sábado, 30 de novembro de 2013

Diante de um "bicho de sete cabeças"

Aos 70 anos estou travando com serenidade um novo combate - agora contra um CHC em meu fígado

Para quem tem um fígado cerebral e impulsivo, não poderia ser mais insólita e despropositada a descoberta de um tumor de 3,3 cm, localizado em seu segmento V, junto à transição com o segmento VIII, em íntima relação com o ramo da veia porta, com tudo para ser um CHC, ou carcinoma hepatocelular, que felizmente ainda não comprometeu a veia porta adjacente, conforme minha afoita leitura dos laudos, na mera condição de jornalista.  

Para dar-lhe o bom combate optei pela radiologia intervencionista e estou confiante, como sempre, nesses 70 anos singrados com dignidade quando de outras procelas. A radiologia intervencionista é uma especialidade nova de caráter pouco invasivo, curto tempo de internação, rápido retorno do paciente às suas atividades e alta taxa de sucesso e resolutividade. O procedimento será feito tão logo o seguro autorize as despesas hospitalares, no decorrer de dezembro.

Esse tumor apareceu em exames de rotina, no início do ano, por conta de uma esteatose antiga, com a qual convivia folcloricamente, evitando bebidas alcoólicas e nada mais.

Primeiro, fiz uma ultrassonografia.  Em seguida, o hepatologista pediu uma tomografia computadorizada. O laudo desta recomendou a ressonância magnética. Por indicações médicas, fiz duas de cada uma para ir fundo na investigação.

Estou lhe contando essa aventura pessoal para lhe informar que vencerei mais essa, apesar dos informes científicos se referirem ao CHC como "um tumor primário do fígado, altamente fatal que acomete aproximadamente 500.000 pessoas no mundo".

Pretendo também ajudar aos demais na quebra de eventuais tabus e tensões diante de um espectro ainda visto como um bicho de sete cabeças.  

Nem sei se estou fazendo certo ao divulgar aqui o que é uma preocupação pessoal. No entanto, sou uma pessoa pública, que sempre primou pela transparência, e muitos leitores me acompanham desde as colunas da TRIBUNA DA IMPRENSA, há décadas.  O que ocorreria se acontecesse o pior e você fosse surpreendido por uma notícia infausta, quando eu próprio estou consciente de que a morte é inevitável e não pode ser encarada egoisticamente como uma tragédia?

Injusta ela seria se tivesse me acometido nos anos de chumbo, quando fui arrancado da chefia de redação de um jornal para ser submetido a 16 dias de torturas insuportáveis nos porões da ditadura, que poderiam ter me custado a vida aos 26 anos, como aconteceu com tantos jovens.

A relação do ser humano com a morte só é tão trágica por que sua relação instintiva com a vida é possessiva: consciente ou inconscientemente, o mundo gira em torno de cada um. Como disse Schopenhauer, “cada um mira a própria morte como o fim do mundo.” Se, ao contrário, houvesse menos egoísmo e assimilação do ciclo vital como ele é a sua fruição seria mais prazerosa e todos entenderiam que é eterna a vida de quem não a pretende como infindável.  Como disse o filósofo alemão, nascido há 225 anos atrás, “o certo é encarar a morte como verdade vindoura e efetivação de vida enquanto morte – vida e morte – encontro e desencontro".

Aos que pensam que estou fazendo charme com o meu tumor, que não é e nem será de estimação, sugiro que leiam o livro Todos os Homens São Mortais, de Simone de Beauvoir. Sua leitura me fez muito bem na quinta prisão da Ilha das Cobras,  a mesma "caverna" em que Tiradentes ficou preso.

Se preferir, procure na locadora ou na internet o filme As Invasões Bárbaras,uma obra prima do cinema canadense do diretor Denys Arcand, com uma comovente interpretação de Rémy Girard.

Clique nos links e veja mais duas cenas desse filme.


Mas isso é só para ilustrar seus conhecimentos.  Segundo parâmetros da  European Association for Study of the Liver, que pinço como "repórter auto-investigativo", meu tumor não ultrapassou o seu estágio precoce (lesão única 2-5cm ou até 3 lesões com  3cm, cada). Nos exames de imagem, chegou a 3,8 cm, mas no último (ressonância com contraste hepatobiliar) ficou em 3,3 cm, variação irrelevante. Em 10 meses desde a primeira tomografia, praticamente permaneceu na mesma faixa. Além disso, há nódulos de regeneração (tumores benignos) e são normais os registros das vias biliares, baço, pâncreas, rins, bexiga, aorta e divertículos.

Pode ser que eu dê uma paradinha nos meus blogs durante umas duas semanas da primeira radiologia intervencionista, quando será aplicada umaquimioembolização tumoral através de um cateter introduzido pela virilha. Esse procedimento poderá ter, como efeito posterior, dor abdominal e febre decorrente de necrose tumoral/ infecção bacteriana – abscesso hepático e colecistite.

Segundo as mesmas fontes médicas, poderá ocasionar também piora da função hepática (principalmente no Child B), mielossupressão retardada e cumulativa por 4 a 6 semanas, náuseas e vômitos 1 a 2 horas após o tratamento por até 3 dias, dispnéia aguda e broncoespasmo severo após a administração da droga.

Por isso, terei dificuldades para escrever logo, pelo que espero sua compreensão, sem perder o otimismo jamais.



Em tempo: há dez anos, publiquei o primeiro volume do meu livro de memórias - CONFISSÕES DE UM INCONFORMISTA.  Deixei para escrever a segunda parte, sobre a vivência no poder, justo depois dos 70, quando não estivesse mais envolvido diretamente. Espero dedicar-me agora a essa tarefa.

15 comentários:

  1. Porfírio Guerreiro.
    Te espero em 2 ou 3 semanas.
    Sei que vai vencer este obstáculo!
    Um abraço forte amigo.
    Com carinho... Isa

    ResponderExcluir
  2. Tio Porfirio, vai dar tudo certo! Vc é um guerreiro! Tamo junto! Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Porfírio, minha solidariedade em sua luta,certamente vencedora. Abraços. Cleber Barros

    ResponderExcluir
  4. Vai vencer mais essa, meu caro Pedro Porfírio! Abraços do coleguinha. Antonio Carlos Teixeira

    ResponderExcluir
  5. Certamente dará tudo certo e você, combativo como sempre, vencerá mais esta batalha. Enquanto aguardamos ansiosamente seu retorno ficamos torcendo por sua rápida recuperação, com uma mentalização bastante positiva. Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Caro Porfirio, não temos nos falado muito recentemente mas tenho acompanhado o Correio de longe. Fiquei surpreso de entrar no seu blog e dar com a noticia de seu problema de saúde. Força e Espirito Combativo não lhe faltam!!! Nem a torcida dos amigos para que tudo corra bem! Sucesso em seu tratamento e um forte abraço. Seu vizinho do Atmosfera, Luiz Raul!

    ResponderExcluir
  7. PREZADO PORFÍRIO,
    FORÇA, CORAGEM, DINAMISMO E ESPÍRITO DE LUTA NÃO LHE FALTAM. TENHO A CERTEZA DE QUE EM BREVE VOCE ESTARÁ DE VOLTA PARA NOS TRAZER BOAS NOTÍCIAS. ESTAMOS TODOS TORCENDO SEU SUCESSO NO TRATAMENTO.
    ABRAÇOS, JANICE

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics