domingo, 4 de agosto de 2013

Assalto a 3 metros da cancela

Moradora que vinha a pé viu tudo e um segurança  não pôde fazer nada por que não há vigilância fora da cancela

O relógio marcava 11 da noite deste sábado quando um carro conduzido por jovens foi abordado à saída da Península, bem próximo da cancela.  Era um assalto à mão armada. Os jovens tiveram que entregar o veículo em um movimento rápido.  Ato contínuo, os bandidos saíram em disparada.

Pela descrição da moradora , o assalto aconteceu neste ponto, bem próximo da cancela
A ação que poderia ter provocado vítimas fatais foi presenciada por uma família que vinha a pé da pizzaria do 02 em direção ao seu apartamento no Saint Barth. Um segurança também viu tudo, tentou sair atrás, mas os bandidos sumiram em velocidade com a cobertura de outro veículo.

A família ainda abordou o segurança, que disse que não existe qualquer monitoramento ou atenção para além da cancela.  Cláudia, uma das moradoras, não entendeu a facilidade com que já haviam atravessado a cancela a pé, sem ser abordada por ninguém da portaria.

Próximo  ao condomínio Smart, ela se deparou com as vítimas.  Estas estavam bastante nervosas. Estavam deixando a Península em dois carros – o dos filhos foi assaltado e levado pelos bandidos.

Indignação e insegurança

Só lhe restou, ao chegar em casa, ir para o computador narrar o que acabara de testemunhar acessando os grupos Amigos do Saint Barth e Reais Amigos da Península. Eis algumas de suas postagens:

INDIGNADA ! ASSALTO NA ENTRADA DA PENÍNSULA.
Após uma pizza no O2 em família, presenciamos um assalto as 23 horas. Fração de segundos. Se desencadeasse um tiroteio estaríamos no meio. Segurança ZERO. Temos que nos mobilizar”.

“Desculpe o desespero. Tentarei ser mais clara. Retornando a pé do O2, vimos uma "troca " súbita de carros, a três metros da cancela, na esquina, quando somos obrigados a parar para dobrar a direita, na rua que nos leva rumo ao Via Parque. Seguindo de volta para minha casa -Saint Barth, nos deparamos com famílias desesperadas em frente ao Smart, pois o carro do filho de uma delas havia sido roubado, com arma e tudo. O assalto foi a menos de 10 passos da guarita”.

Cláudia, moradora do Saint Barth, estava realmente nervosa. Acessou os grupos do Facebook que participa – Amigos do Saint Barth e Reais Amigos da Península – e foi postando suas informações bastante emocionada: “A ASSAPE tem que se pronunciar . Onde esta a segurança em torno da Península uma vez que a policia se foi? Terá que morrer mais alguém? Prometeram segurança ao redor daqui e nada. O assalto não foi ao redor e sim a TRÊS metros da cancela”.

Isso aconteceu no final da noite de sábado.Tão logo ela postou a primeira informação, os vizinhos em ambos os grupos do Facebook começaram a manifestar indignação e pedir mais detalhes:
As vítimas “estavam em um chá de algo – bebê, casal, não sei, próximo ao condomínio Smart. Foram abordados na saída, na calçada da guarita. Somos testemunhas disso. Vi o casal ser abordado, na hora não entendi, achei tratar-se de amigos trocando de carros. Ao entrar nos deparamos com as famílias desesperadas. O guardinha da Península tentou ir atrás, mas de nada adiantou. Ele me afirmou que nunca houve policiamento do lado de fora por conta da ASSAPE, mas ocorreu o assalto era praticamente dentro daqui”.

"Ao reduzir para dobrar a direita , na saida da Península ,logo após a cancela e seguir para o Via Parque , o casal foi roubado. Tudo a três metros da guarita. Vimos tudo , eu e minha família com agregados. A ASSAPE não tem como justificar tamanho absurdo".

Ainda sob o impacto da ação dos bandidos, ela enviou e-mail para a Assape: "O segurança me informou que nunca houve monitoramento ao redor daqui, informação que não confere com as que vocês veicularam. Como ficamos diante disso? Nessa ocasião entrei a pé, livremente, as 23.30h sem ser abordada por ninguém. So irão agir após outra morte? Pagamos um preço muito alto por uma segurança que não temos.
Aguardo e cobrarei algum posicionamento de vocês".

PM recusa atender e trata mal moradora

Imediatamente, já no início da madrugada, muitos moradores que estavam logados também se manifestaram. Adriana narrou o péssimo atendimento da Polícia Militar. “"Estou PAU DA VIDA COM A PM! Voltando pra casa agora, pouco antes das 2 e meia da manhã, liguei pra comentar o ocorrido, pois estava com medo de voltar pra casa e sabem o que o PM teve a pachorra de me dizer?! SENHORA, NÃO PODEMOS FAZER NADA. LIGUE PRO BATALHAO DA SUA AREA. A SENHORA QUER O QUE? ESCOLTA PRA CASA???? Devia ter respondido - Quero que vocês façam seu trabalho, pode ser? Estamos FERRADOS sendo "protegidos" por alguém que tem a audácia de fazer isso!!!!!!!!"

Muitos outros também falaramn. Pinçamos mais alguns comentários:

Juliana: “Vizinhos,estou indignada com este assalto ocorrido ainda agora, o que mais me impressiona é a afronta destes marginais de fazerem um assalto a menos de 15 metros da guarita. Me impressiona mais ainda a ASSAPE e as autoridades não fazerem ABSOLUTAMENTE NADA mesmo depois da morte de uma moradora quase no mesmo lugar, ou todos já se esqueceram? Acho que a grande maioria de nós veio morar aqui pelo grande apelo que o local fez, pela qualidade de vida e a segurança. E aonde está essa segurança? Primeiramente acho que temos que lutar para realmente fecharmos o acesso a península pois hoje em dia qualquer um entra a pé ou de carro. Outro ponto é que esta empresa de segurança é muito fraca, os vigilantes não têm postura e as ações e atitudes não condizem com o condomínio. Temos que ter restrições e controle nos acessos. Já tivemos uma morte e diversos assaltos aqui dentro da Peninsula,aonde vamos parar?”.

Fábio: “Lembramos que quando da tragédia morte da moradora inicio do ano e outros casos de assaltos, a PM veio até reunião aqui..e blá, blá blá, blá....
Acho que também falta uma postura mais incisiva da ASSAPE e seu Budget de 1 milhão mensais em termos de segurança.
Devemos pressionar nossos conselheiros dos Prédios e ir pras reuniões.
Tal como em nosso país, aqui as coisas só funcionam sob pressão ou após tragédias”.

Bernardo: “O problema é discutirmos segurança enquanto qualquer entregador de qualquer coisa ainda entra nos nossos prédios. Morei em SP, e lá NENHUM prédio permite a entrada de entregadores. Todos devem descer para buscar. Isso é uma coisa muito mais primária quando se fala sobre segurança”.

Bacelar:  “Morei em São Paulo também e no prédio que morei, era assim também, os moradores tinham q ir na portaria buscar (Pizza, etc.)... Isso é costume nos condomínios de São Paulo, pq a MUITOS anos atrás, os assaltantes estavam rendendo os motoboys e com os endereços das entregas em mãos, entravam nas casas das vítimas, muito facilmente, no momento da entrega. Não sei como até hj esse tipo de assalto ainda não "pegou" aqui no Rio. Acredito ser uma questão de tempo”.

Cláudia: “Não é o primeiro assalto que ocorre aqui perto... está complicado.... meu marido fez uma cotação de seguro e sentimos um aumento no valor... gostaria de saber se foi uma coincidência ou se isso é reflexo dos acontecimentos dos últimos meses”.

24 comentários:

  1. Prezados moradores da Península, venho denunciando há tempos que vivemos em um espaço PÚBLICO e não privado, o qual mantemos mensalmente com nosso dinheiro (ASSAPE - R$1.250.000,00 + IPTU + FORO), sem direito a segurança, transporte, infraestrutura de esgoto, lagoa despoluída, etc.....

    ACORDA PENÍNSULA!!!!!!!!

    Paulo
    Conselheiro do FIT

    ResponderExcluir
  2. Pois é para que pagar a Assape se quem nem ora, nem paga tem o livre acesso e direito a uso? Virou estacionamento gratuito dos empregados do O2, pagamos para cuidar de jardins FORA da Peninsula. E nem temos os onibus para o Centro como os demais condominios da Barra. Parece o governo para quem somente temos obrigaçoes de pagar.

    ResponderExcluir
  3. Esse acontecimento de sábado à noite me deixou perplexa. Lembro que votamos numa assembleia a liberação do dinheiro do Fundo de Reserva para garantir medidas de segurança. Até agora, duvido que alguém tenha sentido qualquer mudança, pelo contrário, acho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Assembléia para liberação de quase R$300.000,00 do fundo de reserva aconteceu em janeiro de 2013. Passados mais de 6 meses a ASSAPE nem se deu ao trabalho de informar quais ações pretende tomar no assunto segurança. Isso é uma brincadeira, um desrespeito pelo morador.....

      Excluir
  4. Kd aquela viatura que ficava direto nas portarias?
    Kd a Assape?

    (Via e-mail)

    ResponderExcluir
  5. De verdade sem uma organização forte nada acontecerá. Acredito que a situação só tenda a piorar e enquanto isso a Assape assiste na melhor frisa do teatro tomando uma champagne cristal, pois é muito bem remunerada para absolutamente nada. Nosso bairro está num caminho muito incerto e temo pelo futuro de nossos patrimônios que em meio a essa zona virarão pó.
    porque não uma manifestação contra a Assape, uma coisa big time em pleno domingo atrapalhando as vendas da Carvalho Hosken inclusive que patrocina essa avacalhação toda e só está preocupada em vender, vender e vender.... Vamos fazer acontecer.... administração séria e profissional para a penínusla resolveria o problema, pagamos pela Assape e ela nos é empurrada como compulsória sem mesmo termos o direito de cobrá-los pelo bom serviço. Vamos fazer acontecer. Pedro, por favor clame pelos moradores para que no domingo façamos uma caminhada pela península.

    ResponderExcluir
  6. Vânia Lázaro (por e-mail)6 de agosto de 2013 11:50

    Estou indignada.
    A insegurança é total no entorno da Peninsula e pelo visto se propagando adentro do condomínio.
    As cancelas frequentemente estão quebradas,mantendo-se abertas,facilitando a entrada/saída dos carros, sem que sejam indagados ou observados pelos seguranças.
    Os estacionamentos próximos as guaritas,estão sempre ocupados pelos frequentadores do O2,principalmente os funcionários, que tem livre acesso ao condomínio Peninsula utilizando nossas vagas, e quando necessitamos uma vaga para irmos à feirinha,igreja ou campo de futebol estão todas ocupadas e somos obrigados a voltar ao nosso prédio e retornar a pé,amargurando o peso das sacolas quando vamos as compras.
    É lamentavel a facilidade do acesso que nos deixa vulneráveis a ações desastrosas.
    Quando optei em morar na Peninsula o que mais me atraiu foi a ¨segurança¨prometida, mas acredito que a ASSAPE pouco se preocupa com isso, pois de nada vale jardins cuidados,asfalto recapeado e segurança abandonada.Buscamos paz e tranquilidade para nossa família no local que escolhemos para morar, mas sem segurança é impossível viver bem.
    Acorda ASSAPE, cumpra o prometido!!!!!

    ResponderExcluir
  7. com todo respeito aos comentários aqui postados..... fui procurar verificar o local do evento e soube que foi próximo ao stand da cyrella. Fico me perguntando o que a Assape poderia ter feito?? Como poderia evitar este evento? Sinceramente, me sinto muito segura na Península. Dentre os Condomínios da Região localizados em via pública, procurei me informar e soube que este é o que apresenta os melhores índices registrados. Nunca teve um evento sequer que abalasse a segurança dos moradores e frequentadores no interior da Peninsula. Não tenho nenhuma ligação com a Assape, mas é o tipo de culpa que eles não podem receber. Em outros assuntos, a exemplo de ônibus para o centro, entendo que realmente a Assape pode e deve ter uma ação efetiva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. desculpe mas já tivemos furtos a apartamentos e assaltas nas trilhas.

      Excluir
  8. Concordo com o anônimo, não vejo porque da ASSAPE ser culpada de um caso isolado que ocorreu em uma área externa ao da Península. E já recebi vários convidados aqui em minha casa que fizeram vários elogios justamente ao fator segurança, onde ficaram impressionados com um grupo de garotos que estavam andando de bicicleta por volta das 23hs aqui na cercanias do meu prédio. Estou muito feliz morando aqui e não pretendo sair...

    Obrigado.

    ResponderExcluir

  9. Não estou entendendo: o assalto aconteceu onde durante o dia um carro da empresa de segurança fica parado. Na reunião que foi feita pela ASSAPE em janeiro ficou certo que essa área próxima seria assumida também pela ASSAPE. Houve também uma assembléia que aprovou liberação de dinheiro do FUNDO DE RESERVA para garantir despesas com um projeto de segurança que falava de um monte de coisas, inclusive câmeras. Agora os dois vizinhos acima dizem que a ASSAPE não tem nada com o assalto em frente à cancela. Sinceramente, então pra que a gente paga à ASSAPE mais de 200 mil mensais pra segurança?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que eu sei as câmeras estão sendo feitas as instalações. Só tenho a impressão que estão atribuindo responsabilidades a quem não deve. Minha pergunta é...... Onde estava a PM neste horário? Pelo que sei, a viatura que fica perto do O2 não estava lá. Volto a dizer..... Não connheço nenhum outro condomínio que se permaneça com tanta tranqüilidade.

      Excluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics