quinta-feira, 11 de abril de 2013

Elevado do Joá duplicado em dois anos

Prefeito anuncia licitação para maio e início das obras ainda este ano, ao custo de R$ 489 milhões

Imagem simulada mostra como será o elevado em 2016
Caiu a ficha, enfim. O prefeito Eduardo Paes se tocou para o que deveria ser uma das obras prioritárias da Barra da Tijuca - a duplicação do elevado do Joá, entendendo-se que, junto, ou antes, mesmo, será feito o reforço das estruturas ameaçadas pela corrosão, como já foi orçado e confirmado.

O anúncio da duplicação, feito nesta quarta-feira, dia 10 de abril, é uma boa notícia para quem passa mais de uma hora em trânsito da Península até a Zona Sul. 

Serão construídos na encosta mais dois túneis e um novo elevado. O já existente vai ganhar uma ciclovia, voltada para o mar, e que também se estenderá pelos túneis. A obra custará R$ 489 milhões e, segundo o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, será executada em dois anos.

Para variar, um porém: Moradores da região dizem que são favoráveis ao projeto, mas temem que as detonações causem impacto em cerca de 300 casas localizadas na Joatinga.

Acho que o projeto é bom para a região, porque tem um impacto positivo no trânsito. Para nós moradores, os transtornos podem ser grandes durante as obras, como o barulho e os explosivos. Não acho que seria interessante utilizar esse tipo de material, pode causar danos nas 300 casas da encosta, onde vivem cerca de 1,2 mil pessoas. Acho que uma alternativa seria o usar o Tatuzão, que vem sendo usado nas obras do metrô de Ipanema. É um equipamento que perfura a rocha sem necessidade de explosões - declarou a O GLOBO Roberto Fernández, presidente da Sociedade de Amigos da Joatinga.

Obras já começam em 2013

Com o edital de licitação previsto para o próximo mês de maio, A Prefeitura prevê  que a obra de duplicação comece ainda este ano. Com as duas novas vias e os dois novos túneis, paralelos aos já existentes, a capacidade viária de tráfego será duplicada, facilitando a ligação entre a Zona Sul da cidade e a Barra da Tijuca/Recreio.

As novas pistas terão extensão de cinco quilômetros, cada. O destaque do projeto é a construção de uma ciclovia contígua às faixas do elevado, com tamanho correspondente, ao lado do mar, privilegiando a vista e valorizando ainda mais o trajeto entre os bairros para os ciclistas, com potencial para se transformar em atraente ponto turístico e contribuindo para a ampliação da malha cicloviária da cidade.

O anúncio da duplicação, que pegou de surpresa os moradores que serão diretamente beneficiados pela nova via, mereceu alguns reparos pertinentes, que esperamos sejam considerados pela Prefeitura.

Presidente da Associação de Moradores de São Conrado, José Britz acredita que o projeto vai melhorar o fluxo de veículos no sentido Barra. Mas, segundo ele, a Prefeitura precisa discutir medidas para atenuar o impacto em São Conrado, que passará a receber mais veículos.

É um passo importante. Somos favoráveis. É claro que haverá transtornos por conta das obras, mas não podemos fazer um omelete sem quebrar os ovos. Acho que vai melhorar o trânsito no sentido Zona Sul/Barra. No sentido contrário, teremos um gargalo em São Conrado. Portanto, a Prefeitura precisa também pensar em projetos para resolver essa questão. Por exemplo, criar o mergulhão da Praça Sibélius, na Gávea, e pensar ainda numa solução para o Túnel Zuzu Angel — diz Britz.

Para Roberto Fernández, da Joatinga, seria necessário, ainda, duplicar a ponte que liga a Avenida Armando Lombardi e a Avenida das Américas, ao lado do Shopping Downtown, para evitar impacto no trânsito da região.

Um elevado de risco nos dias de hoje

Desde dezembro de 2012, o Elevado do Joá passa por intervenções para garantir sua estabilidade estrutural. Um relatório da Coppe, da UFRJ, mostrou que o viaduto apresentava corrosão em diversos pontos e que alguns dentes de Gerber, que têm função estrutural, estavam comprometidos. Para dar segurança maior aos usuários, a carga dos dentes de Gerber vai ser retirada com a instalação de vigas metálicas, que reforçarão pórticos já reformados.

Além disso, a CET-Rio vetou totalmente a circulação de caminhões na via, todos os dias da semana, com previsão de duração de 12 meses. Outra alteração foi a redução da velocidade máxima permitida na via, que passou de 80 km/h para 60 km/h. Toda reforma do elevado do Joá está orçada em R$ 70 milhões.

Segundo estimativas não oficiais disponíveis, 200 mil veículos passam diariamente pelo elevado do Joá, 250 mil a menos do que pela Linha Amarela (que tem vários acessos e saídas).  Isso por que ele teve uma demanda saturada com a expansão da Barra na direção do Recreio.

Um estudo da COPPE da UFRJ  há dez anos indicou que somente a Barra da Tijuca tinha mais de 65.000 carros, com uma média de 711 para cada 1.000 pessoas. "É um índice muito alto, quase o mesmo da Califórnia, com a média de 750 veículos para cada 1.000 habitantes. E a tendência é piorar ainda mais", avaliou na época  Paulo Cezar Ribeiro, professor do Programa de Engenharia de Transportes da Coppe/UFRJ.

No censo de 2000, 174.353 pessoas viviam na área de 4.815,6 hectares, abrangendo  Barra da Tijuca, Camorim , Grumari , Itanhangá , Joá , Recreio dos Bandeirantes , Vargem Grande e Vargem Pequena. Em 2010, segundo dados oficiais, já eram 300.823 os moradores, com um crescimento de 72,5%, o maior da cidade.
A simples duplicação do elevado aliviará um pouco o trânsito caótico, que hoje se move a uma velocidade média de 45 Km por hora, mas está longe de atender à demanda em condições confortáveis, segundo os padrões exigidos. É preciso incrementar uma reformulação conceitual no sistema de transportes, com opções para que o cidadão da Barra que ainda precisa ir à Zona Sul, onde  quase não há onde estacionar,  possa deixar seu carro em casa.
CORREIO traz especialista à Península e grava mesa redonda sobre transportes

Como havia anunciado, o CORREIO  trouxe no sábado, dia 6, à Península a professora  Eva Vider, uma das mais respeitadas especialistas em engenharia de transportes do país,  e gravou mesa redonda com os conselheiros Paulo Gianini (Fit) e Ítalo Cruz (San Martin) e com  Claudia Martins (Atmosfera), do Grupo de Transportes.

A mesa redonda teve a duração de uma hora e meia  e será editada nos próximos dias. O encontro permitiu uma produtiva troca de informações e conceitos sobre a proposta de reformulação do sistema de transportes da Península. Aos conhecimentos amplos da professora Eva Vider, somaram-se os dos conselheiros e de Cláudia, que demonstraram terem estudado a mudança nos seus mínimos detalhes.

Oportunamente, o debate será publicado aqui em nosso blog.

40 comentários:

  1. Não sei como pode haver pessoas que desejam mais transporte na Península. Estou de férias tentando ler o jornal e ouvir os pássaros na varanda, mas de 10 em 10 minutos passam ônibus barulhentos. Não consigo descansar!Cadê o tão falado transporte leve...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí! Bom mesmo é engarrafamento, inclusive na entrada e saída da Península! E brigas de trânsito! E stress! E carros em alta velocidade! E falta de controle nas portarias! E poluição! E pagar ônibus para funcionários em detrimento do estatuto!

      É disso que eu e os pássaros gostamos!

      Excluir
    2. Sra. Isa, a inexistência de transporte em nosso Bairro, nos obriga a fazer uso de nossos carros diariamente até para comprar pão. Se para fazer qualquer coisa fora de nosso lar precisamos sair com nossos carros, é isso que a Sra. chama de Ecobairro? Se queremos chamar nosso espaço de Eco bairro, precisamos sim de mais transporte. Precisamos de transporte para bairros vizinhos como a Freguesia, o Barra Shopping, o Rio II, a praia, ... Aí sim nós poderemos deixar nossos carros poluidores mais tempo nas vagas de3 nossas garagens e aí sim poder chamar nosso bairro de Ecobairro, do contrário, temos um bairro Ecoburro!

      Excluir
    3. Sra Isa boa noite!
      Gostaria que a Sra, fizesse uma reflexão...
      A Península é um bairro ecológico, mas a ecologia da Península vale apenas para dentro de seus portões.????? Ou o Península adota atitudes sustentáveis que contribuem para a melhoria de seu entorno e da cidade como um todo???

      A Dra Eva esteve aqui e nos brindou com uma excelente entrevista. Entrevista essa que será objeto de uma futura matéria neste blog.
      Contudo, só para adiantar, informo que foi realizado um estudo sério sobre Trânsito por vários pesquisadores e ficou constatado (através de números, gráficos e etc) que o uso de ônibus fretados(o chamado fretamento)reduz EM MUITO os engarrafamentos, e é uma excelente forma de reduzir a poluição nas cidades (o que também foi comprovado em números). Estudos foram feitas não só pela COPPE, mas também em várias cidades do mundo.

      Hoje a Península possui aproximadamente 3800 unidades habitadas e há, aproximadamente, 9000 veículols cadastrados. Podemos imaginar o que será a entrada e saída da Península quando todas as unidades tiverem sido vendidas!

      Um ECOBAIRRO é aquele que tem soluções sustentáveis: coleta seletiva, aproveitamento da agua da chuva, respeito à natureza e meio ambiente e uso de meios de transporte ecologicamente sustentáveis. E o transporte fretado é, certamente, uma das soluções sustentáveis que pode ser adotada por um bairro que se diz ecológico. Senão, como disse o José Geraldo, o Península não será um ECOBAIRRO, mas um ECOBURRO!!!!

      Claudia Martins

      Excluir
    4. Primeiro de tudo a Sra.Eva Vider não é isso tudo que vcs estão anunciando.Existem estudiosos na área de Transportes e Trânsito que poderiam ser contatados.
      Só vejo discussões e nada de concreto.

      Excluir
    5. Caro Anomino, acredito que vc gostaria que fosse o prof. David Zee, que tem cargo na associação de moradores da Barra? Ou seja, não é isento para participar desse debate.

      É cada uma...

      Excluir
    6. cara moradora, estou com você e não abro! insuportável o barulho desses ônibus e olha que eu nem ligo em ouvir o canto dos pássaros! eu queria só poder ficar com a janela do meu quarto aberta e poder dormir a qq hora do dia sem ser perturbada por essas monstruosidades que circulam aqui dentro. Fora ônibus a diesel!!! temos que implantar o sistema híbrido, silencioso e não poluente.............ai sim isso aqui ia começar a se tornar verdadeiramente um bairro ecológico!

      Excluir
    7. Para ouvir o canto dos passáros, excelentes CDs, recomendo!
      E fechem a janela para não pegar dengue

      http://www.terradospassaros.com/loja/produtos.asp?codigo_categoria=7

      Excluir
    8. obrigado pela recomendação do CD, mas possuo uns bem bons também, se quiser posso te passar! quanto a fechar a janela para não pegar dengue,é desnecessário já que possuo telas em todas as janelas...assim sendo acho que, quem tem que fechar as janelas é vc meu caro anônimo!!!ahahahha

      Excluir
    9. Não babaca desde quando David Zee é especialista em transportes?

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Abaixo uma matéria da Transition Brasil que fala dos paulistanos em busca de ECOBAIRROS.

    "O projeto chamado SEMENTES PARA UM BAIRRO SUSTETNAVEL e pacífico vai oferecer dicas de sustentabilidade a partir de ações individuais em sua casa, vizinhança, quarteirão/rua e no bairro, essas são as escalas de transformação do ECOBAIRRO.

    Há também o Projeto Sementes que visa a integração de todas as gerações buscando responder a seguinte pergunta: COMO PODEMOS GARANTIR A SUSTENTABILIDADE E A PAZ PARA AS FUTURAS GERAÇÕES A PARTIR DO NOSSO BAIRRO?
    O encontro será coordenado por uma das Conselheiras do ECOBAIRRO e irá ajudar a termos a capacidade de enxergarmos o futuro."

    Bem, já temos um ECOBAIRRO. Agora vamos destruí-lo para depois recriá-lo. Legal né...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ecobairro? Desculpe mas aonde? Com a poluição que nós geramos (carros, lixo desordenado, esgoto,...) a Península não é (e nunca foi) "ecobairro". Aliás, com todo respeito, essa denominação é blá-blá de ONG, não tem nenhum modelo funcionando e com resultados compreovados.

      Excluir
    2. Sra Isa, nem de longe pense em comparar S. Paulo com o Rio! carioca é o povo mais imbecil na face da terra!!!rs Desculpe-me se você é carioca mas com certeza se for, é a exceção!

      Excluir
    3. Com certeza, se forem como o amigo anônimo (13 de abril de 2013 02:40) acima, são mesmo.

      São Paulo, Rio, Brasil não tem nada de ecológicos. Transporte coletivo é ecológico. Por aqui, o povo quer carro, poluição muuito maior!!

      Excluir
  4. Caro Porfírio, não consigo entender como uma obra que nossa Prefeitura está por licitar para melhorar a fluidez viária no meio do caminho entre a Gávea e a Barra da Tijuca sem melhorar a fluidez viária nas pontas. Duplicar a capacidade de viabilidade viária entre São Conrado e a Joatinga sem mexer na capacidade de viabilidade viária antes e depois deste trecho, não irá resolver coisa alguma. E as pessoas precisam parar de bradar pela construção do mergulhão na Praça Sibelius, porque, qualquer intervenção naquele cruzamento entre a Auto Estrada Lagoa Barra com a Visconde de Albuquerque também não irá resolver nada ao trânsito entrante e sainte da Barra da Tijuca. No sentido Barra, a fluidez a ser oferecida pelo mergulhão irá esbarrar no funil do túnel acústico e dos vários "xizes" que existem em São Conrado. Já no sentido Lagoa, a fluidez a ser dada pelo mergulhão, não irá resolver o problema do funil na Borges de Medeiros e na incompatibilidade de gênios dos diversos sinais que existem na Mário Ribeiro e na Borges de Medeiros. Sinais que não se falam, aliados s operadores da Cet Rio que não param de falar no celular e falte de educação de nossos motoristas além de gargalos incontornáveis não se resolvem um mergulhão de 200 ou 300 metros.

    ResponderExcluir
  5. Jose Geraldo,
    Concordo com tudo o que você disse, mas o ótimo é inimigo do bom. Se formos esperar o projeto ótimo aparecer, não daremos nunca o primeiro passo. Acho certíssimo começar com a duplicação do elevado do Joá. Depois,os próximos governos com certeza terão que pensar na duplicação das pistas em São Conrado, no túnel acústico e etc etc etc...
    Isa Paes,
    Essa quantidade enorme de ônibus que você escuta da sua varanda, são ônibus enormes realizando percursos mínimos e na maioria das vezes indo e voltando vazios, além disso, atende apenas os funcionários, quando o correto seria atende-los e atender-nos. Nosso projeto prevê a readequação dessas linhas atuais e prevê apenas uma linha circulando dentro da Peninsula. As demais linhas (barra, zona sul e centro) partirão do ponto final. Tenho certeza que você escutará melhor os passarinhos depois da implantação do projeto !!! Torça por nós !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a "cidade maravilhosa" é uma piada!!!! isso aqui é o caos completo...tudo feito sem o menor planejamento...apagando incêndio...um salve-se quem puder...é o próprio caldeirão do Huck!!!rssr

      Excluir
  6. Os ônibus que atendem a Península são enormes e sim poluem.Deveriam ser tipo Micro, como a linha Quebra-mar já está utilizando. Nossas ruas são estreitas para eles que passam vazios durante o dia incomodando com os gazes e barulho.
    No entanto é tão óbvio que deve haver uma reestruturação de horários, modelos e rotas (para o Centro via Amarela e Zona Sul) que não consigo entender a resistência já que é sem custos... de alguns indivíduos que me soam muito egoístas.
    Não pensam na comunidade local e conforto dos moradores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sei...reestruturar horários, modelos e rotas para centro , zona sul e etc...sem custos adicionais??!!! vcs acham que alguém aqui é idiota é???

      Excluir
    2. Utilizando seu gancho, significado de Idiota:

      - Diz-se da pessoa desprovida de inteligência.
      - Diz-se da pessoa com excesso de pretensão ou vaidade; tolo.
      - Que pode significar ou caracterizar ausência de inteligência; falta de discernimento; estúpido.
      - Que não possui sentido ou valor; desinteressante.
      - Pessoa desprovida de inteligência; aquele ou aquela que não possui discernimento ou demonstra grande pretensão; ignorante.

      Se alguém acha que nosso sistema de transporte é eficiente, bom, atende a península,... está de acordo com as definições acima, talvez seja mesmo um idiota. Ops...

      Excluir
  7. Creio que na Península deveriam circular veículos leves e do lado de fora os ônibus pesados. Não se trata de egoísmo, apenas de preservar o que é bom, para depois não termos que chamar engenheiros da NASA ou quem sabe de Marte para recuperar o estrago. Como sempre o ser humano destrói pra se arrepender depois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isa, você está certíssima! o que esse pessoal quer é resolver o problema deles e depois que tiverem conseguido implantar a tal ampliação, dai já era!!! a frota de 30 ônibus do Rio2 vai ser fichinha diante da nossa visto que teremos em um futuro bem próximo, 50% a mais de moradores do que eles... dai só calcular!!!

      Excluir
  8. Gente! sinto informar mas os ônibus fretados estão com seus dias contados. Antes da copa, a prefeitura vai restringir o acesso ao centro de maneira que somente os transportes públicos irão trafegar. Sorry!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual a fonte?

      "Vans, kombis e micro-ônibus que operam o transporte de passageiros em linhas complementares terão a circulação proibida na Zona Sul"

      Aonde está escrito ônibus de condomínio? É cada uma hein, trollzinho.

      fonte: http://oglobo.globo.com/rio/prefeitura-do-rio-proibe-circulacao-de-vans-na-zona-sul-8084714#ixzz2QOvQrCzA

      Excluir
    2. não está escrito, foi dito com todas as palavras em entrevista dada pelo prefeito Eduardo Paes!!! vá se informar...

      Excluir
    3. Um dia de proibições e todos os ônibus de condôminio circularam livremente pela zona sul...

      Excluir
  9. Não sei porque esses "pobre-descendentes" insistem em morar aonde não podem! Só mora na península quem pode...ainda bem que a novíssima "seleção econômica natural de Darwin" acaba funcionando mais cedo ou mais tarde!kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  10. Os onibus da peninsula já foram micro e não tinha essa baderna toda.

    Querem que eu pague o transporte de voces pro centro? Paguem meu transporte que uso todo dia para ir para outra região.

    Acham que eu trabalho pra pagar as contas de voces?

    Isso é coisa de gente com moral leviana. Se eu quiser fazer doação de 100 reais por mes procuro algum orfanato ou coisa parecida que realmente precise do dinheiro.

    É só voltar como era antes...

    Ivan Guedes

    ResponderExcluir
  11. APOIADISSIMO Ivo Guedes!!!
    Defendo acima de TUDO a parte ECOLÓGICA, depois vem a parte financeira.
    Porém, quem tem a ilusão de que essa frota rodoviária vai ser sem custo é muito inocente...

    ResponderExcluir
  12. APOIADISSIMA ISA! Os moradores que apoiam este transporte estao cegos e caindo numa armadilha que está logo ali na frente e nao estao se dando conta. Contratem onibus pra circular "out side" com uma conexao ecologica na parte interna.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. apoiadíssimo anônimo! vamos fazer um movimento imediato para que se retire esses ônibus a diesel, barulhentos e poluidores do meio-ambiente!!! essa frota não está condizente com um bairro projetado para ser ecológico. Vamos testar alternativas coerentes com nossa qualidade de vida. vamos lá gente!!!

      Excluir
  13. Ivan, Isa e anônimos...até que enfim as pessoas estão acordando!!!claro que isso é uma grande armadilha. A estória é a seguinte: eles falam em reestruturação, sem custo adicional para não assustar as pessoas. Depois de conseguir aprovar, dai obviamente a frota iria ter que multiplicar por 5 para atender a população que estaria pagando e logo iria querer usufruir também e dai como disseram anteriormente a frota de mais de 30 ônibus do Rio2 seria pequena comparada a nossa!

    ResponderExcluir
  14. Queria que o pessoal que apoia o transporte para o centro me respondesse à essa pergunta: O transporte para centro pago somente pelos seus usuários diretos é menos ecológico do que se fosse pago por todos os moradores?!rs

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics