sábado, 1 de junho de 2013

Ônibus: emenda seria pior que o soneto?

O outro lado de um sonho 
Com 6 ônibus fazendo somente uma ida e volta ao centro, a oferta de assentos  atenderá apenas a 276 moradores em horários engessados

A Assape cotou apenas a Tursan e deixou de consultar outras empresas experientes no trajeto

Totalmente a favor da reformulação do sistema de transportes, considerando principalmente que o serviço atual é dinheiro jogado fora por que não tem quase nenhuma serventia para os moradores, começo a temer que TROQUEM SEIS POR MEIA DÚZIA e muita gente interessada fique a ver navios.
Essa foi a sensação que me acometeu ao ler e reler o projeto levado ao Conselho no dia 27 de maio que, salvo engano, só poderá atender a APENAS 276 MORADORES nos itinerários para o Centro e isto é mil léguas distantes da proposta que abraçamos como CONQUISTA DE TODOS. De fato, olhando o que está no seu escopo, (CLIQUE AQUI E VEJA A ÍNTEGRA DO PROJETO  NA INTERNET) só quem sairá ganhando será a empresa de ônibus, que fará uma ida e volta cobrando R$ 577,14 por morador – muito mais do que alguns já pagam às vans que contratam diretamente.

Para justificar o envolvimento de todos  no pagamento desse benefício, que sempre defendi, é preciso valer-se de uma engenharia abrangente e dinâmica, que parta exclusivamente da ótica dos moradores. Não tem sentido, por exemplo, que os seis ônibus para o centro passem o DIA PARADOS, quando existem demandas em horários diferentes. A ser coerente com a interpretação  do estatuto, eles devem operar como circulares, indo e voltando, num planejamento que assegure a condução  nos momentos de maior demanda.

Ônibus passarão o dia parados no Centro

Com essa proposta não é certo acenar com a possibilidade de que a pessoa possa usar os ônibus para ir a um médico ou a atender a afazeres avulsos,  uma vez que  os horários estão engessados exclusivamente para levar alguns moradores  de manhã  para o local de trabalho e trazê-los de volta no fim do dia. Fora disso, como está salientado no projeto, os ônibus passarão todo o dia estacionados em algum ponto do centro da cidade.

Para compensar o apoio dos moradores que participarão do rateio, deverá haver sempre um ônibus a caminho, com ou sem lotação completa, num espaço máximo de uma hora, facilitando o seu uso eventual ou em outros horários.  Muitos moradores não precisam sair de casa até oito horas da manhã,último horário dos ônibus para o centro,  e, como acontece na quase totalidade dos condomínios que têm esse serviço, dispõem de opções de hora em hora.

O projeto disponibilizado fala no rateio, mas não explicita os custos de cada ônibus.  Pelo relato de um dos conselheiros, deparamos com números que surpreendem: os de luxo, que iriam até o centro, custariam mensalmente R$ 25.000,00 (R$ 14,16 por Km percorrido). Já os “urbanos” mais simples, que fariam trajetos curtos, custariam R$ 35.000,00. Isto poderia estar relacionado com a capacidade de passageiros por trajeto, mas não tem nada a ver: custarão 40% a mais por que rodarão mais.

Valores de uma única empresa não são consistentes

Além de não apresentar o custo total com a rubrica de transportes em nenhum momento, o projeto se contradiz: num ponto, fala num ônibus de transfer e no outro diz que os ônibus que vão para o Centro percorrerão toda a Península.

Quando demos a primeira notícia, acolhemos o cálculo de um conselheiro de que cada ônibus novo na linha para o centro acrescentaria apenas R$ 4,58 a cada família. Ele disse que isso seria uma espécie de bônus. Considerando a informação da Assape de que existem 4.318 unidades pagando a contribuição associativa, sem falar na parte das incorporadoras, cada ônibus novo sairia por R$  19.776,44. Isto, repito, para fazer apenas uma viagem de ida e outra de volta, o que não chega a 90 Km por dia.

O principal erro do projeto para definir custos foi trabalhar apenas com os valores da empresa paulista que nos serve atualmente e que, provavelmente, não tem nenhuma experiência no modelo de transportes para o centro. O rigorosamente indispensável seria consultar a pelo menos 3 empresas, especialmente as que já fazem esses trajetos. Cingir-se EXCLUSIVAMENTE à Tursan (Turismo Santo André) não passa uma boa impressão, nem permite uma informação de custos com a segurança necessária.

