumento absurdo, uma vez que a ASSAPE, antes de tudo, deve praticar uma política de redução de custos, o que não vem sendo feito, haja vista o acompanhamento de seus balancetes.
    Temos que motivar os moradores (que são associados da ASSAPE, e têm direito a voto), que também façam valer seus votos, comparecendo ou fazendo-se representar nas reuniões deliberativas da ASSAPE.
    atenciosamente
    Josely de Oliveira Lima

    ResponderExcluir
  9. É verdade Josely, se as pessoas tivessem um mínimo de interesse e se dispusessem a acessar os balancetes, comparecer às reuniões, pedir ajuda à alguém caso não tivesse condições de entender contas, percentis não ficariam dizendo e escrevendo bobagens. Para falar se o aumento é absurdo ou não, há que se ter parâmetros, há que se conhecer os números que o fundamentam, analisar tudo detalhadamente e dai sim tirar uma conclusão que não seja leviana. Por exemplo: vc afirma que a ASSAPE não pratica uma política de redução de custos...vc já verificou os contratos? tem acompanhado a evolução dos preços dos contratos e gastos em geral? Falar qualquer coisa que lhe vem à cabeça e criticar é muito fácil!!!! Não estou de forma alguma defendendo a ASSAPE e muito menos sua diretoria. Mas estou certa que críticas sem um fundamento, sem uma análise minuciosa e criteriosa em nada contribui, muito pelo contrário fica mais fácil pra "eles" (que estão no comando)debater com alguém que não tem a menor ideia do que está se falando. A nossa grande arma é sempre o conhecimento, o preto no branco, combata números com números, mostre que você fez o "dever de casa" e que não vão te "enrolar" assim tão facilmente. Pense nisso!!!

    ResponderExcluir
  10. Ai, não aguento mais esses ônibus barulhentos! hoje fiquei em casa pois estou tremendamente gripado e queria poder dormir mais e descansar conforme orientação médica...qual nada! as 6h da manhã fui acordado por essa "praga" dos ônibus da Península tudo porque estava fresquinho e resolvi dormir de janela aberta. Temos que substituir esses ônibus por algo mais leve, menos poluente (sonora e do ar)...não dá mais pra aguentar. Vou começar uma campanha. Fora ônibus a diesel!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo com vc.

      Excluir
    2. hahahahaha, esse é anônimo mesmo, seria uma vergonha alguém com esse relato se identificar. Me divirto com as piadas de vocês!!

      Excluir
    3. e eu me divirto com vc. babaca!!!!!!!!!!

      Excluir
    4. Xiii, baixou o nível...

      Excluir
    5. já que querer substituir esses ônibus barulhentos é uma piada para o anônimo de 17 abril/18:02, conclui-se que ele quer mesmo é "tascar" aqui dentro a frota toda pra levar esses "infiltrados" pra bater ponto no centro!!!!! fora daqui seus "pobre-descendentes"...ahahaaha

      Excluir
    6. Mais um dos sempre anônimo!! Não dá para colocar nome, vizinho??? Porque?? Deve ser um cidadão que nem o Feliciano, altíssimo nível, sujeito educado.

      Excluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahaahaah...apesar de tudo, gostei!

      Excluir
  12. Atenção Pedro Porfirio,
    Varios condominios estão marcando reuniões NO MESMO DIA E HORARIO da AGE da Assape que aprovará o aumento da mensalidade da Assape. É um jogo SUJO para esvaziar a AGE da Assape ! Divulgue isso o mais rápido possivel !!!!

    ResponderExcluir
  13. FORA BOLSA TRANSPORTE

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics