sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

A batalha dos pernilongos

Toda a Península parece desprotegida contra o ataque de milhões de mosquitos que tiram o sono dos moradores

Foto Isa Paes

"Não é possível que essa praga vá suplantar a inteligência humana" - com esse comentário patético, Isa Paes, moradora do Aquarela enviou foto á Asape com cópia para o CORREIO DA PENÍNSULA com um flagrante assustador: a quantidade de mosquitos que se alojavam na tela de seu banheiro, na noite do dia 27 de janeiro, indicava um ataque em massa, como se os mesmos não estivessem sofrendo qualquer bloqueio à sua presença.

Não é a primeira pessoa que documenta essa invasão de pernilongos, que se originam em rios e lagoas. A ferramenta mais comum do combate aos mosquitos é o uso do fumacê, que espalha repelentes químicos no ar. Contudo, segundo a veterinária Eunice Santos Martini Parodi, da Secretaria de Saúde de São Paulo, esses insetos desenvolvem resistência rapidamente, reduzindo os seus efeitos com o tempo.

Para essa médica, a solução mais indicada é o uso de telas como a dessa moradora que mandou a foto. Muita gente já recorre a elas, mas essa não deixa de ser uma solução "extrema".

De vez em quando a gente vê um desses carrinhos da Assape passar espalhando fumaça.  Nos locais que passa e nas horas seguintes há uma certa sensação de alívio. Mas esse trabalho parece muito limitado, a julgar pela infestação sistemática de mosquitos nos parques e no entorno do campo de futebol, onde se aconselha o uso de  repelente pessoal, um dos produtos mais vendidos na farmácia do Open Mall.

Os machos se alimentam do açúcar presente no néctar e na seiva das plantas. Só as fêmeas bebem sangue.

Para entender melhor esse inseto, vão aqui algumas dicas retiradas do site Mundo Estranho:

ESSE NÃO É QUALQUER MOSQUITO, NÃO
Pernilongo é um termo popular para nomear mosquitos com patas longas, da família Culicidae. A espécie mais comum do mundo, Culex quinquefasciatus, mede até 70 mm, pesa 1 mg e atinge até 2,5 km/h em voo.

SEMPRE ALERTA!
Os machos se alimentam do açúcar presente no néctar e na seiva das plantas. Só as fêmeas bebem sangue. Elas utilizam suas antenas (menos peludas que as dos machos) para farejar as “vítimas”, identificando substâncias no ar: o CO2 liberado pela respiração indica que há sangue por perto.

VISÃO NOTURNA
Assim como ocorre em outros insetos, os olhos compostos dos pernilongos, formados por milhares de lentes minúsculas, são extremamente sensíveis à luz, possibilitando voos no escuro.

BOM DE BICO
Os lábios escondem uma arma letal: a probóscide, agulha retrátil que a fêmea usa para perfurar a pele de mamíferos e pássaros e sugar o sangue deles. A irritação e a coceira na pele não são causadas pela picada em si, mas pelas substâncias anestésicas e anticoagulantes da saliva do bicho.

VEIAS ABERTAS
O coração está integrado a um sistema em que o sangue do inseto, a hemolinfa, circula livremente pelo corpo todo. Um único canal atravessa o corpo, do tórax ao abdômen. Na parte traseira, o canal se divide em câmaras, que se contraem para bombear o líquido amarelo-esverdeado.

DIETA SiMPLES
O sistema digestivo também é um duto só, da boca ao ânus. A saliva dissolve o alimento na altura do tórax e os nutrientes são absorvidos na área abdominal. No reto, 90% da água das fezes é reabsorvida e isso impede que o pernilongo morra desidratado em ambientes extremos.

ZZZZZZZZZZZZZ...
O zumbido é causado pelas frenéticas batidas de asas, acionadas pelos músculos alares – até 300 batidas por segundo. Durante o voo, as patas dianteiras ficam encolhidas e as traseiras são alongadas para trás, aumentando a eficiência aerodinâmica e turbinando a performance.

SANGUE DO SEU SANGUE
O sexo (cópula) entre pernilongos acontece assim que a fêmea vira adulta. Assim que a relação termina, elas vão atrás de sangue para irrigar os ovários, que produzem até 200 ovos por ninhada. Para incubar as crias, a barriga suporta três vezes o peso do inseto.

PERNAS, PRA QUE TE QUERO
As patas, leves e longilíneas, facilitam vôos e aterrissagens. Assim como em outros insetos, são compostas de coxa, trocanter, fêmur, tíbia e tarso. Para grudar nas superfícies de pouso – nossa pele, por exemplo –, os pernilongos usam garras chamadas de unhas tarsais.

O líquido vermelho que você vê quando acerta um pernilongo provavelmente é seu próprio sangue!
A respiração dos insetos dispensa pulmão e sangue para fazer trocas gasosas. o oxigênio entra pela traquéia e vai direto para as células.
Uma fêmea pode sugar sangue por mais de dez minutos sem parar.

Agora que você sabe algo mais, arme-se contra as picadas. Em nosso apartamento, recorremos até às raquetes chinesas, num exercício que dispensa a academia.

Além disso, somos forçados a ligar o ar condicionado com a função específica de promover a evacuação dos mosquitos que não gostam de baixas temperaturas.

Finalmente, ainda usamos aqueles repelentes spray.  E ainda assim, ainda levamos algumas picadas. Do mosquito, esclareça-se.

12 comentários:

  1. Pedro, estes insetos todos são mesmo pernilongos da familia Culicidae? Eu sugiro que recolham alguns em um frasco com álcool a 70 graus para identificação. Se isso tudo for pernilongo é caso de notificação à Secretaria de Saude Publica. Me coloco à disposição para identificar estes insetos.
    Temos aqui na Peninsula a presença maciça de "mosquitos quironomideos" que não sao hematófogos e aparecem em revoadas. Estes sao criados em águas altamente poluidas, como as lagoas que nos cercam. Esta semana conheci o trabalho da Ecolab no controle de insetos aqui na Peninsula e pelo que conversamos eles vao fazer alguns ajustes na metodologia utilizada, bem como um melhor acompanhamento no uso do carro fumacê, que nao é o melhor, mas que dá um alivio passageiro aos moradores. Claudete Massard.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, anônimo!

      Quando não tinha tela mosquiteira e havia invasão de mosquitos no meu apartamento, sem entender de mosquitos, podia identificar pelo menos três tipos deste inseto (pela forma, cor e tamanho, mas desconheço os nomes científicos e populares; provavelmente há mais tipos). Conselho para aqueles que não desejam ter o apartamento infestado por mosquitos: Fechar as janelas por volta das 16hs e instalar telas mosquiteiras. Garanto que provavelmente só caçará 4 ou 5 mosquitos com a tela mosquiteira e isto não será diariamente. Detalhe: moro na Rua dos Jacarandás de frente para a lagoa e na área das árvores frutíferas (que atraem muito e ajudam a proliferar os mosquitos). O grande problema é quando queremos circular ao ar livre...aí viramos banquete dos mosquitos! Realmente quando a ASSAPE (área externa) e os condomínios (área interna) através da firma Ecolab fazem o controle de insetos, a situação fica menos desconfortável. Maria Lucia Machens/moradora do Aquarela

      Excluir
  2. Já vi dias piores de insetos na minha varanda em cima do teto.
    São pernilongos de dengue?
    são venenosos?

    ResponderExcluir
  3. Patética foi a resposta da Assap quanto a infestação:" Fazemos o trabalho por aqui, mas como a Lagoa é muito grande as infestações reaparecem".

    ResponderExcluir
  4. Porfírio,

    existe alguma notícia relacionada a esse assunto? A quantidade de pernilongos está enorme!

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics