quinta-feira, 16 de maio de 2013

Moradores atentos, a Península agradece

Carros abandonados em nossas vias e práticas de lavar lixeiras na calçada provocam indignação da vizinhança

Se há um lugar em que o exercício pleno da cidadania é um imperativo, em nome de uma qualidade de vida e de valores de convivência irrenunciáveis, esse lugar é aqui, onde canta sabiá, onde as aves que gorjeiam não gorjeiam como lá, como diria o poeta Gonçalves Dias.

A favor dessa faculdade cidadã proativa,  a modernidade oferece ferramentas de comunicação jamais imaginadas em passado recente. A fotografia documental está ao alcance de todos nos celulares e em câmeras digitais de resolução nítida.

E mais do que isso: é possível transmitir o flagrante ao mundo inteiro, em questão de segundos, via internet. Nessas condições tão propícias só não pratica ato tão salutar e construtivo quem não quer.  Ou quem não se entendeu que é do seu clamor que se produz a luz dos nossos caminhos.

Tenho recebido mensagens com manifestações e observações a respeito de certas situações aqui na Península. E vejo nelas um sinal cada vez mais positivo de uma consciência crítica inteligente: se deixarmos, se não estivermos atentos, o ambiente vai sendo castigado por maus hábitos e estes podem se tornar maus exemplos. Maus exemplos irreversíveis e degenerativos.

Já há algum tempo, Fernando Bello, vizinho do Aquarela, sempre ligado na nossa vida peninsular, fotografou carros abandonados em nossas ruas, destoando do mínimo desejável e depondo sobre a omissão de quem deveria tomar as devidas providências.

Carros abandonados e ninguém faz nada

Foto FERNANDO BELLO
Este Jaguar  ficou na  Av. dos Jacarandás há meses e só foi retirado
nesta quinta-feira, ante os comentários na página dos Reais Amigos
da Península no Facebook.
Além de nos mandar as fotos,  postou na página do grupo Reais Amigos da Península no Facebook e ensejou com isso uma ampla troca de impressões nesse espaço que já motiva centenas de moradores. E no qual todos, indistintamente, têm a oportunidade de expressar de forma instantânea suas mais diversas preocupações.

A postagem das fotos levou também a um debate crítico sobre a administração de nossas ruas, com os vários problemas crônicos: em boa parte delas, gastamos do nosso bolso para a sua conservação, mas quem utiliza livremente os estacionamentos é quem não quer pagar nos prédios comerciais próximos.

Ele mesmo comentou: "Tomara que o Jaguar tenha ido para a garagem. Mas além do Ka e da BMW existem vários outros em frente ao campo de futebol: Fiesta, Opala, etc e etc... Fora os que tem o disfarce de estar à venda. Virou o mercado livre da Península".

Serviço porco, a lavagem de lixeiras na rua
                                                               Foto ANA BRICIA
Os próprios moradores do Mandarim estão indignados com isso aí
Agora, recebi fotos de Ana Bricio, nossa vizinha do Paradiso, perplexa com os procedimentos do pessoal da limpeza do Mandarim, que se dá à extravagância de lavar as lixeiras do prédio em plena rua, algo que deve provocar a indignação dos seus próprios moradores, cujo síndico não mora lá: é um “profissional” contratado.

Ao me enviar as fotos, Ana Bricio escreveu com muita propriedade: “A pressão sobre as irregularidades é  que pode impedir que a nossa Península se transforme em uma terra de ninguém".

Sua perplexidade e indignação têm muito a ver:

“Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a iniciativa tão útil que foi a criação de seu blog e do Correio da Península. Comentários e denúncias serão sempre úteis para quem realmente escolheu a Península para ter qualidade de vida.

Sugestões e criticas são sempre bem vindas para manter a ordem das coisas.

E por isso, peço que divulgue as fotos da mais nova irregularidade que vem acontecendo por aqui, já que o forte da ASSAPE, sem dúvida alguma, não é a defesa dos interesses dos moradores.
No último sábado, mais uma vez flagrei funcionários do Mandarim lavando 20 lixeiras na calçada em frente à entrada principal do Ed. Península Paradiso.

Entrei em contato com a ASSAPE, que mandaria um supervisor ao local. Vinte e cinco minutos depois, como não apareceu ninguém, liguei novamente avisando que eles já estavam terminando de lavar as 20 lixeiras. VINTE! Ficaram de mandar novamente o supervisor, q demorou mais 10 minutos, encostou o carrinho, mandou que terminassem logo e foi embora.

Nenhuma multa, nenhuma providência, aquela água imunda permaneceu na calçada e no asfalto.

Em seguida a ASSAPE nos ligou informando que os funcionários do Mandarim alegaram desconhecer a proibição.
Ponto final”.

Quantos mais moradores agirem como Fernando Bello e Ana Bricio, mais longe estaremos da desfiguração de nosso projeto de vida, fatalidade que, infelizmente, acomete iniciativas de grande porte que fogem do controle racional, principalmente se considerarmos as características débeis e nada vocacionadas de quem teria delegação para gerir espaço tão vulnerável como esta Península e não deixar que espetáculos tão deprimentes aconteçam.

18 comentários:

  1. Precisamos iniciar uma forte campanha contra os excessos de velocidade em nossas vias. Como eu tenho o hábito de correr todas as noites na beira do asfalto, percebo automóveis em velocidade incompatível, verdadeiros alucinados, sobretudo no trecho entre o Saint Barth e Saint Martin, onde a via é mais larga e os quebra-molas são escassos. E agora com o novo asfalto, o que era uma lombada virou uma ondulaçãozinha leve... Fora uns adolescentes sem noção (culpa dos pais) que correm quase toda noite num quadriciclo, sem capacete. Como se estivessem no seu quintal.

    ResponderExcluir
  2. Pedro, meu comentário anterior desapareceu não sei como, logo após eu postar o que ficou como primeiro.... Bem, no primeiro eu agradecia a menção do debate que lancei no Facebook (Reais Amigos da Península) no teu blog, que já é a meu ver o blog oficial da península, onde a notícia chega completa. E comentava ainda o fato da coincidência ou consequência do debate, que foi a retirada do Jaguar pelo seu dono, supostmente mordor da Península. Esperemos que os proprietários dos demais carros abandonados os retirem, abrindo as vagas rotativas que tomaram para si, indevidamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando
      Quando alguém posta um comentário, a cópia vai para a minha caixa de e-mail. Creio que você se refere a esse:
      Pedro, não sei se por mera coincidência ou em consequência do alerta no Reais Amigos da Península (Facebook), mas o fato é que o tal Jaguar da foto foi retirado entre ontem e hoje. Parabéns pela decisão do seu proprietário, que segundo comentário de alguém, é morador da Península. Esperemos que outros sigam seu caminho antes que comecemos a postar os demais com as devidas placas. Obrigado por reforçar esta campanha no teu blog, que é o nosso blog oficial
      ONTEM, EU FUI LÁ E VI. JÁ ERA PARA TER EDITADO ESSA MATÉRIA ´HA MAIS TEMPO. DE QUALQUER MANEIRA, VALEU. UM MORADOR ME INFORMOU POR E-MAIL QUE HÁ UM BMW EM FRENTE AO ATMOSFERA. VOCÊ FOTOGRAFOU TAMBÉM?

      Excluir
  3. E essa da lavagem das lixeiras na calçada é demais...

    ResponderExcluir
  4. De fato, Pedro, era o comentário que eu perdi. Quanto ao BMW ainda não fotografei, mas está lá em frente ao Atmosfera. Assim que fotografá-lo te envio a foto, junto com os demais que já comentei, ok?

    ResponderExcluir
  5. Profundamente indignada por ter investido tanto em um condomínio que julgava valer a pena. A Península está virando uma bagunça. entra quem quer, a hora que bem entende............. Onde é que vamos parar?

    ResponderExcluir
  6. Realmente, é absolutamente inacreditável essa cena de lavagem de lixeira na calçada. Se a Assape come mosca, para quem apelar?

    ResponderExcluir
  7. Como moradora do Mandarim, gostaria que todos soubessem que esse caso está causando muita revolta entre os moradores. Acredito que não acontecerá mais, pois estamos cobrando da administração.

    ResponderExcluir
  8. O responsável deve tomar providencias, proibir o fato através do condomínio, pedindo ao prestador de serviço que nao lave mais na rua suas lixeiras.

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics