sábado, 21 de dezembro de 2013

Por mim e por cada um de nós

Há mais vida numa palavra amiga do que em todas as descobertas de uma ciência cada vez mais vivificante

Por que o meu natal é mais do que um smartphone novo ou um ipad poderoso, dou-me por abundante e generosamente presenteado pelas mensagens de carinho, apoio, solidariedade e fé em face do meu transitório estado de saúde, agredido por um insólito tumor, já sob fogo cruzado, em meu fígado.
Temia que a divulgação desse acontecimento sinistro de ordem pessoal fosse mal entendida ou, na melhor das hipóteses, ganhasse o benefício da controvérsia. No entanto, as inúmeras mensagens recebidas diretamente por e-mail, postadas no facebook e nos próprios blogs tiveram a força de um poderoso sedativo. Mais: outorgaram-me de pleno direito a reconquista de um mundo ainda sentimental, onde a cláusula da solidariedade é mais expressa na hora da adversidade. E não somente naquelas em que alguma forma de poder nos enche do brilho da atração reluzente.

Com esses acontecimentos, por assim dizer, infaustos conheci em todas as latitudes as virtudes do compartilhamento. Não foram poucos os que cruzaram pela primeira vez suas palavras com as minhas, na maioria dos casos de forma pública, acentuando principalmente a grandeza de valores profundos, como a religiosidade, que não é o meu forte, como bálsamo mais encorajador para o enfrentamento de um percalço, seja em relação à saúde, à vida sentimental ou à situação econômica, para lembrar apenas alguns momentos graves de nossas vidas.

Percebi na exuberância que só o dicionário da solidariedade dispõe um poderoso estoque de sentimentos ressuscitadores. 

Não, o nosso mundo não é esse empedernido campeonato do cada um por si, da desesperada corrida ao sucesso nas veredas do mau caráter e do egoísmo cego.

Para além daquele cérebro nervoso que só sabe fazer as quatro operações há um coração amoroso que bate a mil e ainda consegue romper a blindagem do freudiano princípio da realidade para socorrer outrem com a fortaleza das palavras tão simples como vitais, numa transfusão de sangue  muito mais poderosa do que todas as panacéias que uma ciência igualmente pródiga produz nos laboratórios medicinais cada vez mais ricos em descobertas surpreendentes.

O sentimento da vida é mais saliente quando nos deparamos com o sinal da morte e muito mais charmoso quando o despachamos às calendas, reconstruindo os novos passos com olhares mais viçosos, sem medo de ser feliz e alijando os maus presságios sem perder a ternura jamais.

Dizem os senhores das armas maléficas que a palavra está moribunda, subalterna, arrivista e covarde. Amoldou-se com o trunfo da conveniência aos degraus da ascendência almejada e se despersonalizou por inteiro. A palavra, segundo esses pragmáticos frios e calculistas, fragmentou-se na fogueira das vaidades e no desfiladeiro das ambições.

Ledo engano. Essa palavra esfacelada pelas procelas da ignorância ao longo dos séculos mesquinhos é apenas a partícula da boca para fora de uma matriz original, guardada a sete chaves nos campos de centeios da sabedoria de cada um.

A verdadeira palavra ainda é a maior riqueza do ser humano, por que não é expropriável, nem servida ao consumo barato em emboscadas da ignomínia, da competição, do egocentrismo e do interesse sobreposto. Despojada, ela sai lá de dentro do nosso âmago, ganha energia em nossos pulmões e irradia os bons ventos do mais que viver.

Eu estou vendo tudo isso nesses dias intrépidos de cores indecifráveis. Cada palavra amiga tem a doçura e a meiguice da espontaneidade, essa usina fertilizante que nos surpreende a todos nesses momentos quiméricos da bondade implícita.

E absorvo essas palavras sãs com a promessa do compartilhamento tão gratificante para mim e para cada um de nós. Sei que me fiz espelho dessa conturbada guerra surda entre a vida e a morte, entre o sentir e o viver por viver, entre a percepção da eternidade dos que se imortalizam na assimilação sensata do ciclo vital e o apego insano ao instinto de sobrevivência.

Não sei se estou sendo piegas nessa declaração de amor aos que me têm sido solidários, mas tenho certeza de que ao repassar toda a verdade, por mais trágica que pareça, ao revesti-la do vermelho do combate e do verde da esperança estou igualmente servindo à  vida, à minha e à de cada um de nós.
É uma forma de dizer o mais profícuo muito obrigado e de declarar vitória pujante, seja qual for o placar desse jogo misterioso de vida ou morte

26 comentários:

  1. Prezado Pedro Porfírio,
    Tenho certeza que, não somente eu, mas todos os que te admiramos, estamos contentes pelo sucesso na intervenção no fígado e torcendo por teu pleno restabelecimento. Aproveito para desejar um Feliz Natal, tendo por foco o grande aniversariante, Jesus, e almejando que o novo ano seja portador de renovadas esperanças em um mundo melhor, mais justo, fraterno e solidário.
    Fraterno abraço, extensivo à família, amigos e leitores.
    Claudio Ribeiro - Casimiro de Abreu, RJ.

    ResponderExcluir
  2. Essa é mais uma luta que terá você como vencedor. Um forte abraço.

    ResponderExcluir
  3. Que vc tenha um pronto restabelecimento, para continuar a sua luta que também é nossa, um forte abraço.

    ResponderExcluir
  4. Caríssimo Porfírio, que alegria saber que você está bem, que tudo correu às mil maravilhas.

    Às vezes, infelizmente, a vida nos ensina de uma maneira que não gostaríamos que acontecesse, mas, quando ocorre, nos cabe dela tirar ensinamentos.

    E ensinamentos a extrair sempre há, nem que seja na forma de um mergulho profundo ao nosso próprio eu, às nossas mais encravadas entranhas, a nos revelar, a nós mesmos e por nós mesmos, a infinita dimensão de nossa alma, de nosso ser último, que parece eterno, a contrastar com a precariedade do nosso corpo, essa matéria sujeita ao envelhecimento.

    Que as forças do Universo continuem a conspirar pelo teu Bem e pelo teu Bom, Porfírio.
    Um forte abraço, amigo.

    ResponderExcluir
  5. Bravo Porfítio! O consolo de consolar e ser consolado. Tão belas palavras de solidariedade e agradecimento numa hora H de nossas vidas,fazem delas a verdadeira fonte da juventude,o bálsamo para o espírito,corpo e mente. Parabéns por mais uma batalha em sua vida enfrentada com galhardia.Feliz Natal para vc e família,Eliton Rosa Aposentado Aerus/Varig - Rio/RJ

    ResponderExcluir
  6. Porfirio, você é um vencedor, conquiste mais essa e continue a luta.

    ResponderExcluir
  7. Querido Porfírio. Que bom esteja em casa no convívio familiar.Siga as orientações médicas; dieta, descanso e exercícios dirigidos com orientação são necessários. Precisamos muito de você fique bom logo. Feliz Natal a você, e toda a sua família.

    ResponderExcluir
  8. Prezado Porfírio,
    Nos vimos apenas uma vez, mas sempre leio suas publicações. Desejo que logo você esteja recuperado e que 2014 seja uma ano feliz em sua vida.

    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  9. Amigo Pedro, desejo-te rápidas melhoras porque ainda tens muito que ensinar a todos nós, teus seguidores de ideais, sempre te venerando por tua imagem de grande lutador pela Pátria!! Um grande abraço deste teu amigo,
    Marcos Pinto Basto

    ResponderExcluir
  10. Porfírio,
    Folgo em saber que estás em casa.
    Tenho certeza que terás uma rápida recuperação.
    Também fiz uma cirurgia na coluna, minimamente invasiva, e foi jogo rápido.
    Difícil para mim é carregar o fardo do banana, R. Dinamite, à frente do meu Vasco.
    Se não houver um golpe, como alteração do estatuto ou antecipação das eleições impedindo os novos associados de votar, ele perderá na dividida com os vascaínos.
    E eu entrarei de carrinho, pegando pesado.
    Volte revitalizado.
    Estamos juntos.
    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  11. Porfírio,
    desejo que tenha uma ótima recuperação, um Natal com muita saúde e amor em família. Um Novo Ano de novas conquistas e agradecemos pelo seu grande trabalho!
    Um forte abraço.
    Viviane Masson

    ResponderExcluir
  12. Porfírio, você é uma síntese da luta política de quem não coaduna com as desigualdades sociais e regionais e não se deixa levar pela análise rateira que tanto agrada os políticos de plantão. Direito a cidade, usuários de transporte público, a VARIG, o Nordeste, educação, socialismo ...são tantas as categorias de análise alvo do seu criterioso estudo que não podemos ficar longe dele. Força comandante!!!

    ResponderExcluir
  13. Alô Porfírio, estimo sua rápida recuperação, retire suas poesias da gaveta vamos compor músicas um abraço do parceiro.(mariopariscompositor, )irmão do Bispo.

    ResponderExcluir
  14. Grande Amigo Pedro Porfírio, que bom que vc se recupera. Sua presença na mídia é fundamental, essencial. Boas Festas para vc e sua família.

    ResponderExcluir
  15. Vamos em frente guerreiro!!!

    ResponderExcluir
  16. Grande e velho amigo Porfírio, lutador incansável de todas as causas justas, homem que veio ao mundo para aperfeiçoá-lo. Quixote moderno, não será uma pá do moinho das injustiças que irá derrubá-lo. Precisamos muito de você, sempre..

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics