quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Cortina elétrica pode ter causado incêndio em apto na Península

Condomínio agora vai ter brigada antifogo e treinar funcionários e moradores contra novos sinistros

A sala do apto sinistrada foi seriamente danificada
Um curto circuito na cortina elétrica pode ter sido a causa do incêndio que destruiu toda a sala do apartamento 1501 do Bloco 4 do Saint Barth.  Embora só em 30 dias a perícia vá divulgar oficialmente suas conclusões, a hipótese está sendo levantada, pois foi nela que surgiram as primeiras labaredas.

Cortina elétrica pode ter dado início ao incêndio
Como consequência imediata do sinistro, a administração do condomínio reuniu-se com membros do conselho e já iniciou cotação de preços para a contratação de uma brigada contra incêndio, ao mesmo tempo em que pediu orçamento à empresa de segurança para realização de treinamento de funcionários e de moradores que desejarem.

Essas foram apenas medidas consideradas emergenciais. Está em pauta também a colocação de um sistema de alarme por bloco e a elaboração de um plano de contingência com um manual de orientação para os moradores. Foi observado que, apesar dos avisos, os moradores usaram elevadores para descer, com o risco que isso representa. 
Na terça-feira à noite, também aconteceu um incêndio no apartamento 709 do Life, em frente ao campo de futebol.  Os bombeiros chegaram por volta das nove e meia da noite, mas o próprio morador conseguiu apagar o fogo ainda no nascedouro. 
Para a administração do Saint Barth, a Assape deveria tomar também alguma iniciativa em relação a esses sinistros. Na reunião do conselho do condomínio houve uma queixa de que não apareceu ninguém da associação durante todo o tempo em que os funcionários e, depois, os bombeiros estavam tentando debelar o incêndio no bloco 4.

A proposta é que, dada a abrangência da Assape, ela também organize alguma forma de acorrer em socorro ou apoio dos moradores.

As fotos do incêndio mostram a destruição completa da sala pelo fogo que foi debelado com o uso de extintores, já que nos hidrantes do andar a água não chegou. Revelam também que os bombeiros arrombaram a porta do apartamento vizinho, que estava vazio, mas este não foi afetado pelas chamas. 
A sra. Jussara Linhares, moradora do bloco 4, formalizou uma notificação à administração do Saint Barth por não ter sido informada do incêndio, divulgando seu teor nos grupos do facebook da Península e do condomínio. 
"Registro que em caso de necessidade , como parece ter sido a hipótese dessa noite, fica a administração desde Condomínio NOTIFICADA da necessidade que eu tenho de ser avisada prontamente, contando, desde já com as imediatas providências de V.Sas. no sentido de instituir e manter um protocolo de emergências, em que pessoas como eu possam ser auxiliadas a tempo de se colocar em local seguro, dada uma situação similar" - escreveu Jussara, lembrando que tem problema de mobilidade, o que a levará a uma prótese no joelho no próximo dia 28.


"Declaro ainda que estou pasma com a ausência absoluta de informações desta administração, num caso dessa gravidade, sem nem dizer que aguardo justificativa para as diversas falhas apontadas aos bombeiros durante o atendimento, falhas estas enumeradas aos condôminos que lograram descer e permanecer em segurança no térreo" - acentuou.

Moradores de outros condomínios também já começaram a trocar idéias sobre a adoção de medidas rápidas e capazes de evitar uma tragédia. O susto que tomaram os moradores do bloco 4do Saint Barth repercutiu por toda a Península e poderá levar a medidas do mesmo escopo, considerando que todos vivem em edifícios altos.

Gambá também mobiliza bombeiros

Foi preciso recorrer a uma equipe especializada do Corpo de Bombeiros para resgatar um filhote de gambá que se refugiu sob o frezer de um apartamento no bloco 5 do Saint Barth. 

É possível que com essa operação os bombeiros tenham decifrado também o mistério de um suposto rato que apareceu em outro apartamento e deu uma senhora mão de obra a seu proprietário, conforme postagens no grupo Amigos do Saint Barth, do Facebook. Com isso, os bombeiros "mataram dois coelhos com uma só cajadada".

Sobre a rápida captura do gambá, Gustavo Oliveira comentou, ao postar algumas fotos também na página dos Reais Amigos da Península, onde choveram comentários:

"Cheguei hoje de viagem e me deparo com um gambá escondido em baixo do freezer na minha área de serviço.

Fui a administração onde fui informado que nada poderia ser feito por eles.


Liguei para o 193 do Corpo de Bombeiros e em menos de 30 minutos estavam dentro do meu apartamento no 5º andar do bloco 5 do Saint Barth.


Em 3 minutos o Gambá já estava na gaiola.


Aproveito pra relatar o descaso da nossa administração que em nenhum momento se prontificou a ligar para o corpo de bombeiros!"

10 comentários:

  1. Só espero que essas providências sejam tomadas a tempo e a hora e sem forçar mais ainda a cota de condomínio.

    ResponderExcluir
  2. Antônio Carlos (por e-mail)27 de janeiro de 2014 00:51

    Prezado Porfírio,
    Obrigado por me manter sempre informado dos acontecimentos na Península.
    Sinceramente acho uma vergonha um condomínio como esse não ter a sua brigada de incêndio até hoje. Se eu fosse um morador, porém somente proprietário, pois nunca morei na Península, já tinha colocado o dedo nisso a muito tempo. Pela minha grande experiência, acho também um grande ponto fraco na Península é a segurança, a começar pela ENORME fragilidade nas portarias centrais. Como você é o cara que "bate de frente" leve isso avante. Outro ponto que vocês tem que BATER fortemente e a velocidade que os carros andam ai dentro. Isso tudo é porque vou muito pouco ou quase não vou ao condomínio, imagino se morasse.
    Um grande abraço, saúde.
    Antonio Carlos

    ResponderExcluir

Este espaço é livre para seu comentário. Saiba usá-lo evitando palavras agressivas e ataques pessoais ou inconvenientes.

Web Analytics