Gráfico da Assape: clique nele para vê-lo maior
Em qualquer estimava, os números não se justificam.  Para chegar a essa conclusão, basta compilar os dados comparativos apresentados pelo diretor da Assape, Joélcio Cândido, na reunião aberta do dia 21 de fevereiro.

Em outros condomínios, ônibus para o centro o dia todo

Fonte: projeto apresentado por um grupo de moradores. CLIQUE NELE 
para vê-lo maior.
Teríamos um total de 13 ônibus por R$ 409.000,00, segundo estimativa de um conselheiro do grupo que assina o projeto. Isso representaria  R$ 31.461,53 por veículo e um gasto mensal com ônibus por morador de R$ 86,00 ou R$ 6,61 por veículo (com apenas uma ida e volta nos trajeto para o centro, ressalte-se mais uma vez). Já na Associação do Bairro Marapendi (ABM), que tem 29 ônibus para vários destinos fazendo viagens o DIA INTEIRO, o custo por ônibus-morador sai por R$ 5,17, com direito a uma média  de 3,3 carteiras, e não uma como se pretende aqui.   

Esse limite de uma carteira por unidade é outro fator de descontentamento. Não existe em nenhum dos condomínios da Barra.  No do Novo Leblon, que concede tantas carteiras quantos forem os moradores comprovados,  o sistema estabelece até um crédito em serviços para quem não usa o ônibus sempre.  Nesse caso, ele pode ter como compensação a participação a custo zero em excursões a outras cidades.

Na matéria escrita na madrugada do dia 29 de maio, ao repassar as informações recebidas de dois conselheiros do grupo, quando a Assape não havia ainda disponibilizado o teor do projeto ( o que só fez na parte da tarde),   tive o cuidado de alertar:

“Os mais experientes apontam para a necessidade do projeto definir-se como dinâmico, flexível.  Se os seis primeiros ônibus atendem a uma demanda explícita hoje, a procura irá aumentando gradativamente, na medida em que o sistema for se mostrando concretamente. E todos os moradores terão direito de optarem pelo novo modal”.

E mais: “O CORREIO DA PENÍNSULA torce para que o projeto se materialize com o apoio da maioria dos moradores e as salvaguardas para que esteja vacinado contra efeitos colaterais negativos na sua implantação”.

Na quinta-feira santa, quando lamentei a agressividade dos comentários postados LIVREMENTE no nosso CORREIO, apontando elementos subjetivos na elevação da temperatura dos confrontos, também ponderei por oportuno:

“Dispor alguns ônibus fretados em alguns horários para o deslocamento de alguns moradores está longe de ser um remédio para a Península, a Barra da Tijuca e a cidade.  Mas tem um conteúdo altamente positivo na revisão dos hábitos e das concepções de uma cidadania que precisa se encontrar nos denominadores comuns”.

Fique claro mais uma vez que, embora minha família não tenha expectativa de usá-los, que sou  apaixonadamente favorável à existência de ônibus para o Centro, Zona Sul, Zona Norte e outros pontos que tenham demanda real.

Mas a implantação dessa alternativa deve ser uma obra de engenharia baseada nas minúcias e detalhamentos que o benefício exige, trazendo ganhos diretos e indiretos a todos, sob pena da emenda sair pior do que o soneto.

O trabalho espontâneo e voluntário dos conselheiros que estudaram as alternativas merece todo o respeito.  Mas talvez fosse mais indicado confiar os estudos a uma empresa especializada.  O importante nisso tudo é  o próprio ritual previsto, com ampla discussão em cada condomínio, abrindo caminho à sua adequação e abrangência dinâmicas.

Para que seja efetivamente democrático e justo,  uma premissa deve ser estabelecida: o morador pode deixar de usar os ônibus para o centro por vontade própria – nunca por falta de assentos.

Fica essa matéria para reflexão de todos, principalmente dos baluartes do movimento por ônibus para o centro. É manifestando com lisura e responsabilidade suas ponderações sem medo da verdade que o CORREIO DA PENÍNSULA contribui para o bem comum e o progresso na qualidade de vida do nosso recanto.

44 comentários:

  1. Por que será que concordo plenamente com você Porfirio????

    O QUE SE QUESTIONA NÃO É O QUE TEM QUE VIR PRIMEIRO OU O QUE DEVE SE PRIORIZAR, MAS SIM A AQUISIÇÃO DE ALGO QUE NÃO RESOLVERÁ O PROBLEMA!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imprecionante voce concordar, pois você PAULO GIANINI faz parte do grupo de estudo do onibus, kkkkkkkkkkkk , isso aqui parece piada, mas infelizmente não é ! E os conselheiros não enxergaram isto ?

      Excluir
    2. O amigo aí de cima precisa aprender a escrever IMPRESSIONANTE...e não IMPRECIONANTE. Quanta falta faz o MOBRAL. De onde você veio, cara? Será o borracheiro que virou emergente?

      Excluir
    3. Tu és bom no Português, mas na Matemática !? kkkkkkkkkkkkkkkk !

      Excluir
    4. POANOITE!! Jojo, é vc?

      Excluir
    5. Ô Imprecionante ?!?! Você sabia que apesar do Paulo Gianini fazer parte do grupo ele foi voto vencido em todos os itens do projeto ? Ele foi contra a colocação de onibus com banheiro, ele foi contra que os ônibus fizessem apenas 1 ida ao centro e contra outras e outras decisões em que a maioria foi a favor e terminou com a apresentação deste projeto que não atende a ninguem ! Felizmente, ele colocou "a boca no trambone" durante todo o projeto, e, apesar de não conseguir aprovar o que queria, pelo menos sabíamos o que andava acontecendo debaixo dessa podridão ! O objetivo da Assape ficou muito claro. Preparar um projeto que não fosse bom para ninguém e não fosse aprovado pela maioria dos moradores. Triste associação essa que tem um membro que escreve imprecionante !!!!

      Excluir
    6. hahahahha. Esse cara é fera, deveria trabalhar em humorístico, parece um personagem do chico anisio ou jo! Parrapêmzzz!!! (parabéns em sua homenagem!!)

      Excluir
    7. Sabe tudo o Anônimo3 de junho de 2013 11:48!!! Só pode ser o Jojo mesmo, estava em todas as reuniões!! Jogue tudo no ventilador mesmo!!

      Excluir
  2. Que balde de água fria!!!! Com esses horários engessados, a "solução" de transporte para o Centro/Zona Sul atenderia apenas a uma parcela de interesssados. Portanto, se não houver ampliação das ofertas de horários (ou um maior espaçamento das previstas), certamente, o grupo que estava junto nessa luta ficará dividido, pois o pleito de maior mobilidade vai além do simples deslocamento para o trabalho no Centro/Zona Sul.
    Prever como último horário de saída às 8:00h é inacreditável!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro amigo,

      Foi tudo orquestrado...
      Nossa ingenuidade e' patética diante da astúcia da ASSAPE, CH e empresários favorecidos por vantagens inescrupulosas.

      Excluir
    2. Concordo totalmente com o anônimo de 02/06/2013 as 10:56 !
      Mais triste ainda, é saber que alguns conselheiros aprovam tudo isso !

      Excluir
    3. Mas é justamente por isso que eles aprovaram, caro Anônimo3 de junho de 2013 11:50. Se fosse para beneficiar os moradores, eles iam reprovar!!!

      Excluir
  3. O Aumento proposto na cota da ASSAPE é de R$36,89 por unidade, totalizando o valor de R%230.000,00 a mais no orçamento para ser gasto com o novo contrato de Transporte.

    No Península, conforme a proposta apresentada, teríamos 4200(aproximadamente) carteiras para o Centro (01 por unidade)

    Comparando essa proposta com o valor do contrato de transporte de outros condomínios ....

    No Pedra de Itaúna são 6370 carteiras para o Centro.

    O valor do Contrato Pedra de Itaúna é de aproximanademnte R$240.000,00, com 6 ônibus executivos e 01 micro (com horários o dia inteiro):

    http://www.pedradeitauna.org.br/images/2013-05-15-horario-do-onibus-amapi.pdf

    Então, acho que o preço dado pelo da TURSAN está muito caro, pois no projeto apresentado são apenas 6 horários de manhã (de 6:00 às 8:00) e 6 horários a noite ( de 17:30 às 19:30).

    Das duas uma: ou o valor diminui ou os horários aumentam. E o melhor seria que fosse feita uma tomada de preços com outras empresas para buscar uma melhor cotação...

    ResponderExcluir
  4. Contrato da ABM :R$ 881.000,00
    Assentos disponibilizados: 8004

    X

    Aumento previsto na cota para o contrato dos ônibus Cemtro/Zona Sul : R$230.000,00
    Assentos disponibilizados conforme o projeto:552


    Ou seja, o preço da TURSAN é mais que o triplo do contrato da ABM....

    Das duas uma : ou o valor diminui ou os horários aumentam. E o melhor seria que fosse feita uma tomada de preços com outras empresas para buscar uma melhor cotação...

    ResponderExcluir
  5. Estudo de 90 dias e não fizeram pesquisa de demanda ? Kkkkkkkkkkkkk !

    ResponderExcluir
  6. Porfirio, parabéns pelo post. Vários pontos que tb observei, muito bom. E o anônimo que está comparando com outros condomínios, parabéns, tb fiz essas contas, q isso!!
    Ainda vai passar muita água embaixo dessa ponte.


    abs
    Rodrigo

    ResponderExcluir
  7. Já havia lido o projeto que a Assape mandou junto com um parecer jurídico contrário aos ônibus para o centro. Cheguei a conclusão que confirmo agora
    que tudo foi montado para que os próprios moradores votassem contra a idéia de mudar esse sistema que não serve para nada e que também só é bom para a empresa, que mama mais de 200 mil por mês, tirando 50 pratas de cada um de nós e nós ficamos calados, porque quem aprova tudo é o conselho controlado pelos amigos e etc da Carvalho Hosken. Por isso não entendi a euforia de alguns quando o Pedro Porfírio deu aquela primeira notícia dizendo até que a diretoria da ASSAPE estava ajudando, que a implantação do projeto estava decidida e era questão de detalhes. Agora eu mesmo não sei o que a gente pode fazer. Pra ser sincero, acho que esse projeto foi feito mesmo pela própria TURSAN que ganha mole na Península e não entende porcaria nenhuma de transporte para o centro. Sou engenheiro e posso dizer que esse projeto não tem coerência nem base técnica e é um cala boca muito descarado. é uma cilada também. Como está na reportagem diz uma coisa aqui e o contrário ali. Tudo de propósito. Note que as letras da apresentação são as mesmas da apresentação que a ASSAPE fez em fevereiro. Não sou ingênuo e não pertenço a grupo nenhum mas agradeço ao Pedro Porfírio porque agora ele está descascando o abacaxi e mostrando que estão nos fazendo de babacas. Acho que tem lobo em pele de cordeiro. Tem muitos judas na parada. Quem quiser que procure adivinhar.Não posso me identificar porque trabalho numa construtora que já fez prédios aqui. Antes morava na ABM e lá tudo funciona nos trincos e hoje minha irmã paga 134 reais pra ter ônibus o dia inteiro para mais de 10 itinerários.

    ResponderExcluir
  8. Pedro, leio sempre seus e mails, essa conversa de onibus acho uma grande tolice, 90% dos moradores da Peninsula tem condições financeiras de resolver seu proprio problema de ir ao trabalho. Os onibus devem funcionar para tirar as pessoas de dentro do condominio, já é o bastante, fazer rotas mais inteligentes servindo, mercados, shoppings e a praia. os onibus não devem sair do bairro. Os moradores que precisam ir para a cidade trabalhar que formem grupos e por elas mesmos resolvam com vans ou mesmo com onibus alugados por eles e não envolvam todo o condominio em um problema que é pessoal, como vc disse 276 seram benificiados nesse mar de moradores. que cada um cuide do seu, é bem melhor.
    Fernandes

    ResponderExcluir
  9. Foi o que disse. Todos iríamos pagar, para uma minoria utilizar. Alguns ANÔNIMOS tentaram justificar que o transporte não era para o centro e também para bairros, como Leblon, Ipanema, etc., onde pudesse existir médicos, dentistas... Só que eu teria que conciliar horário disponível desses profissionais com os horários dos itinerários. Seria difícil. Os argumentos são muito frágeis. O universo de moradores da Península é muito grande. Não é como o dos condomínios como Atlântico Sul, Barramares, Novo Leblon, Nova Ipanema e outros. Concordo com os comentários do Paulo, Nando e Anônimos, com exceção daquele que escreveu impressionante com "c".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Victor, vc não deveria opinar pois faltou com a verdade com os moradores do seu prédio, Style. Como saberemos se o que fala é verdade ou outra manobra para conseguir algo? De alguém que acha que deveria receber para ser sindíco e disse isso em assembçéia, cara de pau!!

      Excluir
    2. Una-se ao grupo do Gilson, José Mauro,... e outros que são contra o ônibus da Península!!!

      Excluir
  10. Deveriam ter vergonha de apresentar um projeto com estas características....

    ResponderExcluir
  11. CONCORDO COM O ANÔNIMO ACIMA, E DIGO MAIS, TODOS OS MORADORES DA PENÍNSULA DEVERIAM TER VERGONHA DE TUDO QUE ESTÁ ACONTECENDO, NÃO SÓ A PÉSSIMA GESTÃO DO TRANSPORTE, MAS A DA SEGURANÇA, DO TRATAMENTO DO ESGOTO, DA POLUIÇÃO DA LAGOA, DA FALTA DE EDUCAÇÃO DE ALGUNS MORADORES QUE TEM CACHORRO, DE ALGUNS MOTOCICLISTAS E MOTORISTAS QUE NÃO RESPEITAM A VELOCIDADE MÁXIMA, ETC.....

    PAULO GIANINNI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apoiado Fernandes. Os moradores que precisam ia a cidade, que formem grupos, resolvam por elas mesmas e não envolvam todo o condomínio em um problema pessoal.
      Apoiado Gianinni. Sonho com uma Península de gente educada em todos os sentidos comentados.

      Excluir
  12. Caro Pedro,
    É lamentável ler as matérias sobre o transporte coletivo, que só visa atender aos interesses de quem nem de longe vai usá-lo... o da ASSAPE.
    Mudei da Península no ano passado, mas mantenho um apto aí.
    Fui para a ABM justamente pela alegação de precisar fugir do caos do transito e usar o transporte coletivo, e diga-se de passagem, funciona muito bem.
    São 29 ônibus fazendo idas e vindas das 5h as 21.30 se bem me recordo. Andam quase sempre lotados no horário de pico e por varias rotas possíveis, com alguns exclusivos para atender escolas na ida e volta dando tranquilidade aos pais. Isto é que é viver em CONDOMÍNIO e mais, em sociedade, onde tudo é pensado no melhor para todos e não para uma pequena parte.
    Poderia melhorar? Sempre, mas o sistema atual é fantástico!! E o valor??? R$ 147,00 por 3 moradores por apto.
    Nada comparado ao absurdo que o Sr relata que querem cobrar...
    Na verdade estes 6 ônibus deveriam fazer o sistema circular ate o Centro e não uma ida apenas...
    Deveriam consultar empresas com experiência nisto e não esta. É tão mais simples e fácil usa o famoso "benchmark" afinal "Na natureza nada se cria, tudo se copia"!!
    Boa sorte a nós!!

    ResponderExcluir
  13. Quem cotou este serviço para o centro considerando 6 ônibus fazendo uma só ida, cada um, na manhã, e um retorno no final do dia, ou é muito INGÊNUO ou muito ESPERTO. Em resumo trata-se de pagar aluguel de 6 ônibus para mantê-los INOPERANTES durante pelo menos 10 horas cada dia ! Assim eu também quero alugar ônibus para a península. Deve ser por isso que já se paga tão caro por este serviço de quinta que está aí. Acho que valeria uma pesquisa neste contrato atual, pois se os responsáveis tiveram o mesmo cuidado que agora nesta cotação para o centro, fico com a pulga atrás da orelha.

    ResponderExcluir
  14. Estudo incompetente feito por leigos (e espertos). O resultado tinha que ser esse.

    ResponderExcluir
  15. VEJO QUE PARECE QUE TEM ALGO ESTRANHO, O TRANSPORTE SÓ ATENDE INTERESSE DE ALGUNS, E OS DEMAIS ESTÃO DE ACORDO., ACREDITO QUE NÃO., COMO SE FAZ UM ESTUDO COM APENAS UMA EMPRESA. TENHO VISTO QUE ESTÃO COLOCANDO MUITOS ONIBUS VELHOS PAGAMOS CARO PARA VER E CONVIVER COM SERVIÇOS QUE NÃO FUNCIONAN CORRETOS VEJO UMA BALSA INDO E VINDO VAZIA O DIA TODO SERÃ QUE E PARA DIZER QUE TEM.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bota estranho nisso. Quem fez esse projeto não seguiu nenhuma norma e está entregando o ouro ao bandido. Será que não percebem que não somos crianças e temos discernimento? Que vexame. Lá se foi o meu ônibus para o centro.

      Excluir
  16. A proposta vexatória saiu de dentro da ASSAPE e não do grupo empenhado na otimização do transporte precário que temos, e que também não deixa de atender a interesses de uns ou de outros: o do transporte de empregados, funcionários, etc. Hoje só atende de fora pra dentro. Então, por que cada patrão não trata de pagar o transporte de seus funcionários? A meu ver o grupo empenhado na otimização apenas caiu num engodo, num cala boca, de maus representantes da Peninsula, eleitos apenas pela falta de participação efetiva nas reuniões de condomínio, onde, em geral, a minoria decide pela maioria. É por isto que vemos um troca-troca (de cadeira) entre presidente e vive-presidente, e por aí vai. E ainda fazem propaganda disto, Culpa de quem não vai às reuniões do seu condomínio. Aí é o síndico que cria raízes, panelinhas, e sabemos onde termina: no bolso da maioria !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito Fernando! Excelente o seu comentário!

      Excluir
  17. Eita nois, que estudo esse! Bonitinho mas ordinário!! Sai fora!

    ResponderExcluir
  18. Ao invés de ficar discutindo entre vizinhos e colocar na conta da ASSAPE problemas de transporte, é mais produtivo usar a ASSAPE para pressionar o Município e Estado para oferecerem um transporte digno e trazer o metro aqui para o Alvorada isso sim é usar a nossa maior arma que é a associação para pressionar estes demagogos para pensarem melhor o transporte publico da nossa cidade, e mais toda a economia que geramos ao Município que não gasta nada na manutenção de parques, ruas, etc... mais recebe o IPTU que pagamos além da taxa associativa poderia ser revertida ao entorno iluminando e oferecendo segurança ao acesso aqui do nosso bairro, vamos pensar grande e sair desta picuinha com moradores e ASSAPE, vamos usa-la com inteligência e não denegri-la pelo fato de não estar atendendo 100% dos nossos anseios, sou a favor da consciência coletiva, é assim, como moradores que devemos pensar, sozinhos não somos ninguém agora unidos podemos forçar mudanças que melhorem a qualidade de vida não só da Península mais da Barra como um todo.

    abraço a todos

    ResponderExcluir
  19. O anônimo acima, uma pena que não se identificou, pensa grande e fora do quadrado. Temos de fato que usar nossas forças (e temos!) para trazer o jogo a nosso favor (em benefício dos moradores). Mas que há incompetência e desinteresse ou outra coisa na ASSAPE de hoje, isto há (e não quero dizer que tudo seja ruim, há muitas boas iniciativas, mas há um certo "ranço" e subserviência notórios que roubam a cena da associação, muito má representante dos moradores, por culpa destes que pouco participam.

    ResponderExcluir
  20. Vamos usar com inteligência e união nossa associação, vamos pressionar a Câmara Comunitária da Barra, que é a associação mais importante, por ser a representante de todas as associações de condomínios e sub bairros aqui da nossa região, e através dela sim, pressionar politicamente os líderes que tem o poder da caneta e trazer o metro até aqui ao Alvorada, isso sim seria a maior conquista, ao invés de ficar dando fortunas ao monopólio chamado FETRASPORT para alugar dezenas de ônibus e atender esta demanda que inteligentemente deixa seus veículos em casa para ir de ônibus ao trabalho, médico ,escola, etc... Vivemos em um bairro de primeiro mundo ecologicamente correto integrando ao desenvolvimento urbano com o ecossistema local em perfeita harmonia, vamos irradiar este beneficio que temos aqui para toda a Barra, só conseguiremos isso com uma associação forte, competente e principalmente unida e com moradores ativos e conscientes do bem estar geral, vamos fortalecer e não denegrir aquilo que é o grande trunfo que temos a ASSAPE, reflitam sobre este assunto sem raiva ou emoção e sim com inteligência. Coloquemos a transparência e a liberdade de expressão deste BLOG imbuído com a força da ASSAPE para nos representar da melhor forma e conquistarmos o melhor a longo prazo e não mais do prato para boca criando soluções que no futuro iremos nos arrepender.

    Obrigado pelo espaço.

    Fernando

    ResponderExcluir
  21. Fernando, excelente o seu comentário. Uma pena não ter se identificado!

    ResponderExcluir
  22. Bem, um anônimo que elogia um bom comentário mas lamenta que "o Fernando" anterior não tenha se identificado com sobrenome. Então apenas para que fique claro, embora eu concorde com o Fernando, este Fernando não foi eu.

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics